Com fim do Ensino Médio, alunos da João Hassmann serão atendidos por duas escolas

Estudantes serão remanejados para escolas estaduais dos bairros Jardim Maluche e Dom Joaquim

Com fim do Ensino Médio, alunos da João Hassmann serão atendidos por duas escolas

Estudantes serão remanejados para escolas estaduais dos bairros Jardim Maluche e Dom Joaquim

A confirmação do encerramento do ensino médio na escola João Hassmann, no Guarani, deve levar estudantes para escolas de outros dois bairros de Brusque. A escola Dom João Becker, no bairro Jardim Maluche, e Gregório Locks, no bairro Dom Joaquim, são indicadas pela Secretaria Estadual de Educação como os destinos.

Veja também:
Aplicativo de transporte Garupa começa a operar em Brusque 

Coro Luterano de Brusque completa 115 anos nesta quarta-feira

Prefeitura de Brusque cria comissão para organizar concurso público; conheça as vagas

O momento é encarado como uma adaptação por parte da comunidade escolar da João Hassmann. Neste semestre, 120 alunos estão matriculados para o Ensino Médio na escola. No último dia 23, os pais foram informados pela secretária de Educação do município, Eliani Buemo, sobre a decisão. Durante a reunião foi feito o esclarecimento das famílias sobre os procedimentos a serem adotados.

O serviço estava disponível no bairro há 25 anos e a escola era a única da rede municipal a contar com o ensino médio. Para manter o funcionamento, o Executivo precisava buscar suplementações financeiras, conforme publicado em O Município, em agosto de 2017.

Os debates sobre o possível encerramento do ensino médio no Guarani já são feitos desde 2016, após o Ministério Público questionar a prática adotada pelo município. Na época, mobilizações contrárias levaram as discussões até o ano seguinte.

De acordo com a diretora, Sandra Aguiar, desde o início do processo, o número de alunos que buscam o serviço na escola tem caído. Ela indica a opção de alunos pelo Instituto Federal Catarinense, além da existência de alternativas no período diurno, em outras escolas do município.

Serviço garantido
Segundo ela, o momento é de organização para o próximo ano. Com a confirmação de que o ensino médio não estará disponível, há impacto em professores e servidores do período noturno, contratados como temporários, que possuem contrato até dezembro.

Entre as alternativas de escolas para os alunos, a tendência é que eles sejam encaminhados para as mais próximas. Gregório Locks, no Dom Joaquim; Dom João Becker, no Jardim Maluche e Feliciano Pires, no Centro estão entre as cogitadas.

Na avaliação dela, há disponibilidade de vagas na rede capaz de suprir a demanda gerada. Parte dos diretores das escolas dos bairros próximos já estiveram na João Hassmannn para indicar a documentação necessária para o período de matrícula, em novembro.

Ela acredita que, devido à forma como o processo foi encaminhado, a decisão seja definitiva. “A decisão foi difícil, romper uma tradição não é fácil, mas a legislação é bem clara e objetiva e o poder público só pode cumprir a determinação”, resume.

Veja também:
Demissões por acordo ainda têm baixa adesão em Brusque

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Justiça mantém ex-namorado de Bianca Wachholz preso e confirma acusações para júri popular

Pais e professores
De acordo com o presidente da Associação de Pais e Professores (APP ), Alcides Pavesi, ainda não há uma definição da diretoria da entidade sobre o tema. Ele estará entre os assuntos debatidos durante a próxima reunião da associação, prevista para o ocorrer no próximo dia 12.

Morador do Guarani, Pavesi preside a entidade até o próximo ano. Para ele, o processo é visto com normalidade, devido à determinação legal sobre o caso. Ele reconhece possíveis descontentamentos entre as famílias com estudantes em idade de cursar o ensino médio no bairro, mas destaca o caso com um ajuste a uma nova realidade. “Em qualquer mudança existe impacto, qualquer mudança exige que se adapte”.