Dois primeiros dias de Jasc são repletos de medalhas para Brusque

Brusque confirma favoritismo e pode levantar nesta segunda-feira, 17, o bicampeonato consecutivo do atletismo feminino

Dois primeiros dias de Jasc são repletos de medalhas para Brusque

Brusque confirma favoritismo e pode levantar nesta segunda-feira, 17, o bicampeonato consecutivo do atletismo feminino

Os dois primeiros dias de Jogos Abertos de Santa Catarina foi repleto de medalhas para Brusque. A grande maioria delas vieram no atletismo, modalidade na qual a cidade é a principal favorita à conquistar o ouro no naipe feminino.

>> Confira a galeria de fotos dos dois primeiros dias da competição

O feito que já ocorreu em 2013, em Blumenau, deve ser repetido nesta segunda-feira, 17, caso se confirmem pódios em modalidades como o salto em altura, com vara e o revezamento 4×400. Segundo as contas extraoficiais da equipe (os boletins da Fesporte só são divulgados durante a madrugada) Brusque tem 198,5 pontos, contra 129 de Joinville e 103 de Blumenau.

Com a diferença significativa, a esperança é que a cidade ultrapasse inclusive os 277 pontos do ano passado, quando levantou pela primeira vez o título de campeã. “Amanhã (hoje) é nosso dia mais forte. É quase impossível alguém buscar a gente”, comenta a atleta Luana Pereira, uma das favoritas a trazer uma medalha nesta segunda-feira na prova do salto em distância.

Desempenho

Até o momento, Brusque já somou 13 medalhas atletismo. Somente no primeiro dia foram 6. Quatro de ouro e duas de prata. O resultado chegou a deixar a cidade temporariamente na terceira colocação geral da competição atrás das duas principais favoritas ao título geral: a cidade anfitriã, Itajaí, com 21 medalhas (11 de ouro), e a que mais vezes venceu a disputa, Blumenau, com 22 (7 de ouro).

No domingo, Brusque ainda levantou outras sete medalhas. A primeira e única até o momento do naipe masculino veio com Luís Henrique Schneider no arremesso de peso. Outro destaque foi o bronze conquistado por Rafaela Fabiane dos Santos na prova dos 3 mil metros com obstáculos. Na prova dos 800 metros, Brusque colocou duas atletas no pódio. Cristiane dos Santos venceu com Stefanie da Silva na terceira colocação. A cidade ainda conquistou uma prata com Jéssica Pacheco no lançamento de disco e um bronze com Luana Pereira no salto triplo.

Disputa particular

O atletismo também vem sendo marcado por uma disputa particular entre a atleta de Brusque, Fernanda Araújo da Silva e uma das grandes ‘xodós’ dos Jogos Abertos de Santa Catarina, a joinvilense Tamiris de Lis. No sábado, em uma prova alucinante, Fernanda desbancou Tamiris na principal modalidade da adversária e se consagrou a mulher mais rápida de Santa Catarina ao vencer os 100 metros rasos. Ela fez o tempo de 11s92 contra 11s94 da rival. A única vez que Tamiris perdeu esta prova, desde que começou a competir nos Jasc, em 2010, quando tinha apenas 14 anos, foi em 2011. A derrota ocorreu justamente para Fernanda, nos Jogos Abertos de 2012, em Caçador.

Ao longo do fim de semana, as duas atletas ainda protagonizaram outras duas grandes ‘batalhas’. Irritada por ter perdido na sua principal especialidade, Tamiris deu o troco em Fernanda na prova dos 200 metros. A ultrapassagem ocorreu nos minutos finais. A representante de Brusque, no entanto, voltaria a comemorar sobre a adversária na última prova do dia: o revezamento 4×100. Junto com Luana Pereira, Sally Mayara e Gilailce Trigueiro, as brusquenses comemoraram o bi em Itajaí ao estabeleceram o novo recorde da prova. (46s10). No ano passado elas haviam feito 46’62 para chegar ao ouro em Blumenau. “Até o momento está dois a um para mim sobre ela (Tamiris), pois eu tenho dois ouro e uma prata, enquanto ela tem um ouro e duas pratas”, brinca Fernanda.

Um novo tira-teima entre as atletas será hoje quando elas compõem equipes em outra prova que deve pegar fogo: o revezamento 4×400. Veja nos destaque a disputa particular entre Tamiris e Fernanda e o resumo de algumas provas do atletismo nos dois primeiros dias de disputa.

As medalhas douradas

Mariana Marcelino conquista a primeira medalha

A primeira medalha de Brusque nos Jogos Abertos de Santa Catarina veio logo no sábado. Mariana Marcelino teve que superar uma desgastante viagem para defender Brusque na competição, sofreu com cãibras, mas as dificuldades não foram empecilho para que a atleta conquistasse a medalha dourada no lançamento do martelo. Ela arremessou o objeto em 55,17 metros. O segundo lugar ficou com Ana Laís Bayer, de Joinville. Ela alcançou 54,90 metros contra 54,47 de Josiane Soares, medalhista de bronze por Blumenau. “Não dá para descrever a sensação que é ser campeã. Ainda mais numa competição tão tradicional como os Jogos Abertos. Estou muito feliz de ter ajudado a cidade. É uma grande conquista pessoal também”, destaca.

Fernanda desbanca Tamiris nos 100 metros rasos

O principal resultado de Brusque nas disputas de sábado veio na prova dos 100 metros rasos. Fernanda Araújo da Silva e Tamiris de Lis fizeram um tira-teima do ano passado, quando a jovem joinvilense venceu após decisão polêmica. Impondo um ritmo forte, a brusquense finalizou a prova em impressionantes 11s.92, apenas dois centésimos de segundo acima da rival e voltou a sentir o gosto de derrotar a adversária em sua principal especialidade. Assim como no ano passado, elas chegaram praticamente empatadas. Desta vez, no entanto, foi a representante de Brusque que comemorou. “Eu me senti bem e pude realizar uma prova perfeita”, comemora a atleta mais rápida de Santa Catarina.

Cristiane dos Santos fatura ouro nos 400

Depois de liderar com folga às semifinais, Cristiane dos Santos teve uma disputa bem mais acirrada na grande decisão, mas confirmou o favoritismo e sacramentou o ouro ainda no sábado. A atleta revela que estava confiante e só conseguiu a medalha dourada por ter feito uma ‘prova perfeita’. O tempo de 54s51 superou as expectativas da competidora.

“Imaginei que faria uns 55(seg) baixo, porque eu não vinha treinando muito bem. Estava na Marinha do Rio de Janeiro. Cheguei às duas da manhã, mas graças a Deus tive esse resultado satisfatório. Foi ainda melhor do que imaginei”, diz a atleta representante de Brusque. Ela comenta que o triunfo apertado não surpreendeu. “Sabia que nos últimos 100 metros haveria um aperto, mas confiava que tinha uma chegada boa e a medalha seria minha”, diz.

Disputa polêmica e ouro dividido

A última medalha de ouro brusquense no sábado veio recheada de polêmica e discussão. Favorita a medalha de ouro, Gilailce Trigueiro venceu a prova dos 100 metros com barreira, mas a o título acabou contestado pela comissão técnica de Itajaí, vice-campeã. Após o uso do photo finish para reprodução do momento da chegada, a arbitragem optou por decretar a divisão do título entre Gilailce e Mariely dos Santos.

A decisão revoltou os brusquenses, inclusive pelo fato de o treinador adversário ter invadido o local de prova para contestar a decisão. Segundo o técnico João Francisco Nunes, a vantagem de Gilailce foi nítida sobre a rival. “Mais uma vez fomos prejudicados Na máquina acusou que a nossa atleta havia ganho a prova, mas acharam por bem deixar empate”, ironiza Nunes, dando a entender que a decisão foi tomada para agradar a cidade anfitriã. “Em toda minha vida nunca protestei nada e, se a gente for falar disso, não trabalha. O atletismo é um meio muito sério, mas existe este lado de agradar”, comenta.

Dupla brusquense faz pódio nos 800

A disputa dos 800 metros rasos contou com Cristiane dos Santos e Stefanie da Silva em busca de medalhas. A primeira (vencedora da prova dos 400 no dia anterior) era a principal favorita ao ouro, enquanto a segunda, que já havia levado a prata sábado, na prova dos 1.5 mil metros, tentava chegar ao segundo pódio. Ao fim da disputa, ambas conquistaram o objetivo. Cristiane no primeiro lugar, com Stefanie na terceira colocação.

O ouro de Cristiane veio em meio a um susto na comissão técnica. A atleta chegou a finalizar os primeiros 500 metros na sétima colocação. A estratégia a em deixar o gás para o final, no entanto, foi determinante para a vitória. Correndo em ‘ritmo de brincadeira’, ela superou as adversárias uma a uma nos últimos 300 metros e ainda chegou com folga na frente das rivais. “É uma tática de corrida. Ano passado já fiz parecido, mas este ano deixei para atacar mais no fim e novamente deu tudo certo. Eu tinha convicção que iria dar “, vibra.

Adrenalina a mil com revezamento 4×100
Uma das provas mais esperados do atletismo, o revezamento 4×400, levou à loucura o público que compareceu à pista municipal de Itajaí para acompanhar a corrida já no fim da tarde de ontem. A grande expectativa era saber quem levaria a melhor no duelo de equipes puxadas pelas velocistas Fernanda Araújo da Silva e Tamiris de Lis. O tira-teima após Fernanda vencer os 100 metros rasos, com Tamiris dando o troco na final dos 200.

Posicionadas estrategicamente dentro da pista, a expectativa era de que ambas fizessem outro alucinante duelo individual no fechamento da prova, mas não foi o que aconteceu. Joinville posicionou Tamiris para receber o bastão por segundo, com o objetivo de abrir margem para a final, enquanto Brusque optou por deixar Fernanda por último, confiando que a atleta conseguiria tirar a eventual diferença projetada pelos adversários. E a brusquense só conseguiu após correr muito.

Na segunda passada, Tamiris abriu ampla vantagem sobre Sally Mayara. A diferença permaneceu na terceira passada, quando Gilailce Trigueiro recebeu o bastão, mas foi tirada de forma impressionante por Fernanda. A atleta não tomou conhecimento da última adversária de Joinville, tirou uma vantagem de mais de dez metros, e de quebra ainda ajudou a equipe a bater o novo recorde da prova com o tempo de 46’10. “Quando é revezamento, para mim é sagrado. Corro mais que os 100 metros. Pela atleta que conheço (adversária), ela não estava nos 100 metros, então eu esperava sim buscar”, afirma Fernanda.

Demais modalidades

O fim de semana também foi repleto de disputas para brusquenses no tênis de campo e mesa por equipes, karatê, natação, bolão 16 e basquetebol. O principal destaque foi o karatê com medalha de prata para Elivan da Silva Almeida na categoria acima de 84 quilos. No ano passado, o atleta já havia conquistado o bronze em Blumenau. Almeida disputa os Jogos Abertos há 14 anos.

Tênis de campo

O tênis de campo pode garantir uma medalha para a cidade caso vença a favorita Florianópolis nas semifinais de hoje. A partida será às 8h30 no Itamirim Clube. “É uma equipe forte, com atletas que jogam circuitos internacionais. É a melhor no papel, mas a gente corre por fora, com atletas bem treinados para tentar um bom resultado”, disse o jogador André Baran pouco depois do triunfo por 3 a 1 sobre Joinville ontem pela manhã.
No sábado, os atletas de Brusque já haviam feito 3 a 0 sobre São Miguel do Oeste. Caso eles sejam derrotados pelos representantes da capital, Brusque vai para uma chave de repescagem, mantendo chances de medalhas.

Tênis de mesa

No tênis de mesa por equipe, os atletas da cidade conseguiram duas vitórias e uma derrota até o momento. Passaram por 3 a 0 sobre São Miguel do Oeste no sábado e repetiram o feito diante Blumenau na manhã de ontem. O único revés veio à tarde com a derrota por 3 a 1 para Joinville. A equipe já tem vaga garantida nas quartas de final para enfrentar os atletas de Criciúma.

Bolão 16

No bolão 16, Brusque já fez quatro jogos. No sábado perdeu para a anfitriã Itajaí, mas se recuperou no mesmo dia em cima de Chapecó. Ontem, a equipe derrotou Irani (1556 a 1459) e Timbó (1574 a 1545) e garantiu vaga nas semifinais. O adversário ainda não estava definido até o fechamento da reportagem (às 22h).

Para o jogo de hoje, a equipe brusquense tem um desfalque importante. O atleta Carlos Holz não foi liberado do trabalho e é baixa. “É um dos nossos principais jogadores, mas vamos tentar defender Brusque para chegar entre os quatro que é nossa pretensão”, diz o companheiro de equipe Lenomir de Farias.

Basquete

A última modalidade com brusquenses envolvidos no fim de semana foi o basquete. Jogando contra a inexpressiva equipe de Xaxim, os comandados do técnico George Salles largaram com vitória tranquila pelo placar de 95 a 41. Hoje o duelo deve ser bem mais difícil às 20h30 contra a equipe anfitriã, Itajaí.

Resumo dos dois primeiros dias de Jasc

Sábado – 6 medalhas: 4 de ouro e duas de prata

Ouro
Lançamento do martelo – Mariana Marcelino
100 metros rasos – Fernanda Araújo da Silva
400 metros rasos – Cristiane dos Santos
110 metros com barreira – Gilailce Trigeiro

Prata
10 mil metros – Dione Chillemi
1.5 mil metros – Stefanie da Silva

Domingo – 6 medalhas: ouro

Ouro
Revezamento 4×100 – Fernanda Araújo da Silva, Luana Pereira, Sally Mayara e Gilailce Trigueiro
800 metros rasos – Cristiane dos Santos

Prata
Lançamento de disco – Jéssica Pacheco
Arremesso de peso – Luís Henrique Schneider

Bronze
Salto Triplo – Luana Pereira
800 metros rasos – Stefanie da Silva
3 mil metros com obstáculos – Rafaela Fabiane dos Santos

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio