Defesa Civil de Porto Belo decreta estado de emergência por causa das chuvas

A previsão da Defesa Civil é de mais chuva, podendo chegar a 120mm

Defesa Civil de Porto Belo decreta estado de emergência por causa das chuvas

A previsão da Defesa Civil é de mais chuva, podendo chegar a 120mm

A chuva que cai em Santa Catarina desde quarta-feira, 10, tem causado muitos estragos, principalmente nas cidades do litoral. Os principais municípios afetados são Florianópolis, Balneário Camboriú e Porto Belo.

Há vários pontos de alagamentos e interdições parciais ou totais de estradas, desalojados e desabrigados. Conforme a Defesa Civil de Porto Belo, que decretou estado de emergência, foram 20 pessoas desalojadas. Os bairros mais atingidos foram Vila Nova, Perequê e Sertão de Santa Luzia.

O sargento Claudio Silvino da Silva, coordenador da Defesa da cidade, diz que choveu cerca de 180 milímetros nas últimas horas e que o órgão está contabilizando todos os prejuízos. Preliminarmente, houve danos em escolas de Porto Belo, queda de dez postes de energia elétrica e em locais que vivem da pecuária.

Também teve uma queda de barreira no Morro de Bombas, que liga Porto Belo e Bombinhas. A Secretaria de Obras ainda trabalha na limpeza das pistas.

Silva conta que as pessoas desalojadas estão na Casa da Cidadania, abrigo da prefeitura e que os desalojados estão em residências de parentes e amigos. “Estamos contabilizando os estragos e trabalhando para limpar os locais afetados e auxiliar todos os que tiveram suas casas invadidas pela água”, diz.

Já em Balneário Camboriú, segundo a Defesa Civil, choveu 75 milímetros da meia-noite à uma da manhã, o que foi responsável pelo grande acumulado de água e pelos maiores prejuizos. Fabricio Melo, diretor do órgão, explica que devido à chuva em pouco tempo o sistema de drenagem não conseguiu comportar toda a pressão, atingindo casas localizadas em pontos mais baixos e perto de rios.

Ele afirma que foram muitas ocorrências e que os números estão sendo apurados. Houve deslizamentos na Estrada da Rainha, no Ariribá e Bairro das Nações, além de queda de muros e de árvores. O rio das Ostras chegou a sair da calha. O Centro, São Judas Tadeu, Nova Esperança foram afetados significativamente.

A ocorrência mais grave, no entanto, refere-se ao desaparecimento de um homem de 34 anos, suspeito de ter morrido. Ele estava na avenida do Estado, entre Balneário Camboriú e Itajaí.

Outras cidades
Conforme o último relatório da Defesa Civil, divulgado às 8h30 desta quinta-feira, 11, a situação mais crítica é em Florianópolis, onde já choveu mais de 300mm, volume que supera a média climatológica do mês de janeiro. Somente na estação de Carijós, no Norte da Ilha, o total de chuva ficou em 400mm.

Já em Imbituba, no Sul do Estado, até São Francisco do Sul, no Litoral Norte, o acumulado supera os 100mm. Nas demais regiões do Litoral, o total de chuva nestes três dias ficou entre 30 a 50mm.

As ocorrências, como alagamento e deslizamentos de terra, foram registrados nos municípios de Lauro Muller, na região da Serra do Rio do Rastro, Imbituba, Florianópolis, Braço do Norte, São José, São João Batista, Biguaçu, São Francisco do Sul, Penha e Itapema.

Chuva continua
A previsão da Defesa Civil Estadual é de mais chuva para esta quinta-feira, podendo chegar de 80 a 120mm. Nas últimas horas, já choveu em torno de 70mm.

Conforme a meteorologista da Epagri/Ciram, Laura Rodrigues, o tempo somente deve melhorar a partir desta sexta-feira, 12, quando as chuvas terão menos intensidade. No fim de semana o tempo será de sol e temperaturas mais elevadas.

“Hoje as chuvas continuam com intensidade, mas não previsão de temporal. Amanhã o volume já será menor”, destaca.

Confira os vídeos dos alagamentos:

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio