Um dos locais mais famosos para tomar banho no verão de Guabiruba é a cachoeira do Zimmermann, localizada no Lageado Alto. O acesso é a partir da primeira rua à direita, assim que se entra no bairro.

Após a estrada, que é boa parte de chão batido, o turista encontra uma propriedade rural, com galinhas, patos e cachorros, além de poucas casas, rodeadas pelo verde da floresta. O proprietário do local é o seu Ambrósio Zimmermann, bastante conhecido na região e que passou sua vida onde mora até hoje.

Após a área de banho, o riacho corre normalmente entre pedras e arvores | Foto: João Vítor Roberge

“No fim do ano, vem gente de todo lado: Balneário Camboriú, Nova Trento, São João Batista, todo mundo vem visitar, fazer piquenique, dá muito movimento”, conta. Para acessar a cachoeira, basta comunicar Zimmermann, que ele dará as instruções para seguir a trilha de dez minutos que dá acesso à principal queda d’água.

A cachoeira do Zimmermann possui sinalização do Corpo de Bombeiros e o proprietário está sempre em contato com a diretoria de Turismo de Guabiruba, buscando medidas de segurança e preservação. Ele próprio investe na segurança do local, instalando telas para evitar quedas em trechos nos quais a trilha é mais estreita e poderia causar acidentes devido ao desnível.

A cachoeira é cercada por paredões no meio da floresta | Foto: João Vítor Roberge

O diretor de Turismo, Andrei Müller, não recomenda que o local seja acessado por crianças. “É preciso muito cuidado, porque existem alguns desníveis durante a trilha. O acesso é fácil para adultos em geral, instrutores não são necessários. É uma trilha de um quilômetro que dura pouco mais de dez minutos.”

A queda d’água principal possui cerca de 5 metros de altura e dá um toque extra de beleza ao local. Rodeada por grandes árvores, passa a impressão de um recanto totalmente isolado da civilização. Só se ouve o barulho contínuo da água caindo.

“A gente sempre tenta deixar o ambiente mais limpo e seguro”, explica Zimmermann. | Foto: João Vítor Roberge

É possível se banhar sem problema no riacho cristalino, que possui quase que uma “lagoa” dentro de si, com profundidade adequada para recreação. Como em todo lugar do gênero, é sempre importante tomar cuidado com as pedras e com o solo da trilha de acesso.

Zimmermann conta que os visitantes costumam colaborar com a limpeza do local. No entanto, houve uma ocasião em 2017 na qual um grupo acabou ateando fogo no lixo, o que quase provocou um incêndio na floresta. “Aí não tem condições. É um perigo, têm abelhas próximas, poderia ter queimado tudo. Fomos apagar de mangueira, levamos baldes de água. Se acontecer outra vez, teremos que tomar uma providência mais severa”, explica.

Confira a cachoeira em vídeo:

Serviço

Cachoeira Zimmermann
Endereço:
 Rua Alois Zimmermann, bairro Lageado Alto
Acesso: Pelo bairro Lageado Alto, virando na primeira rua à direita assim que adentrar o bairro
Nível de dificuldade: Fácil. Não é recomendável a presença de crianças
Riscos: Mínimos. Atenção na caminhada pela trilha de acesso
Sinalização: Placa de aviso do Corpo de Bombeiros


Você está lendo: Cachoeira Zimmermann


– Introdução
– Minas Abandonadas
– Casa do Mel
– Carneiro Branco
– Mordida do Gigante
– Spitzkopf
– Mancha Branca
– Morro da Gueba
– Morro São José
– Serra do Paulo Kohler
– Morro Santo Antônio
– Trilha Graff
– Cachoeira Vicentini
– Cachoeira da Pedra Lisa
– Cachoeira da Lorena
– Cachoeira do Jerônimo

Deixe uma resposta