Definida comissão que avaliará denúncia contra vereadora e suplentes

Marli Leandro, Celio de Souza e Felipe Belotto são acusados de tentar corromper testemunha ligada a ação judicial

Definida comissão que avaliará denúncia contra vereadora e suplentes

Marli Leandro, Celio de Souza e Felipe Belotto são acusados de tentar corromper testemunha ligada a ação judicial

Foram sorteados na noite desta terça-feira, 5, os cinco vereadores que analisarão a denúncia contra a vereadora Marli Leandro (PT), e os suplentes Felipe Belotto (PT) e Celio de Souza (PMDB), acusados de terem tentado corromper uma testemunha ligada ao caso de desapropriação de terreno pelo Samae.

A denúncia será analisada em uma comissão sorteada. Farão parte dela Valmir Ludvig, José Isaias Vechi e Claudemir Duarte, o Tuta, todos do PT, além de Norberto Maestri, o Kito (PMDB), e Edson Rubem Muller, o Pipoca (PP).

Como próximo passo, a comissão elegeu como presidente o vereador Pipoca, e como relator o vereador Vechi.

Posteriormente, a comissão deverá elaborar um relatório sugerindo ou a punição aos vereadores acusados, podendo resultar na perda do mandato, ou opinar pelo arquivamento. Em qualquer um dos casos, a decisão terá de ser referendada pelo plenário da Casa.

O corregedor da Câmara, Moacir Giraldi (DEM), que acatou a denúncia, disse que os suplentes serão também investigados pela comissão, isso porque, conforme o regimento interno, eles ficam sujeitos a todas as responsabilidades do titular, enquanto estiverem no exercício do mandato.

Giraldi considerou que as declarações de dona Íria são “demasiadamente graves para não serem investigadas”, e que por isso determinou a abertura do processo. No relatório, ele também teceu críticas aos vereadores, por terem se envolvido pessoalmente em conversas com testemunhas de um processo.

Outro processo em andamento

Na sessão, também foi definida a comissão que irá analisar a denúncia contra o vereador Valmir Ludvig (PT), também aceita pelo corregedor da Câmara.

Chegaram à Câmara, em março, 11 representações por quebra de decoro parlamentar contra Ludvig, em virtude de publicações que ele fez no Facebook, na véspera de manifestações contra o governo.

Nas publicações, Ludvig criticava os que compareceriam à manifestação, com expressões que foram consideradas ofensivas por interlocutores.

Para o corregedor, as manifestações de Ludvig “atingiram toda a comunidade brusquense e atentaram contra a democracia”. E segue: “a conduta já seria lamentável vindo de uma pessoa comum, mas é ainda mais lamentável vindo de um representante do povo”.

A comissão que irá analisar a denúncia contra Ludvig será formada pelos vereadores Alessandro Simas (PR), Dejair Machado (PSD), Marli Leandro (PT), Guilherme Marchewsky (PMDB) e Claudemir Duarte, o Tuta (PT).

Os tramites a serem adotados são os mesmos da outra comissão, devendo haver uma eleição de presidente e relator, e a produção de um relatório que será analisado pelo plenário.

  • Leia reportagem completa na edição impressa desta quarta-feira, 6
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio