Comunidade se solidariza com cinco crianças que perderam a mãe

Pequenos estão sob os cuidados da tia, no Cedrinho, que os cria com a ajuda de uma amiga

Comunidade se solidariza com cinco crianças que perderam a mãe

Pequenos estão sob os cuidados da tia, no Cedrinho, que os cria com a ajuda de uma amiga

Cinco crianças do bairro Cedrinho, que perderam a mãe no mês passado devido a um câncer de mama, contam com a solidariedade da comunidade brusquense para superar esse momento de dor. Kauãn César, 13 anos, Camila Milena, 11, Raissa Chaiane, 8, Larissa Isabely, 6, e Emily Vitória, 3, estão sob os cuidados da tia Claudete da Luz Corrêa, 35.

Com o esposo e três filhos, Claudete, que é zeladora de um condomínio, divide uma antiga e pequena casa de madeira com os sobrinhos, que ela cuida como se fosse mãe.

“Confesso que não está sendo fácil. Mas é gratificante poder fazer o que a minha irmã me pediu antes de morrer. Estamos fazendo e faremos tudo o que pudermos”, diz.

Marisete da Costa, 33, irmã de Claudete, sofreu durante quatro anos com um câncer nos seios e faleceu no dia 22 de fevereiro. Ela chegou a retirar as duas mamas, porém, o câncer acabou se espalhando por todo o corpo. Marisete ficou internada no Hospital Santo Antônio, em Blumenau, praticamente desde o começo do ano. No fim de janeiro, observando que seu estado de saúde se agravava, pediu à Claudete que criasse seus filhos se morresse, pedido este que voltou a ser feito com maior intensidade dias antes de morrer.

“Foi só tristeza, até o último instante eu tinha fé na cura, que pudesse se recuperar e cuidar dos filhinhos dela. Mas infelizmente não foi assim, mas cuidarei das crianças como meus filhos”, diz Claudete, que durante cinco anos morou numa residência ao lado da irmã.

Neste quase um mês desta “nova vida”, Claudete conta com a ajuda de amigos e da comunidade de Brusque para conseguir organizar a rotina de alimentação e escola, e dar conta de zelar pelos cinco sobrinhos. A maior dificuldade da zeladora é referente ao espaço, já que a casa possui apenas dois quartos, uma sala, uma cozinha e uma lavanderia. Atualmente as quatro crianças menores dormem na sala e o sobrinho mais velho na casa ao lado, de uma madrinha da igreja.

Daiane Benso

Ponte de amor
Porém, a generosidade dos brusquenses e de moradores de Botuverá e Guabiruba tem sido demonstrada fortemente neste momento. Adriana Guckert, 43, aposentada por invalidez, é amiga de Claudete e esteve junto com ela no período de doença de Marisete. A mulher buscou ajuda durante os últimos quatro anos para as crianças e agora, mais do que nunca, está sendo uma “ponte” de solidariedade. Adriana, pessoalmente e por meio da rede social Facebook, conseguiu cama beliche, fogão, guarda-roupa, máquina de lavar para a família antes mesmo de Marisete falecer.

Mas a novidade que mais mexeu com o coração da família, foi que o espaço maior, que eles tanto necessitavam, foi conquistado. Adriana conversou nos últimos dias com um empresário do ramo da construção civil, pedindo ajuda para que aumentasse a casa. No entanto, o empresário, que prefere não se identificar, se comprometeu a iniciar a construção de uma nova casa de madeira, com piso, e quatro quartos. “É uma bênção.
Um presente de Deus. Eu sempre digo que Brusque é um paraíso aqui na terra, quando precisamos de um socorro, temos”, diz Claudete.

Para Adriana, poder ajudar a amiga é a forma de agradecer a Deus pela cura de dois cânceres na mama, em 2010 e 2014. “Eu sempre gostei de ajudar as pessoas e hoje estou curada e fiz um propósito com Deus que ajudaria eles. Eles são meus filhos do coração”, diz.

Além da construção da casa, as crianças já receberam ajuda de uma cabelereira, que cortou o cabelo de todos, bem como, iniciaram gratuitamente um tratamento psicológico no Centro Universitário de Brusque (Unifebe). A advogada, que cuida do caso e da situação legal dos pequenos, também ajuda voluntariamente. A família preferiu não comentar sobre o pai das crianças.

“Minha missão é cuidar dos meus sobrinhos e farei isso com ajuda e carinho do povo, com este afeto, e com a fé do meu coração. O que eu faço para os meus filhos, farei até o meu último dia de vida”, destaca Claudete.


Como ajudar
Para ajudar as crianças com qualquer item – como alimentos e roupas -, entre em contato com Claudete: 992-819-774 ou com Adriana: 991-083-363.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio