Convento Sagrado Coração de Jesus comemora 90 anos

O marco da comemoração será a Festa das Vocações nos dias 7 e 8 de novembro

Convento Sagrado Coração de Jesus comemora 90 anos

O marco da comemoração será a Festa das Vocações nos dias 7 e 8 de novembro

O Convento Sagrado Coração de Jesus comemora, nesse ano, 90 anos de história. Fundada em 3 de junho de 1924, a tradicional entidade de Brusque atua, desde então, na formação do clero. “A primeira função da casa é ajudar na formação dos seminaristas e fazer com que cresça neles esse amor a Jesus. Esse é o nosso maior desejo desde o princípio. Além de amar a Jesus, é preciso também amar ao povo. Não tem como ser um pastor verdadeiro se não está com o povo”, explica o diretor do Convento, o padre Luciano José Toller. A Casa conta hoje com 20 seminaristas, com idades entre 18 e 32 anos, além de seis sacerdotes, sendo dois deles – padre Toller e padre Marilton Nuss – responsáveis pela formação dos jovens.

O seminarista Leandro Iargas, 32 anos, está no Convento há oito meses. Ele explica que os jovens possuem diversas atividades diárias, como a manutenção da casa, a graduação do curso Filosofia na Faculdade São Luiz, curso de línguas, formação na própria casa e trabalhos pastorais. “É algo que não tem palavras para explicar. Só depois de estar aqui dentro que se percebe quão grandioso é. Me sinto muito feliz em estar na casa, estar no meio do povo, você se sente revigorado, com mais força. É muito gratificante. Aqui é o contínuo construir: a cada etapa vamos colocando um tijolinho para seguirmos a nossa vocação”.

Os jovens permanecem no Convento por três anos – tempo de duração do curso de Filosofia. Esse é um período de dissernimento, de orientação e de firmação vocacional. Padre Toller afirma que durante essa fase o contato com a comunidade é fundamental para o futuro sacerdote. “É um trabalho de bastante interação com o público. É algo que os ajuda muito nesse crescimento vocacional e no desejo de ser sacerdote. Eles vêm o povo animado e a sede que o povo tem de Deus, que vale a pena seguir esse caminho por essa vontade que a população passa para eles”.

A procura
O diretor do Convento afirma que a procura por jovens para ingressarem no convento é expressiva e grande parte disso é motivado pela busca constante da espiritualidade. “Mesmo em um mundo globalizado, não voltado tanto para essa realidade religiosa, tem crescido muito essa procura. Há um desejo nas pessoas de espiritualidade. Essas pessoas procuram um lugar de sombra, de repouso para acalentar o coração dessa correria diária. Nessa busca por Deus, somos importantes como casa. Há uma tradição muito grande das pessoas que estão ligadas ao Convento. Essa casa sempre ajudou a alimentar a fé das pessoas, a crescer a devoção”.
Festa das Vocações

O Convento sempre foi referência para Brusque, Guabiruba e Botuverá. Por isso, há uma tradição de famílias que ajudam na manutenção da casa através de doações, chamadas de ‘benfeitoras’. Em reconhecimento a elas, há uma vez por semana uma missa com a participação dessas pessoas. “Sempre tem uma presença muito grande dessas famílias que caminham conosco. Isso nos ajuda muito, pois nos sentimos acompanhados. É uma parceria forte de pessoas que se importam com as vocações, com os sacerdotes e com os seminaristas e que nos auxiliam diariamente”, explica padre Toller.

Outra forma de ajudar a casa é através da Festa das Vocações, que ocorre uma vez por ano envolvendo as três cidades. Dessa vez, o evento – que será realizado nos dias 7 e 8 de novembro na comunidade Sagrado Coração de Jesus, no Guarani – tem uma motivação a mais: será o marco da comemoração dos 90 anos.

Linha do tempo

3 de junho de 1924

O pároco de Brusque, padre Germano Brand, lança a pedra fundamental do Seminário Menor dentro do terreno da Paróquia São Luiz Gonzaga.

15 de maio de 1924

Chegada dos sete primeiros alunos do denominado Colégio Sagrado Coração de Jesus. Em julho do mesmo ano, chega de Taubaté, o orientador de estudos do seminário, padre Inácio Burrichter, dando início as aulas em setembro. “Na época, para conseguir sustentar a casa, o padre Germano Brand comprou uma chácara na Volta Grade, em que produziu arroz e outras coisas para tirar o sustento da casa”, explica o historiador Paulo Vendelino Kons.

1932

Devido ao espaço ficar pequeno para o número crescente de alunos, foi construído um prédio para o Seminário Menor em Corupá. Nesse mesmo período, o superior regional da Missão, padre Pedro Storms, decidiu que em Taubaté se firmaria o estudo teológico dos seminaristas e em Brusque se faria o noviciado e os estudos filosóficos.
Ainda nesse ano, os primeiros noviços realizaram o noviciado e em 20 de fevereiro, às 8h30, após a profissão religiosa dos fratres, conforme Kons, teve início o primeiro curso de Filosofia do estado, sob direção do padre Roberto Bransiepe, que veio da Alemanha para essa finalidade.

1935

Fala-se na construção de um novo prédio para o Convento que, até então, ocupava o prédio do antigo Seminário Menor, inaugurado em 1925. O prédio é inaugurado em 28 de junho de 1942, tendo auxílio financeiro de diversas pessoas, inclsive do benemérito Cônsul Carlos Renaux.

1972

O atual prédio em que está localizado o Convento é a terceira edificação, sendo construída em função de problemas estruturais da então sede. A edificação foi feita em duas partes: o prédio 1 e o prédio 2. O primeiro foi finalizado em 1972, enquanto o segundo foi concluído dois anos mais tarde, ocupando o espaço do Campinho de Futebol Estrada Larga. Após isso, foi construído o campo de futebol do time do convento chamado Águia Negra, que ficou famoso e chegou a disputar partidas com clubes profissionais da época.

1973

A partir da criação do curso de Filosofia, em 1973 foi fundada a Fundação Educacional de Brusque (Febe), idealizado pelo padre professor doutor Orlando Maria Murphy e a Escola Superior de Estudos Sociais (Eses), que habilitava professores para o ensino de Educação Moral e Cívica, através do curso de Estudos Sociais. Ao longo de sua história, a Febe sempre contou, entre os seus colaboradores, com membros da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, tanto em cargos diretivos como em seu corpo docente.

2000

Em 2000, por questões de remanejamento interno, a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus resolveu criar sua própria instituição de Ensino Superior. “A Febe era praticamente uma instituição da Congregação. Com sua expansão, outras pessoas assumiram e em 2000 a Congregação retomou o curso de Filosofia e a Febe deixou de oferecer. Foi criada então a Faculdade São Luiz, continuadora direta do primeiro curso de Filosofia em Santa Catarina”, explica o historiador.

Curiosidades:

Passaram pelo Convento em Brusque:
Padre Léo
Arcebisto Dom Murilo Sebastisão Ramos Krieger
Padre José Fernandes de Oliveira (padre Zezinho)
Padre João Carlos Almeira (padre Joãozinho)
Padre Fábio de Melo

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio