Deic apreende documentos e computadores em São João Batista para investigar denúncia de extorsão contra o prefeito Aderbal Manoel dos Santos

Operação fez apreensões na casa do ex-prefeito, de um vereador e de um empresário

Deic apreende documentos e computadores em São João Batista para investigar denúncia de extorsão contra o prefeito Aderbal Manoel dos Santos

Operação fez apreensões na casa do ex-prefeito, de um vereador e de um empresário

Policiais da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) cumpriram na manhã desta quarta-feira quatro mandados de busca e apreensão na cidade de São João Batista. O motivo foram as investigação de uma denúncia de extorsão contra o prefeito do município, Aderbal Manoel dos Santos.
A polícia fez apreensões de computadores e documentos na casa do ex-prefeito Jair Sebastião de Amorim, o Nonga, do empresário Claudir Kramer, conhecido como Alemão, e do vereador Adão de Menezes Filho, o Beto Cabeleireiro.
 
O delegado responsável pela operação, Renato Hendges, relatou que na casa do ex-prefeito foram encontradas duas cópias do vídeo que foi divulgado no youtube, que mostra o ex-prefeito entregando dinheiro a um suplente do vereador Adão de Menezes Filho, entre outras coisas. 
Extorsão
O delegado Hendges contou que a situação mostrada no vídeo evoluiu para uma extorsão, onde uma pessoa que ainda não foi identificada pela polícia exigiu R$ 150 mil de Aderbal para não divulgar o vídeo. 
– O que se percebe é que isso é um episódio, uma arquitetação, um jogo que visava denegrir a imagem do prefeito, e isso inclusive estava nas gravações – afirma Hendges, que se refere a outros vídeos, que mostram o ex-prefeito reunido com o vereador, o empresário e outras pessoas, onde estas aparecem “conspirando” contra o prefeito Aderbal.
O próximo passo da investigação será ouvir os envolvidos e identificar o autor da extorsão, explica Hendges, que tem 30 dias para concluir o Inquérito Policial. A pena para o crime de extorsão é de 4 a 10 anos de prisão. 

Nonga se defende
O ex-prefeito de São João Batista, Jair Sebastião “Nonga” de Amorim, se defende. 
– Vou depor em juízo, mas não tenho nada a ver com isso. Não sou homem para essas coisas. Tenho 67 anos e nunca fui processado. Levaram o computador do meu filho e CDs. Minha mulher é vereadora e foi ela quem denunciou o caso. 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio