Conteúdo exclusivo para assinantes

Com problemas estruturais, rodoviária e terminal de Brusque passarão por reforma

Telhado da rodoviária é considerado o ponto mais crítico; obras devem iniciar em duas semanas

Com problemas estruturais, rodoviária e terminal de Brusque passarão por reforma

Telhado da rodoviária é considerado o ponto mais crítico; obras devem iniciar em duas semanas

Problemas na estrutura da rodoviária e do terminal urbano motivaram a abertura de licitação de materiais e contratação de empresa para reforma dos prédios. O telhado é considerado o ponto mais crítico e já tem recebido reparos pontuais com as telhas retiradas do pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof.

Além dos problemas estruturais, o vandalismo é outro problema recorrente, tanto na rodoviária quanto no terminal. Neles, é possível constatar portas riscadas e quebradas, além de dispensers de sabonete e torneiras danificadas. Problemas do tipo chegaram a causar, no início do mês passado, o fechamento do segundo piso da rodoviária durante a noite.

Funcionários de empresas atuantes na rodoviária relatam que os problemas com o telhado são menos frequentes que anos anteriores, mas ainda causam transtornos. Trechos próximos aos boxes e aos pontos de táxi costumam ficar molhados na parte interna. As melhorias ocorreram há cerca de um ano.

Hoje já há uma empresa contratada e a maioria dos materiais de reformas cotados. “Hoje, 90% dos produtos estão licitados”, estima o diretor do Departamento de Patrimônio, Valdir da Silva. Segundo ele, a previsão é que os serviços iniciem em cerca de duas semanas.

Serviços simultâneos
A tendência, afirma o diretor, é que os serviços sejam executados de forma simultânea nos dois locais, dependendo da disponibilidade de itens necessários. Como os padrões de telhas do terminal e do pavilhão são os mesmos, a prefeitura tem aproveitado parte dos materiais, que estão sendo reutilizados desde a semana passada.

Nos telhados, primeira etapa dos trabalhos, as equipes farão a limpeza e troca das telhas danificadas. O passo seguinte é uma revisão dos sistemas hidráulicos e elétricos dos prédios, além de substituição dos materiais quebrados. A pintura também será refeita.

Banheiro alagado
O rompimento da tubulação de água deixou o banheiro feminino da  rodoviária alagado na sexta-feira, 30. O uso do local precisou ser suspenso por cerca de duas horas, durante o período uma equipe de plantão do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) fez a troca e o calço da tubulação.

Com o rompimento, a água vazou na laje sobre o banheiro. Como ela é divida por vigas, houve o acúmulo de água e o local precisou ser drenado. Parte do material escorreu pelas luminárias até a área dos boxes. Depois dos reparos emergenciais, ainda na sexta-feira, o local teve acabamentos no início desta semana.

Segundo o coordenador da rodoviária, Eliseu Müller, os danos da tubulação foram causados pela pressão da água e problemas na instalação original. Pelas estimativas dele, cerca de seis metros dos canos de 60 milímetros ficavam suspensos, o que pode ter prejudicado a estrutura.

Apesar dos transtornos gerados em um período com grande circulação de pessoas na rodoviária, Müller ressalta a agilidade de atendimento o empenho da equipe em deixar o local em boas condições para os usuários. “É um banheiro público, mas sempre tentamos deixar ele em um estado que as pessoas possam usar sem reclamações”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio