Conheça a cozinha do restaurante oficial da 32ª Fenarreco

Até domingo, 8, restaurante já havia vendidos, aproximadamente, cinco mil pratos

  • Por Redação
  • 14:06
  • Atualizado às 15:03

Conheça a cozinha do restaurante oficial da 32ª Fenarreco

Até domingo, 8, restaurante já havia vendidos, aproximadamente, cinco mil pratos

  • Por Redação
  • 14:06
  • Atualizado às 15:03
  • +A-A

São 10 toneladas de marreco, dois mil quilos de chucrute, outros dois mil de repolho. Some ainda três toneladas de recheio de marreco, 3,5 toneladas de batatas e junte 720 quilos de mostardas e 200 de raiz forte. Esta é a base da receita para servir turistas e brusquenses no restaurante oficial da 32ª Fenarreco.

Durante a festa a cozinha não para. São 10 fornos ligados 24 horas. “A equipe que assa os marrecos começa por volta de 23 horas. Os demais chegam às 4 horas da madrugada para que às 11 horas tudo esteja pronto”, explica Gabriel Merizio, responsável pela logística do restaurante.

Mas o trabalho para alimentar turistas curiosos pelas iguarias, como o marreco recheado e o eisbein, começa ainda mais cedo: cerca de três semanas antes do evento. “O recheio do marreco é produzido por nós mesmos e já é feito alguns dias antes”.

A temperatura ambiente da cozinha pode passar dos 45 graus e nos finais de semana cerca de 70 pessoas, entre garçons, recepção e produção juntam-se para fazer cinco pratos a la carte diferentes, além do buffet, composto por uma variedade de carnes, guarnições, frios e saladas.

A novidade este ano é o marreco crispy, tiras empanadas de marreco, com molho barbecue e de ervas. “São duas toneladas deste prato. E os visitantes estão gostando muito. Já estamos pensando no que inovar para o próximo ano”.

Tanto trabalho não decepciona. Somente até domingo, 8, foram vendidos aproximadamente cinco mil pratos, que foram saboreados e elogiados. “Os turistas sempre pedem para ver o prato antes, pois a maioria não conhece. Mas ao fim a comida é aprovada”.

O representante comercial Thiago Scalcon veio com o amigo Max Gamassini de Porto Alegre (RS) e aproveitaram para saborear um marreco recheado. “É muito bom. É a primeira vez que comi e achei delicioso. A festa também está muito bacana. Somos de origem italiana e estamos conhecendo um pouco da cultura alemã”, finaliza Thiago.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio