Cruzamento entre a rua Azambuja e as avenidas Dom Joaquim e Getúlio Vargas gera discussão

Cidadãos reclamam que o trânsito é intenso, da dificuldade dos pedestres e falam d anecessidade de um semáforo no local

Cruzamento entre a rua Azambuja e as avenidas Dom Joaquim e Getúlio Vargas gera discussão

Cidadãos reclamam que o trânsito é intenso, da dificuldade dos pedestres e falam d anecessidade de um semáforo no local

Quem precisa passar pelo cruzamento da rua Azambuja com as avenidas Dom Joaquim e Getúlio Vargas, também conhecido por ser o ponto onde está plantada a Figueira mais famosa de Brusque, precisa de atenção e cuidado. No local onde já existiu uma rótula e um semáforo, agora há apenas um canteiro pequeno que separa a árvore da vida. Há também alguns blocos de concreto espalhados pelo chão e algumas placas de trânsito. 

Para quem passa ou vive na região, seja morando ou trabalhando, o trânsito é caótico. O agrônomo Estevão Gamba Neto, de 61 anos, acredita que ainda vai acontecer um acidente grave no local.

– É uma loucura, os caminhões vêm muito rápido, a 100 por hora, e passam direto. Ainda vai morrer gente aqui – decreta. 

Muitos dos cidadãos que passam pelo local acreditam que a melhor solução seria a instalação de um semáforo no local.  

O diretor-presidente do Instituto Brusquense de Planejamento e Mobilidade (Ibplam), Alexandre Gevaerd, afirma que a situação do local é provisória, e revela que o projeto da nova rótula já existe. Ela deve ter cerca de oito metros de diâmetro e travessias protegidas para pedestres. De acordo com o secretário de Obras, Gilmar Vilamoski, o prazo de conclusão para a obra é de 90 dias. 

** Confira mais etalhes e opiniões na edição desta quarta-feira, 11 de abril, do Jornal Município Dia a Dia
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio