Conheça histórias de casais que se conheceram depois dos 60 anos

Neste Dia dos Namorados, Jornal Município Dia a Dia foi buscar histórias de quem encontrou um novo amor e descobriu que relações duradouras nesta fase da vida contribuem para a saúde

Conheça histórias de casais que se conheceram depois dos 60 anos

Neste Dia dos Namorados, Jornal Município Dia a Dia foi buscar histórias de quem encontrou um novo amor e descobriu que relações duradouras nesta fase da vida contribuem para a saúde

O Jornal Município Dia a Dia foi buscar histórias de quem encontrou um novo amor depois dos 60 anos e descobriu que relações duradouras nesta fase da vida contribuem para a saúde dos apaixonados.

De acordo com Ricardo Koszuoski, médico geriatra, namorados sexagenários tendem a ter uma melhora na saúde porque o envolvimento afetivo traz segurança emocional, o que ajuda na estabilização das doenças crônicas.

É o caso de dona Gisela Imhof, 74 anos, e João Gomes, 85 anos, que estão “namorando” há aproximadamente quatro meses e já sentem os benefícios da relação.

– Fiquei mais feliz, tenho mais ânimo para a vida. Peço a Deus que me dê mais vida para curtir esse amor, que é sincero e maduro – afirma Gisela.

Segundo o médico geriatra, é comprovado cientificamente que laços afetivos duradouros, como o casamento, contribuem para o aumento da expectativa de vida e para a diminuição no índice de doenças.

João e Maria Pavesi estão casados há oito anos e contaram à repórter Sarita Gianesini que assina a reportagem da edição desta terça-feira, 12 de junho, que o amor fez bem a ambos. Ele tem 91 anos, e ela está com 74.

– Acertei na loteria, porque esse não bebe, não fuma, é um doce de côco. O que é verdade, a gente tem que dizer, não é? – exalta Maria.

Ricardo Koszuoski observa que no Brasil, de cada dez mulheres acima de 60 anos, seis não têm mais o companheiro e, destas seis, quatro são viúvas, uma é solteira e uma é separada. Já para os homens, o índice de solidão acima de 60 anos é menor: somente 17%, o que significa menos de dois homens a cada dez.

Outro dado interessante informado pelo geriatra é que num segundo casamento, os homens geralmente buscam mulheres, em média, vinte anos mais jovem que a primeira. Já no caso das mulheres, elas geralmente casam pela segunda vez com um homem mais velho do que o primeiro marido.

**Leia a matéria completa na edição impressa do Jornal Município Dia a Dia desta terça-feira, 12 de junho.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio