Conteúdo exclusivo para assinantes

Desativação da ADR Brusque irá gerar economia de mais de R$ 80 mil mensais

Governador anunciou nesta quarta-feira o fechamento da agência regional junto com outras 14

Desativação da ADR Brusque irá gerar economia de mais de R$ 80 mil mensais

Governador anunciou nesta quarta-feira o fechamento da agência regional junto com outras 14

A desativação da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Brusque deverá gerar economia mensal de mais de R$ 80 mil. O valor refere-se aos pagamentos dos nove comissionados e ao aluguel de R$ 12 mil da sede.

O governador Eduardo Pinho Moreira anunciou em coletiva, nesta quarta-feira, 21, a desativação da ADR de Bruque e de mais 14 outras pelo estado, a partir de 1º de março. O estado também fechará quatro secretarias executivas em Florianópolis.

Na prática, a desativação das ADRs significará economia com 185 cargos comissionados. Os efetivos serão transferidos para outra agência regional, portanto, continuarão na folha de pagamento. No caso de Brusque, serão vinculados a Blumenau.

Levantamento no Portal da Transparência do estado mostra que os comissionados da ADR de Brusque custaram, em média, R$ 74,3 mil mensalmente nos últimos seis meses. A regional é composta por nove comissionados: o secretário-executivo, seis gerentes, um consultor jurídico e uma assessora de comunicação.

Em entrevista a O Município em novembro de 2016, o secretário da ADR de Brusque, Ewaldo Ristow Filho, informou que o valor pago pelo aluguel do prédio é de R$ 12 mil. Numa conta simples, os R$ 74,3 mil mensais mais esse montante somam R$ 86 mil de economia, fora possíveis variações.

Sem aviso
Contatado pela reportagem, Ewaldo Ristow Filho, que estava de férias até esta quarta-feira, 21, disse que não sabia de nada relacionado à extinção da ADR.

A reportagem tentou entrevista com o secretário-executivo em exercício, Edemir Aguiar, mas foi informada pela assessoria que apenas o governo central estava autorizado a falar sobre o assunto.

Governador diz que cortes resultarão em economia de R$ 50 milhões

Na entrevista concedida na capital, Pinho Moreira afirmou que a descentralização voltará a ser como fora concebida em 2003, por Luiz Henrique da Silveira. O projeto naquela época previa 21 secretarias regionais, mas acabou subindo para 36 por pressões políticas.

Segundo o governador, a redução no número de ADRs é necessária para o cumprimento da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). A legislação exige que o governo gaste somente com dinheiro garantido em ano eleitoral.

Além de desativar as 15 ADRs, Pinho Moreira anunciou o fechamento de quatro secretarias executivas: da Articulação Estadual, de Assuntos Internacionais, de Assuntos Estratégicos e de Supervisão de Recursos Desvinculados.

Segundo o governador, a medida representa a redução de 185 cargos comissionados e uma economia anual de aproximadamente R$ 50 milhões.

Pinho Moreira diz que investirá mais em áreas sensíveis. “Na área de saúde e de segurança pública, que são demandas solicitadas pela sociedade em todos os momentos. Estamos num momento do ano em que não sabemos o comportamento da receita.”

PMDB tem três cargos na agência

A desativação das ADRs em ano eleitoral irá gerar o afastamento de membros do MDB, partido do governador Eduardo Pinho Moreira. Ele prepara o caminho para que Mauro Mariani concorra ao governo em outubro.

Em Brusque, o partido tem três indicados: Edemir Aguiar, consultor jurídico; Paulo Roberto Mellão Filho, gerente de Administração; e William da Costa, gerente de Infraestrutura.

O vice-prefeito Ari Vequi (MDB) avalia que são poucos cargos em relação à realidade de outras agências regionais. Ele diz que nos próximos dias ficará claro se algum funcionário daqui será aproveitado em Blumenau. Vequi defende representatividade para Brusque neste quesito também.

Prefeituras avaliam decisão do governo

Vice-prefeito de Brusque, Ari Vequi diz que a decisão foi tomada na cúpula do governo, sem consultas. “Considero a região de Brusque prejudicada”, resume, em tom de lamentação.

Para Vequi, Blumenau é muito distante e pode não ter noção das necessidades de Brusque. Ele avalia que, na pior das hipóteses, o município teria de pertencer a Itajaí, que fica mais perto.

Vequi, também do MDB, diz que respeita a decisão de Pinho Moreira, mas espera que a cidade tenha representação na ADR de Blumenau.

Já o prefeito de Guabiruba, Matias Kohler, avalia positivamente o enxugamento da máquina. “Tem que aplaudir o governador em reduzir essa estrutura”, diz. Ele afirma que Ewaldo Ristow Filho fazia um bom trabalho, mas pondera que pouco mudou para os municípios quando as antigas SDRs tornaram-se ADRs.

Confira o custo da ADR de Brusque entre 2011 e 2016 (dado mais atualizado disponível). Os valores incluem despesas com todos os itens.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio