Comércio registra queda de 35,5% nas vendas de inverno em relação ao ano passado

Pesquisa da Fecomércio mostra que a redução das vendas foi sentida por 88,7% dos empresários

Comércio registra queda de 35,5% nas vendas de inverno em relação ao ano passado

Pesquisa da Fecomércio mostra que a redução das vendas foi sentida por 88,7% dos empresários

O comércio de vestuário e calçados registrou uma redução de 35,5% no volume de vendas com o calor fora de época em Santa Catarina. Como o comércio baseia suas estratégias nas estações do ano, as altas temperaturas prejudicaram a saída dos artigos sazonais de inverno, uma perda que foi sentida por 88,7% dos empresários entrevistados pela Federação do Comércio do Estado de Santa Catarina (Fecomércio).

“Os dados são relevantes porque demonstram as várias alternativas de estratégia que o empresário pode e deve adotar em momentos que exigem maior planejamento, como o atual”, afirma o presidente da Fecomércio, Bruno Breithaupt.

Em Brusque, o inverno mais quente dos últimos três anos também refletiu nas vendas de grande parte dos lojistas do município. “Nós sentimos bastante. De um inverno para o outro, as nossas vendas caíram cerca de 50%. Esse ano foi muito ruim, juntou a falta de frio com a situação econômica das pessoas. As duas coisas influenciaram”, afirma Esmeralda Vilamosky de Souza, da loja Agito.com.

De acordo com ela, a coleção primavera verão da loja foi antecipada para o início de setembro para tentar recuperar as vendas. “A nossa esperança agora são as vendas de primavera verão. Já substituímos os produtos da loja e é só torcer para que o calor permaneça. Tomara que o frio não venha agora”, destaca.

A gerente da Cia Way, Juliana Bastiani, também destaca as vendas fracas durante o inverno. “Estava muito parado mesmo, sentimos bastante diferença em relação ao ano passado. Aqui na loja, o foco no inverno foi mesmo as roupas pesadas, então foi bem complicado. As pessoas até compravam, mas em menor quantidade. Acredito que a condição financeira também influenciou essa baixa no movimento”, diz.

Na loja, a troca de coleção aconteceu nesta semana, e a gerente também espera recuperar o movimento com as vendas de primavera verão. “Essa semana começou entrar a nova coleção. No verão é mais fácil vender, porque mesmo que não esteja tão quente, as pessoas compram uma blusinha pra usar por baixo. Já no inverno isso não acontece. Esperamos que o tempo permaneça bom”.

Ao contrário da maioria das lojas que investiram em coleções pesadas para o inverno, a Orion Mix, apostou em looks mais suaves e, por conta disso, não sentiu tanto a falta do frio. “A nossa coleção estava mais leve, não veio tanta coisa grossa, então não sentimos tanto quanto as outras lojas. Agora é só torcer para que o calor permaneça”, destaca a gerente, Fabiana da Silva Ventureli.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio