Com gol de atleta da base, Brusque empata em Criciúma pelo Catarinense

Luizinho, de 17 anos, marcou o gol de empate em 1 a 1 já aos 44 minutos do segundo tempo

Com gol de atleta da base, Brusque empata em Criciúma pelo Catarinense

Luizinho, de 17 anos, marcou o gol de empate em 1 a 1 já aos 44 minutos do segundo tempo

Quem disse que santo de casa não faz milagre? Luizinho, atleta que vem da base do Bruscão – revelado na escolinha do Carlos Renaux – marcou o gol de empate do quadricolor contra o Criciúma no Heriberto Hülse, que foi também seu primeiro gol como profissional, fazendo a equipe marcar um ponto importantíssimo fora de casa.

O duelo foi na noite desta sexta-feira, 16. Em jogo tecnicamente fraco, o Brusque saiu perdendo, mas aos 44 minutos conquistou o empate em 1 a 1, aproveitando que o adversário cansou e mostrou clara deficiência física e técnica. na reta final de partida. Com o empate, o Brusque facilitou o encaminhamento para permanecer na Série A do Catarinense e ainda manteve o Tigre lá embaixo, perto da zona de rebaixamento.

Bola flutuante
No primeiro tempo de confronto entre Criciúma e Brusque, no Heriberto Hülse, foi difícil ver a bola no gramado. As duas equipes tinham muita dificuldade em manter a bola no chão, e a maioria das jogadas eram chutões com cabeçadas infindáveis, além de uma grande poluição pelo lado esquerdo do ataque tricolor, um dos ambientes mais populados na etapa inicial.

O Brusque conseguiu construir algumas jogadas de ataque, mas diante do goleiro Luiz, os atletas de frente deram alguns apagões que custaram caro. Cruzamentos errados e finalizações ruins impediram que a torcida do Bruscão gritasse gol no primeiro tempo.

Depois de um começo equilibrado, o Criciúma passou a pressionar. Dida precisou espalmar uma bola difícil, no giro de Zé Carlos com complemento para o gol. Mas, aos 30 minutos, justamente quando o Criciúma abandonou o lado esquerdo e arriscou no lado direito, saiu o gol: Sueliton cruzou linda bola, Dida não achou nada, e Zé Carlos, o homem gol do Tigre, cabeceou para as redes fazendo o primeiro.

A partir daí, os dois times mostraram porque estão tão abaixo na tabela. Faltou criatividade ao Brusque, e o Tigre se acovardou. Mesmo nas jogadas em que o quadricolor vinha conseguindo construir gols, como a bola parada, não teve capricho. Uma falta cobrada por Jean Dias, que não foi nem cruzamento e nem chute direto, foi prova disso. Melhor para o Tigre, que conseguiu segurar o resultado até o fim de primeiro tempo.

Contra a lógica
Tudo se desenhava para uma derrota do Bruscão no segundo tempo com diversos acontecimentos nada bons para a equipe. Hélio Paraíba pediu para sair sentindo a coxa, Jean Dias jogou no sacrifício após sofrer pisão e as entradas que Pingo promoveu foram mais por necessidade do que por estratégia.

Mesmo assim, o time teve raça e determinação em busca do gol de igualdade na casa do Tigre. Por sorte, o adversário apresentou claro cansaço físico. Os atletas tricolores não conseguiam segurar mais o ímpeto do Bruscão e foram cedendo espaços. Contudo, faltava o capricho na finalização, principalmente após a saída de Hélio.

Mas a vontade superou a lógica. Jean Dias, ainda machucado, cruzou bola da direita, Douglas escorou mas não conseguiu marcar, e a bola sobrou com o baixinho Luizinho, aos 44 do segundo tempo. Ele não teve duvida e cabeceou para surpreender Luiz e marcar o gol da igualdade. O time ainda teve chances de virar e sair vitorioso no Heriberto Hülse, mas, embora não tenha conseguido colocar mais a bola na rede, o ponto fora de casa contra um adversário direto na luta contra o rebaixamento foi muito comemorado.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio