Dívida do governo do estado com o Hospital Azambuja passa de R$ 200 mil

Desde novembro não é feito o repasse do incentivo ao hospital de Brusque

Dívida do governo do estado com o Hospital Azambuja passa de R$ 200 mil

Desde novembro não é feito o repasse do incentivo ao hospital de Brusque

O Hospital Azambuja aguarda desde novembro do ano passado pelo repasse de verbas do governo do estado. Em Santa Catarina, além de Brusque, mais 46 hospitais filantrópicos, que atendem pelo Sistema Única de Saúde (SUS), têm a receber aproximadamente R$ 49 milhões. Esse valor é em relação a realização de cirurgias eletivas e de Incentivo Hospitalar, além de valores extrateto de serviços prestados.

Segundo o diretor administrativo do Azambuja, Fabiano Amorim, o valor mensal que deveria ser repassado para incentivo é de R$ 33 mil. Sendo assim, a dívida do governo com Brusque é de aproximadamente R$ 230 mil. “Esse repasse é para realizarmos a manutenção do hospital e também para termos reservas para pagamento do 13º dos funcionários”, explica.

Com esse atraso no repasse, Amorim revela que a administração busca suprir a falta do valor no giro diário da unidade hospitalar. “Mas sabemos que vai chegar uma hora em que vai faltar esse dinheiro, não teremos de onde tirar e vai virar um caos”, lamenta.

A representante das entidades hospitalares do estado, a Associação e Federação dos Hospitais e Federação dos Hospitais Filantrópicos de SC (Fehoesc), comunicou ao governo que em função do atraso no pagamento, a população corre o risco de ficar sem atendimento. “A nossa principal preocupação é com a população. Não podemos permitir que ela seja punida, precisamos agir de forma rápida, para garantir o atendimento pleno à comunidade catarinense”, alerta o presidente da Fehoesc da Confederação Nacional de Saúde, Tércio Kasten.

Outro hospital que também recebe o repasse do governo estadual em Brusque é o Hospital Dom Joaquim. Porém, o administrador da unidade, José Mauro informa que o pagamento está em dia.

Por nota, a Secretaria de Estado da Saúde reconhece a dívida e diz que “está tratando do assunto”. Segundo a assessoria de imprensa, “neste momento é prematuro fazer uma previsão de pagamento, tanto de data quanto de valores”.

“Esse repasse é para realizarmos a manutenção do hospital e também para termos reservas para pagamento do 13º dos funcionários” – Fabiano Amorim, diretor administrativo do Hospital Azambuja

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio