Dupla de Brusque se destaca no Campeonato Brasileiro Sub-19 de Vôlei de Praia

Carol e Iana terminam na quarta colocação em disputa no Rio de Janeiro

Dupla de Brusque se destaca no Campeonato Brasileiro Sub-19 de Vôlei de Praia

Carol e Iana terminam na quarta colocação em disputa no Rio de Janeiro

Carol e Iana não foram a passeio para o Rio de Janeiro no último fim de semana. Competindo na segunda etapa do Circuito Brasileiro Sub-19 de Vôlei de Praia, as atletas que treinam em Brusque terminaram na quarta colocação, a melhor posição da história de uma dupla catarinense nesta disputa. As jogadoras, que defenderam a federação catarinense no evento, venceram quatro das seis disputas realizadas desde a última quinta-feira até sábado.

As partidas
A dupla não havia disputado a primeira etapa, mas entrou na segunda diretamente por ter uma boa posição no ranking nacional. A chave a qual as catarinenses foram sorteadas não era a mais fácil, contando até mesmo com dupla que terminou na terceira colocação da primeira etapa. E foi logo este o primeiro desafio: Enfrentando as atletas de bronze do Distrito Federal, melhor para Carol e Iana que venceram por 2 sets a 0. Na sequência, as catarinenses derrotaram, novamente por 2 a 0, a dupla de Mato Grosso, fechando os 100% de aproveitamento na fase de grupos.

Nas oitavas de final, o desafio era literalmente maior. Carol e Iana disputaram com uma dupla de Minas Gerais, cujo uma das atletas conta 1,95 metros. Mesmo assim, as atletas não deram chance para as adversárias: A dupla venceu por 2 sets a 0. Nas quartas de final, o jogo foi mais difícil para Carol e Iana, que disputaram ponto a ponto com Espírito Santo, mas conseguiram avançar às semis após vencerem por 2 a 1.

Pela frente, as catarinenses enfrentaram a dupla que sagraria-se campeã da etapa, de Sergipe. Mesmo assim, jogaram de igual, contudo, desta vez, perderam por 2 a 1 nas semifinais. Cansadas com a carga de partidas, Carol e Iana ainda foram derrotadas por 2 a 0 na disputa pelo bronze para a dupla do Paraná.

Espelho para a equipe
Para o técnico da dupla, Bento Eliomar Sgrott, as atletas servirão como exemplo para os demais jogadores de Brusque. “Elas são mais experientes em competições nacionais e aumentarão o nível dos nossos atletas que treinam com elas”, explica.

O comandante destaca ainda a importância do resultado no Rio do Janeiro. Segundo ele, integrantes do Comitê Brasileiro de Voleibol (CBV) elogiaram o desempenho das atletas. Sgrott voltou da capital carioca com a promessa de que a CBV contribuirá com materiais para o Centro de Treinamento de Brusque. “Eles viram que o trabalho realizado aqui é sério”, explica o técnico.

Parceria de longa data
Caroline Oeschler, de 18 anos, e Ianael Ribeiro, 17, se conhecem bem em quadra. As duas atletas são naturais de Jaraguá do Sul, e na escola formaram uma amizade duradoura. Apaixonadas pelo vôlei, iniciaram aulas longe das areias, nos ginásios de Jaraguá.

Mesmo com bom desempenho em equipes, Iana e Carol decidiram testar suas habilidades no vôlei de praia. “É muito diferente. A areia dificulta, cansa mais o atleta, e você tem que jogar na chuva, no sol ou no vento” explica Carol. Após intercalarem treinos no ginásio e treinos como dupla de vôlei de praia, decidiram, no ano passado, entrar de cabeça no esporte ao ar livre.

Neste ano, defendendo Brusque, a dupla já rendeu medalhas. Foram campeãs do Catarinense de Vôlei de Praia Sub-21 e bronze no Catarinense Adulto, vencendo atletas mais experientes, além de liderar o estadual também na categoria Sub-19. Em meio às conquistas, as atletas se adaptam a vida na terra do marreco. Iana iniciou curso técnico de veterinária, enquanto Carol luta pela sua carteira de habilitação.

“Pressão maior”
No Circuito Brasileiro Sub-23, Carol e Iana não conseguiram repetir os bons resultados, terminando na 14ª posição entre 16 duplas. O nível em competições nacionais é diferente, como lembra Iana. “A pressão é maior e as atletas são bem melhores”, diz. Para superar as adversidades, a rotina de treinos é intensa. Desde o início de março, as jaraguenses treinaram em dois períodos, totalizando cinco horas diárias de trabalho, seis dias por semana. Os treinos são realizados na quadra de areia que fica na empresa Bouton, principal apoiadora da equipe.

O técnico da dupla, Bento Eliomar Sgrott, lamenta a falta de duplas na região para aperfeiçoar os treinamentos com Carol e Iana. As atletas acabam treinando com duplas masculinas. “Não é a mesma coisa. Isso acaba prejudicando o desempenho na hora de competir com atletas mulheres”, diz. Para Sgrott, no entanto, pior que a falta de um treino eficaz é o apoio insuficiente.

Atualmente, os atletas contam com o apoio da Bouton, da Imobiliária Jorge Floriani e da Fundação Municipal de Esportes (FME). Mas para Sgrott, mais empresas deveriam abraçar a causa. “Estamos escassos em materiais. Temos apenas uma bola profissional de nível internacional”, explica. Além dos apoios já citados e que envolvem recursos financeiros, a equipe de vôlei de areia de Brusque recebe bolsas de estudo da Unifebe, Visual Mídia e da Auto Escola Marquezan.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio