Dirigentes do Brusque e Luciano Hang começam a planejar nova arena

Primeiros passos para construção da Arena Havan são tomados; proprietário da rede de lojas fala em investimentos no clube

Dirigentes do Brusque e Luciano Hang começam a planejar nova arena

Primeiros passos para construção da Arena Havan são tomados; proprietário da rede de lojas fala em investimentos no clube

O proprietário da Havan, Luciano Hang, visitou com o presidente do Brusque, Danilo Rezini, e com o vice-prefeito Ari Vequi, o terreno destinado ao clube de futebol na localidade da Volta Grande, bairro Bateas, visando iniciar um planejamento do estádio próprio do Quadricolor.

Rezini confirma que a expectativa é que em 2020 o time já tenha a nova casa à disposição. O terreno é parte do que era chamada Vila Olímpica e hoje se chama Complexo Esportivo, onde a prefeitura concede terrenos a entidades esportivas do município.

A ideia é que a Havan busque a elaboração de um projeto em área de aproximadamente 50 mil m² onde seriam construídos um estádio, um campo de treinamentos e um estacionamento. “A ideia é que o estádio se chame Arena Havan. Haverá um campo utilizado como sendo de treinamentos. No futuro veremos como e se utilizaremos o CT atual”, comenta Rezini.

Este projeto precisa ter toda sua documentação regularizada e aprovada pela Prefeitura de Brusque, estando de acordo com as normas da lei federal 13.019/2014, que estabelece regras jurídicas para parcerias entre administração pública e organizações da sociedade civil. Após a assinatura de um contrato de concessão do terreno válido pelo período de 20 anos e renovável por mais 20, o Brusque FC, em parceria com a Havan, poderia iniciar as construções.

Rezini lembra que novas exigências sobre estrutura de estádios, como gramado e iluminação — no padrão CBF/FIFA — entrarão em vigor a partir de 2020 na Série A do Campeonato Catarinense e em competições como a Copa do Brasil, na qual o Brusque esteve presente em 2017 e 2018. Ainda não há definição sobre a capacidade, mas o dirigente estima que seja uma arena para 10 mil pessoas. “Temos que ter estádio para o futebol moderno, não podemos deixar de fazer. Em breve o Augusto Bauer e São João Batista não serão suficientes.”

Com o terreno concedido pela prefeitura e a Havan tomando a frente no projeto, ainda não há uma definição sobre se o Brusque entraria com alguma contrapartida na construção do estádio como esta questão seria executada. O presidente do clube cogita algumas parcerias, mas como foi dado apenas o início às ideias, não quer cravar termos. “O estádio será feito. Os detalhes serão revelados à medida em que são definidos. Possivelmente haverá um evento de lançamento, com maquete, para mostrar aos parceiros, à imprensa e aos torcedores. Demos a arrancada.”

Mais cauteloso, Luciano Hang afirma que a Havan de fato estuda investir no Brusque para que o clube chegue à Série B do Campeonato Brasileiro no médio prazo e até à Série A. No entanto, ainda não crava uma construção de estádio por parte de sua empresa.

“Vamos estudar esta possibilidade, talvez. Não quero dizer que vai ser feito [o estádio]. Fui lá pela primeira vez para ver a localização do terreno e estudar a possibilidade. Acho que a Havan pode ser um grande investidor no esporte, e do Brusque, para que o clube leve o nome de nossa cidade para todo o Brasil. Mas só o fato de eu ter ido lá já é alguma coisa. É um pontapé inicial. Vou verificar estudos e preços”, explica.