Conteúdo exclusivo para assinantes
Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Correligionários esperam “lavação de roupa suja” após saída definitiva de Raimundo Colombo do governo do estado

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Correligionários esperam “lavação de roupa suja” após saída definitiva de Raimundo Colombo do governo do estado

Raul Sartori

Depois de sexta
Aquele passarinho veio dizer que, assim que Raimundo Colombo entregar definitivamente o cargo de governador do estado ao vice em exercício, Eduardo Pinho Moreira, nesta sexta-feira, 6, seus grupos de apoio e interesse, que nunca tiveram um entendimento realmente franco, poderão começar a lavar roupa suja de uma forma mais explícita, e publicamente. Umas roupas já estão ensaboadas, como se viu recentemente. Mas o distinto eleitor sempre se perguntará a que governo pertenciam: de Marte?

Dia D
Os brasileiros de bem devem acompanhar hoje, tensos, o julgamento no Supremo Tribunal Federal em que se decidirá se condenado em segunda instância, como Lula, o maior interessado, vai para a cadeia ou não. Caso não, Lula e milhares de criminosos de todo tipo (traficantes, pedófilos, assassinos, estupradores, etc.) também ficarão livres até o julgamento em terceira e quarta instância. Até lá, seus crimes estarão prescritos, lógico. Como anjos, a favor da prisão após condenação em segunda instância estão os ministros Luís Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Luiz Fux, Edson Fachin e (dúvida, ainda) Alexandre de Moraes. A favor, como demônios: Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes.

Deixe-me fora
Ouve-se deputados estaduais dizer “deixe-me fora” da relatoria de projeto, já em tramitação, de autoria do deputado Maurício Skudlark (PR), que propõe revogar o título de cidadão catarinense concedido ao ex-presidente Lula. Não será surpresa se ficar meses de cá para lá, até ser esquecido.

Tudo igual
Incautos e ingênuos leitores podem imaginar que o efeito da operação Lava Jato está servindo, pelo menos, como forte inibidor de novas ações de corrupção nos órgãos públicos. Não é bem assim. Os bastidores continuam sendo abastecidos de novas histórias, impublicáveis, porque ninguém as assume por motivos óbvios. Uma dessas iniciativas colocou à disposição de um empresário a boa vontade de realizar uma transação, desde que houvesse contrapartida de alguns milhões de argumentos vivos, condição à sua efetivação. O empresário em questão não concordou com esta linha de argumentação.

Finanças
Relatório da Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado, publicado ontem pela “Folha de S. Paulo”, relaciona SC, junto com Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Goiás, como Estados com graves problemas fiscais. Na escala de notas do Tesouro Nacional para avaliar o risco de crédito, que vai de A a D, SC tem C, que refuta, alegando que não deixou de pagar nenhuma parcela dos contratos de 2018.

Infiel
O deputado federal Jorge Boeira, tido como dos mais “infiéis” do PP na Câmara, responde dizendo que a direção nacional da legenda sempre deu liberdade individual de voto e que ele procura estar sempre alinhado aos anseios das bases que representa. Garante que vota também com sua consciência naquilo que acredita ser o melhor para a maioria do povo catarinense e brasileiro, e que continuará seguindo esta posição. Elegeu-se com estas convicções e as mantém. Que tenha sucesso.

Posse
Gaúcho de Porto Alegre, mestre e doutor em Direito pela UFSC, o desembargador Alexandre Luiz Ramos toma posse hoje como ministro do Tribunal Superior do Trabalho, em Brasília.

Paraíso
Muitos catarinenses não gostam quando o governo estadual se vangloria de conquistas na área de segurança, como a de agora, com a redução de 19,5% no número de homicídios no primeiro trimestre deste ano, comparativamente ao mesmo período do ano passado. Foram 227, contra 282 em 2017. Não gostam porque, ao passar a ideia de que aqui há menos violência, SC passa a atrair mais gente, boa e ruim, vindas de outras paragens. É, pode ser.

Omissão
O Senado fez segunda-feira uma sessão especial para comemorar a erradicação da febre aftosa no Brasil. O reconhecimento internacional da condição de país livre da doença deve vir agora em maio, durante reunião da Organização Internacional de Epizootias. Vários senadores foram à tribuna, menos os três catarinenses, nem que fosse para dizer que SC há 10 anos já tinha o título como único estado brasileiro livre da doença.

Tabuleiro
Içara comemora o tricampeonato de Ana Júlia Goulart Librelato no Campeonato Brasileiro de Xadrez Sub-18, garantindo vaga para o Mundial da categoria, em outubro, na Grécia. A lamentar que seja um caso isolado. Houve um tempo em que o xadrez era muito estimulado nas escolas de SC, competindo com o pingue-pongue. Os dois hoje estão praticamente banidos. O celular nocauteou a ambos.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio