Confraternização marca abertura oficial da 20ª edição dos Jogos Abertos Comunitários de Brusque

Disputa vai até o dia 10 de agosto, e deve envolver cerca de quatro mil atletas.

Confraternização marca abertura oficial da 20ª edição dos Jogos Abertos Comunitários de Brusque

Disputa vai até o dia 10 de agosto, e deve envolver cerca de quatro mil atletas.

A 20ª edição dos Jogos Abertos Comunitários de Brusque (Jacobs) iniciou oficialmente na noite desta sexta-feira, 5 de julho, com a cerimônia de abertura da competição. A tocha que simboliza o começo do campeonato foi acesa pela atleta brusquense Cintia Molinari, do tênis de mesa, em confraternização realizada no salão nobre da Sociedade Beneficente e Recreativa Santos Dumont. Estiveram presentes representantes das 27 comunidades que participam da disputa. O encerramento está previsto para o dia 10 de agosto.

O prefeito, Paulo Eccel, o superintendente da Fundação Municipal de Esportes (FME), Alessandro Simas, e representantes do poder público estiveram presentes. Entres eles, a líder do governo na Câmara, vereadora Marli Leandro (PT), e o presidente da casa, Guilherme Marchewsky (PMDB). O vereador Valmir Ludvig (PT) foi o responsável por animar os presentes ao cantar alguns clássicos da música popular brasileira.

GALERIA

Eccel lembrou do espírito esportivo da disputa, elogiou os líderes da comunidade, pediu lealdade no esporte e cobrou um envolvimento de todos nos jogos. “Muitos que estão aqui a gente já conhece. Muitas vezes vieram falar conosco sobre determinado problema do seu bairro. Esperamos que vocês demonstrem este mesmo vigor e garra nos esportes”, pediu. Ele ainda ressaltou a presença do idealizador do evento, o ex-prefeito da cidade, Danilo Moritz. “Agradeço a sua presença e parabenizo a sua ideia de 20 anos atrás que ainda hoje vigora”, disse.

Moritz lembrou que veio de uma comunidade muito ligada ao esporte, o que serviu de incentivo para a criação da competição. “O Guarani sempre foi o maior campeão de futsal, bocha, e eu achava que isso deveria acontecer em todos os bairros. Daí nasceu a ideia de fazer uma Olimpíada Municipal. Depois reunimos a equipe e surgiu o nome de Jogos Comunitários”, conta. “Foram os primeiros Jogos Comunitários de Santa Catarina. Hoje, dezenas de municípios copiaram a ideia. É uma prática de quase todo estado”, se orgulha.

O ex-prefeito também fez questão de destacar pessoas que foram fundamentais para que a competição se tornasse realidade. “Não podemos esquecer do nosso diretor de esportes, Inácio Schwartz, e do ex-secretario  de Educação, padre Nestor Archer, um entusiasta do esporte. Eles e outras pessoas, como Delmar Tondolo, nos ajudaram para transformar este sonho em realidade”.

Alessandro Simas comentou a evolução que a competição vem tendo ao longo dos anos. “No início era mais simples, menos modalidades. Agora existe toda uma estrutura de organização. São 30 dias, e isso vem ano a ano melhorando. Existe também uma organização maior das comunidades”, diz.

O superintendente da FME destacou que a ideia da competição é, sobretudo, manter o espírito de relacionamento entre os membros da comunidade. “Eu e o seu Ingo Fischer lembramos de cada edição que nos encontrávamos em uma mesa de truco para bater papo e tomar uma cerveja durante as três noites. Os Jogos Comunitários têm este espírito. Além de ser uma competição, é um momento de encontro entre pessoas que não se veem durante o ano”.

Os vereadores Guilherme Marchewsky e Marli Leandro ressaltaram a importância dos jogos para comunidade brusquense, e o envolvimento da população antes mesmo do início da competição. “É muito importante a gente ver os Jogos Comunitários não morrer e ser realizado ano após ano”, disse Marchewsky, antes de parabenizar a comunidade e o poder público municipal. “A gente leva para sempre as novas amizades, mesmo que seja através das competições”, comentou Marli.

Homenagem
Danilo Moritz recebeu uma medalha por idealizar os jogos. Outras personalidades também foram homenageadas. Rubens Kindota representou o bairro Maluchê, a primeira comunidade a ganhar cinco vezes alternadas os Jacobs e, consequentemente, a ficar com o troféu definitivo da competição. 

O diretor da FME, Delmar Tondolo também foi prestigiado por contribuir deste a primeira edição dos Jacobs. A atleta Maria Terezinha Horner, do bairro São Pedro, ganhou destaque por participar de diversas edições dos jogos. Jonas de Marchi, do Águas Claras, foi o responsável por fazer o juramento.


Edição 2013
A edição de 2013 dos Jacobs deve envolver cerca de quatro mil atletas. A primeira foi em 1994 e teve como vencedor o bairro Bateas. É o único título da comunidade até hoje. O Maluche é o que possui mais conquistas. São dez, seguido pelo Santa Rita, com quatro.

O atual campeão é o São Pedro. O bairro também levou o título em 2011. Caso vença novamente este ano, será a segunda comunidade a ficar em definitivo com o troféu transitório – concedido ao bairro que conquista a competição três vezes consecutivas ou cinco alternadas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio