Conheça os ministros do governo de Jair Bolsonaro

Os 22 indicados tomam posse de seus cargos na quarta-feira, 2

Conheça os ministros do governo de Jair Bolsonaro

Os 22 indicados tomam posse de seus cargos na quarta-feira, 2

Após a solenidade de posse do presidente Jair Bolsonaro, os ministros indicados por ele foram nomeados para seus respectivos cargos. Ainda no período de transição, ele definiu 22 ministérios, número inferior aos 29 do governo anterior. Os novos ministros foram nomeados em cerimônia no Palácio do Planalto nesta terça-feira, 1º. As transmissões de cargo ocorrerão na quarta-feira, 2.

Conheça os ministros:

Minas e Energia: Bento Costa Lima Leite
Bento Costa foi o 20º ministro anunciado por Bolsonaro. A indicação foi feita diretamente pelo presidente eleito, em sua conta no Twitter. O Almirante de Esquadra chefiava o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) e o Programa Nuclear da Marinha (PNM). Ele é pós-graduado em Ciência Política pela Universidade de Brasília (UnB), além de possuir MBA em Gestão Pública pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Marinha do Brasil

Mulher, Família e Direitos Humanos: Damares Alves
Advogada e pastora evangélica, Damares Alves era assessora do senador Magno Malta (PR-ES), figura atuante na campanha de Bolsonaro. Ela também assessorava a área jurídica da Frente Parlamentar Mista da Família e Apoio à Vida e da Frente Parlamentar de Combate às Drogas. Ela é secretária Geral do Movimento Nacional Brasil Sem Aborto, conselheira do Movimento Nacional Brasil Sem Drogas e fundadora do Movimento ATINI – Voz pela Vida, de proteção e defesa da criança indígena. Em fevereiro de 2018, ela esteve em Brusque e concedeu entrevista a O Município.

Natália Huf

Casa Civil: Onyx Lorenzoni
Médico veterinário e deputado federal há quatro mandatos. Em 2016, foi relator do pacote de medidas anticorrupção. É integrante da Frente Parlamentar da Segurança Pública.

Divulgação

Economia: Paulo Guedes
Fundador do Instituto Millenium, o economista com PHD pela Universidade de Chicago assume seu primeiro cargo político. É um dos sócios do Grupo Bozano e foi um dos fundadores do Banco Pactual S.A, assim como do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC).

André Valentim/Divulgação

Defesa: Fernando Azevedo e Silva
O general da reserva é assessor especial do gabinete da presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante a carreira, foi chefe do Estado Maior do Exército e comandou a Brigada Paraquedista.

Tomaz Silva-Agência Brasil

Ciência e Tecnologia: Marcos Pontes
O único astronauta brasileiro a ir para o espaço é tenente-coronel da Força Aérea Brasileira. Hoje, na reserva, Pontes atua como embaixador da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Desenvolvimento Industrial. É formado em engenharia aeronáutica pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Divulgação

Justiça e Segurança: Sérgio Moro
Outro estreante na política, o ex-comandante da 13ª Vara Criminal Federal de Curitiba, exercia o magistrado federal há 22 anos. Graduado pela Universidade Estadual de Maringá, como juiz atuou em casos como do Banestado, Operação Farol da Colina e Operação Lava Jato.

Fábio Rodrigues Pozzebom /Agência-Brasil

Agricultura: Tereza Cristina
Ela presidia a Frente Parlamentar da Agricultura. O setor é conhecido de Cristina, que atuou como secretária de Desenvolvimento Agrário da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo de Mato Grosso do Sul. Sua formação acadêmica é Engenharia Agronômica, pela Universidade Federal de Viçosa (Minas Gerais).

Divulgação

Turismo: Marcelo Álvaro Antônio
Em seu segundo mandato como deputado federal, Antônio chega para ocupar o cargo de ministro tendo sido o mais votado por Minas Gerais. É um dos integrantes da frente parlamentar evangélica no Congresso.

Câmara dos Deputados

Relações Exteriores: Ernesto Fraga Araújo
Diplomata e diretor do Departamento de Estados Unidos, Canadá e Assuntos Interamericanos do Itamaraty. É graduado em Letras pela Universidade de Brasília e autor de cinco livros.

Valter Campanato/ Agência Brasil

Ministério do Desenvolvimento Regional: Gustavo Canuto
Escolhido para chefiar o ministério que une os antigos ministérios, Canuto fez carreira dentro do Ministério do Planejamento. Ele é especialista em Políticas Públicas e Gestão Governamental e chefiou o gabinete da Secretaria de Aviação Civil e do Ministério da Integração Nacional.

Valter Campanato/Agência Brasil

Cidadania e Ação Social: Osmar Terra
Terra já foi ministro durante o governo Temer. Ele é médico de formação, mas tem na política uma trajetória que vem desde 1993. Como ministro do Desenvolvimento Social ele criou o programa Criança Feliz.

Luís Macedo/Câmara dos Deputados

Ministério da Infraestrutura: Tarcísio Gomes de Freitas
Foi diretor-executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit) durante o governo de Dilma Rousseff. Seu início na carreira como servidor público foi como auditor da CGU. Freitas é formado em Engenharia Civil pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Na carreira militar ainda foi engenheiro da Companhia de Engenharia Brasileira na Missão de Paz no Haiti.

Divulgação

Gabinete de Segurança Institucional: Augusto Heleno
O general chegou a ter o nome cogitado para vice-presidência. Liderou a missão de paz da ONU, no Haiti. Heleno já chefiou o Departamento de Ciência e Tecnologia do Exército. Já foi comandante militar da Amazônia e faz parte da reserva desde 2011.

Agência Brasil

Banco Central: Roberto Campos Neto
Com uma trajetória no ramo bancário, o economista, com especialização pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles, EUA, era executivo do Santander.

Divulgação

Saúde: Luiz Henrique Mandetta
O ortopedista pediátrico fez carreira no estado do Mato Grosso e é deputado desde 2011. Sua escolha foi elogiada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Alex Ferreira/Câmara dos Deputados

Secretaria-Geral da Presidência: Gustavo Bebianno
Advogado e faixa preta de jiu-jitsu, foi uma figura recorrente durante a campanha política de Bolsonaro. No ano de 2017 se ofereceu para defender o presidente eleito nos processos jurídicos de graça. Com a aproximação dos dois assumiu a presidência do PSL, posição que ocupou até outubro.

José Cruz/Agência Brasil

Advocacia-Geral da União: André Luiz de Almeida Mendonça
Também advogado, Mendonça tem carreira dentro da Controladoria Geral da União desde 2000. Ele também exerceu a função de procurador seccional da União em Londrina, Paraná. Possui pós-graduação em Governança Global e já coordenou a área disciplinar da Corregedoria da AGU.

AGU

Secretaria de Governo: Carlos Alberto dos Santos Cruz
O general-de-divisão Carlos Alberto dos Santos Cruz é formado pela Academia Militar das Agulhas Negras. Ele comandou as tropas da ONU na Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti de 2007 a 2009. Passou para a reserva do Exército Brasileiro em 2012, quando assumiu a Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE) da Presidência da República. Acabou sendo chamado de volta logo no ano seguinte e foi escolhido para chefiar as tropas na Missão das Nações Unidas para a Estabilização da República Democrática do Congo.

Mateus Bonomi/AGIF

Educação: Ricardo Vélez Rodríguez
Nascido em Bogotá, na Colômbia, Rodríguez é naturalizado brasileiro desde 1997. No seu país natal foi Pró-Reitor de Pós-Graduação e Pesquisa da Universidade de Medelim. Já no Brasil ele acumula entre seus títulos o de professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército. Também atua como professor da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Reprodução

Ministério do Meio Ambiente: Ricardo de Aquino Salles
Ex-secretário de Meio Ambiente de Geraldo Alckmin, em São Paulo, Salles foi um dos fundadores do Movimento Endireita Brasil. Ele é formado em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e cursou pós-graduação nas universidades de Coimbra e de Lisboa. Também possui especialização em Administração, pela Fundação Getúlio Vargas.

Sistema Ambiental Paulista

Transparência e Controladoria Geral da União: Wagner de Campos Rosário
Formado em Ciências Militares pela Academia das Agulhas Negras e com mestrado em Combate à Corrupção e Estado de Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha, Rosário será mantido no cargo que já ocupa desde 2017. Ele também teve carreira militar, durante 27 anos, ocupando o posto de capitão e foi chefe do Serviço de Fiscalização de Produtos Controlados no estado do Espírito Santo.

Fernando Frazão/Agência Brasil
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio