De virada, Brusque vence Metropolitano e segue na luta pelo título estadual

Em jogo de cinco gols, quadricolor buscou a vitória por 3 a 2 após sair atrás no placar; Belusso marca dois e é artilheiro do estadual

De virada, Brusque vence Metropolitano e segue na luta pelo título estadual

Em jogo de cinco gols, quadricolor buscou a vitória por 3 a 2 após sair atrás no placar; Belusso marca dois e é artilheiro do estadual

O Metropolitano tentou, abriu o placar, foi valente mas não resistiu ao Bruscão. O quadricolor fez mais uma vítima no Augusto Bauer ao vencer por 3 a 2 e se mantém na luta pelo título do Campeonato Catarinense. Belusso e Sabiá marcaram duas vezes e são os artilheiros do estadual, com oito gols.

Etapa de emoções
Bem como contra o Criciúma, o Brusque começou a partida de maneira atônita. O torcedor já tinha se acostumado a encontrar um time brigando por todas as bolas e apertando a marcação, mas não foi o que viu nos primeiros 15 minutos de jogo. Dando espaços para o Metrô de Mauro Ovelha contra-atacar à vontade, não demorou para que o golpe fosse aplicado: aos 13, em cobrança de falta, o baixinho Sabiá subiu tranquilo e sem marcação para cabecear às redes.

Aí o time de Pingo acordou e descobriu que tinha um adversário disposto a sair do Augusto Bauer com a vitória. Melhor para o Bruscão: com a defesa exposta, o Brusque empatou. Belusso recebeu bola forte na meia-lua da grande área, dominou tocando pra ele mesmo e na sequência chutou para as redes. Ele marcou também o segundo, em outro chute após bola dominada dentro da área.  Porém, clássico é clássico e as emoções não podem faltar. Aos 45, Junior Fell acertou linda falta no travessão e a bola sobrou limpo para Sabiá, de novo cabecear para as redes. Minutos depois, Héber decretou o fim da etapa inicial.

Gol relâmpago
O cronômetro nem bateu um minuto e a bola já balançava capim no fundo das redes alviverdes. Em enfiada pela direita, a bola foi muito bem cruzada pela direita e Michel Douglas subiu para testar entre a defesa. Vilar não chegou nela e a torcida soltou o grito preso na gargante.

No restante da partida, as equipes deram seu máximo. Por sorte do Brusque, o máximo do Metrô é muito pouco. O ataque alviverde não teve criatividade para buscar o empate, enquanto o Brusque entregou muitas bolas e até chegou perto do quarto gol, mas o placar finalizou mesmo em 3 a 2. Com a proximidade do rebaixamento alviverde, a torcida quadricolor não perdoou e gritou, ao apito final de Héber: “Ão ão ão, segunda divisão!”

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio