Cresce a venda de carros automáticos em Brusque

Concessionárias afirmam que modelos já são os preferidos dos brusquenses

Cresce a venda de carros automáticos em Brusque

Concessionárias afirmam que modelos já são os preferidos dos brusquenses

Carros automáticos já estão no mercado há bastante tempo, no entanto, somente nos últimos anos é que a popularidade destes modelos começou a crescer em Brusque. Hoje, segundo as concessionárias consultadas pelo Município Dia a Dia, a preferência do brusquense na hora de adquirir um carro novo é pelo modelo com câmbio automático que, entre outras vantagens, proporciona mais conforto e segurança ao motorista.

Na Honda Takai, o vendedor Rafael Augusto Pontes afirma que 90% dos clientes já chegam procurando modelos automáticos. “É o que mais tem procura porque oferece muita comodidade. Hoje, devido ao estresse do trânsito, o conforto é essencial”, diz.

De acordo com ele, com o passar dos anos, algumas informações sobre os veículos automáticos foram desmistificadas, como por exemplo, o alto consumo de combustível, o que contribui para o aumento da procura. “Antes, os motoristas achavam que este tipo de carro consumia mais combustível, mas hoje sabemos que é ao contrário. Ele faz a troca de marchas no tempo certo, é o proprietário que se adequa ao carro”.

Na Takai, os veículos com câmbio automático mais procurados são HRV, Fit, Civic e City.

O vendedor da Uvel, Cristhian Vaccari, destaca que, na concessionária, a procura por modelos automáticos é grande e tem se intensificado nos últimos sete meses. “A procura sempre é gradativa, mas percebemos que nos últimos meses isso se difundiu. Hoje, temos muitos modelos com câmbio automático”.

Ele ressalta que, hoje, mais pessoas podem ter acesso a este tipo de veículo. “Há tempos atrás, somente os carros top de linha tinham câmbio automático. Hoje, temos carros a partir de R$ 60 mil, então conseguimos atingir um outro público também”.

Tendência de mercado

O proprietário da Uvel, Luiz Homero Zaninotto Júnior, afirma que a tendência é que nos próximos anos, os veículos automáticos dominem o setor, como já ocorre nos Estados Unidos. Para ele, é uma questão de tempo para que isso aconteça, assim como aconteceu com o ar-condicionado, airbag e vidros elétricos. “Há muitos anos, ninguém queria carro com quatro portas, hoje, 95% dos modelos tem quatro portas, depois veio o ar-condicionado que hoje equipa mais de 50% dos carros, o mesmo com o airbag e os vidros elétricos. Agora, estamos na fase do câmbio automático, que com certeza, vai se popularizar mais”.

Na Uvel, modelos conhecidos já podem ser encontrados com câmbio automático como o Onix e o Prisma a partir do 1.4, Cobalt a partir de 1.8, além da Spin, Cruze e S-10 diesel.

Na mesma linha, o proprietário da Bóca Mafra, Ambrósio Mafra Neto, diz que os modelos automáticos são uma tendência de mercado, já que as próprias montadoras estão produzindo cada vez mais veículos com esta tecnologia. “Antigamente, a proporção era 90% mecânico e 10% automático. Nos últimos anos, isso tem mudado. Acredito que agora estamos com uma proporção 70% para 30% e acredito que logo chegaremos no padrão contrário: a maioria automático e poucos mecânicos”.

Conforto e segurança

Na Hyundai Geração, o vendedor Ricardo Ferreira Barbosa afirma que a procura pelos modelos automáticos também é grande na concessionária. Segundo ele, os fatores que mais contribuem para que o cliente opte por um modelo automático é o conforto. Além disso, ele diz que um motorista que dirigiu a vida inteira com um carro manual, consegue se adaptar facilmente. “Quando a pessoa dirige pela primeira vez um automático, percebe na hora a diferença, e logo quer levar. É muito melhor que o câmbio manual”, diz.

Na concessionária, um dos modelos mais procurados na versão automática é o HB20 Hatch.

O gerente da Pegeout Strasbourg, Jassin Pazzini, destaca que várias vantagens levam o cliente a comprar o carro automático, entre elas, o conforto, a comodidade e também a segurança. Quem experimenta um automático, não quer mais saber de um manual, isso é fato. Tudo que é confortável tem mais saída, por isso essa crescente”.

Ele também lembra que a procura pelos modelos automáticos também têm crescido devido à isenção dada às pessoas portadoras de deficiência. “Muitas pessoas precisam de um carro automático e isso influencia muito. Há a necessidade e também o conforto”.  Na concessionária, os modelos mais procurados são o 208 e o 2008.

Diferenças de preço

A diferença de preço entre o veículo automático e o manual depende muito do modelo do veículo. Na Hyundai, a diferença fica em uma média de R$ 4 mil. Na Uvel, o carro automático fica entre R$ 3 a R$ 5 mil mais caro que o mecânico, assim como na Bóca Mafra. Na Takai, a diferença pode chegar a R$ 7 mil, já na Pegeout, o automático custa cerca de R$ 5 mil a mais que o manual.

Diferença entre câmbio automático e automatizado

À primeira vista, há poucas diferenças entre os câmbios automático e automatizado, mas elas existem e podem representar fatores importantes para decidir pela compra de um carro.

O câmbio automático convencional conta um equipamento chamado conversor de torque, que substitui a embreagem. Graças a este equipamento, todas as marchas são feitas pelo próprio carro, a partir da mudança de velocidade e da rotação do motor. A principal vantagem é o aumento no conforto ao dirigir, já que as trocas de marchas são feitas de forma suave, sem solavancos.

O câmbio automatizado, por sua vez, possui várias peculiaridades, inclusive a de reunir aspectos dos outros modelos. Um exemplo é que ele possui a mesma estrutura de um câmbio manual, inclusive embreagem. Só que esta não é acionada pelo motorista, e sim por um sistema eletrônico, que faz a troca das marchas, eliminando a necessidade do pedal. É um sistema mais barato que o automático, e por isso vem sendo cada vez mais procurado.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio