Desativado desde março, mamógrafo da Rede Feminina de Brusque volta a funcionar

Poderão ser realizados até mil exames por mês a pacientes da entidade de combate ao câncer, do SUS, convênios e particulares

Desativado desde março, mamógrafo da Rede Feminina de Brusque volta a funcionar

Poderão ser realizados até mil exames por mês a pacientes da entidade de combate ao câncer, do SUS, convênios e particulares

Desativado em março deste ano, o mamógrafo da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brusque voltou a funcionar há uma semana. O aparelho está instalado no Centro de Imagens do Hospital Azambuja e poderá realizar até mil exames por mês.

O atendimento é destinado a todas as mulheres de Brusque e região, tanto da Rede Feminina, como do Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e particulares.

O hospital possuía um mamógrafo que funcionava há dez anos, mas estava quase que “obsoleto”. Um aparelho novo, na visão do administrador do Azambuja, Fabiano Amorim, “dá um novo gás” e vem atender a expectativa da comunidade. Até então eram realizados cerca de 400 a 500 mamografias por mês.

“Depois de uma grande novela, instalamos o mamógrafo no hospital. É mais uma oportunidade de estreitar os laços com a Rede Feminina, além de um equipamento novo dar mais segurança à população”, diz Amorim.

O interesse da instalação do mamógrafo no Azambuja foi recíproco tanto da administração hospitalar como da Rede Feminina. A presidente da entidade, Sônia Zink, diz que está feliz que a parceria deu certo, já que enquanto o aparelho ficou desativado, “o Azambuja não mediu esforços par atender as pacientes da rede que precisavam de exames”.

“Sempre quis que o aparelho viesse para cá. É da Rede, mas é para todas as mulheres de Brusque e região. Tenho certeza que todas as mulheres vão se sentir bem para fazer o exame, pois o espaço foi feito com carinho, todo rosinha, e é aconchegante e tranquilo”. Cerca de cinco mamografias, em média, são feitas pelas pacientes da Rede Feminina.

Atendimento
O mamógrafo fica no Centro de Imagem do Hospital Azambuja. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 17h30. Os exames são para todas as mulheres da Rede Feminina, do SUS, particulares e convênios.

O caso
O mamógrafo da Rede Feminina de Combate ao Câncer deixou de realizar cerca 240 exames desde março, quando parou de funcionar. A interrupção ocorreu devido à greve do Hospital e Maternidade de Brusque (HEM), onde o equipamento estava instalado.

O aparelho foi doado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR) de Brusque (atual ADR), em 2014, para a entidade. No entanto, não houve a formalização da doação.

O secretário de Saúde de Brusque, Humberto Fornari, chegou a solicitar que o mamógrafo fosse para o Hospital Dom Joaquim, onde poderia ser usado 100% para o SUS. No entanto, a decisão da Rede Feminina foi pelo Azambuja.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio