Duplicação do trecho estadual começa em 60 dias

Governador Raimundo Colombo autorizou nesta quarta-feira, 2, em Itajaí, o início das obras

Duplicação do trecho estadual começa em 60 dias

Governador Raimundo Colombo autorizou nesta quarta-feira, 2, em Itajaí, o início das obras

Em até 60 dias devem iniciar as obras de duplicação da rodovia Antônio Heil (SC-486) no trecho que vai da lombada eletrônica do bairro Limoeiro até o entroncamento com a BR-101. A autorização para a duplicação do trecho itajaiense foi assinada na noite de ontem, em Itajaí, pelo governador Raimundo Colombo. A obra completa a revitalização de um dos principais acessos a Brusque, iniciada ainda no ano passado, com as obras no trecho de aproximadamente quatro quilômetros em parceria com a empresa Irmãos Fischer.

O trecho que será duplicado tem um total de 21 quilômetros com investimentos de R$ 131 milhões e prazo para conclusão de três anos. Ao total, serão 25 quilômetros de rodovia duplicada até Brusque.

Para o governador Raimundo Colombo, a duplicação total da rodovia Antônio Heil significa um avanço para a região. “É um sonho antigo que começa a se realizar hoje. O projeto é complexo, recebeu várias adequações, e hoje está pronto para iniciar”, afirma.

Colombo diz que este é um reconhecimento do estado para a região. “É uma região que cresceu muito e precisa de infraestrutura. É isso que estamos fazendo”.

O prefeito Paulo Eccel afirma que a duplicação é importante para amenizar os problemas de logística em Brusque. “Os investimentos, tanto na Antônio Heil, quanto na Ivo Silveira, que estamos planejando, são fundamentais porque o desenvolvimento econômico passa por uma maior qualidade nas nossas rodovias. Com isso, resolvemos o problema da Antônio Heil e agora os olhos se voltam para a Ivo Silveira”.

Ele lembra ainda que a duplicação é uma reivindicação antiga da região. “Há mais de duas décadas esperamos por isso, e finalmente esse dia chegou”.
O secretário de Desenvolvimento Regional de Brusque, Jones Bosio, afirma que a obra vai melhorar o escoamento da produção do município e possibilitar a vinda de novas indústrias. “A duplicação é importante para o turismo, dá acesso ao litoral e também para que Brusque escoe a sua produção, tenha acesso ao porto de Itajaí. Vai desenvolver bastante a cidade, atrair mais empresas e gerar mais empregos”.

 
Obra complexa

A duplicação da rodovia Antônio Heil é financiada pelo Banco Internacional de Desenvolvimento (BID). A licitação foi realizada através de concorrência internacional, e atraiu, inclusive, empresas da Espanha e Itália. O Consórcio Triunfo/Copasa, do Paraná, foi o vencedor da concorrência e deve dar entrada nos pedidos das licenças ambientais nos próximos dias, para poder começar a obra dentro do prazo.
Na restauração, com aumento de capacidade da rodovia Antônio Heil, será aplicado o asfalto-borracha, técnica que aumenta a durabilidade dos revestimentos asfálticos. “Para cada quilômetro de rodovia duplicada é utilizada a borracha de cerca de 2,6 mil pneus descartados”, explica o presidente do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), Paulo Meller.

A interseção da SC-486 com a BR-101 será o trecho mais complexo. No local será construído um trevo completo, permitindo a execução de todos os movimentos com segurança e conforto. “Com esta obra acreditamos resolver o tráfego da BR-101 e da estrada estadual, que tem movimento de aproximadamente vinte mil veículos por dia”.
No acesso à Petrobrás, no quilômetro 11,85, haverá um viaduto e um retorno exclusivo no cruzamento inferior. Próximo ao Arraial dos Cunha, no quilômetro 10, um retorno em nível. No quilômetro 6,6, próximo à Epagri, a interseção em dois níveis contará com cruzamento na parte inferior com faixa de retorno para o Bairro Itaipava, facilitando também o acesso às empresas de logística instaladas ao longo da via.
O projeto prevê ainda distância máxima de cinco quilômetros entre os retornos. Duas grandes rótulas foram projetadas nos quilômetros 14 (Morro da Antena) e 20,3 (cruzamento da Rua Itajaí), além de passagem inferior para os estudantes nesse último ponto.

 

Desapropriações

Meller afirma que a duplicação total da rodovia Antônio Heil vai implicar em despesa de aproximadamente R$ 50 milhões com as desapropriações. “Já sabemos o nome de todas as pessoas e a metragem no terreno de cada um por onde a obra vai passar. Esse é um processo longo, aos poucos vamos entrando em contato e fazendo as desapropriações”.
Colombo acredita que não haverá problemas no processo. “O ato de desapropriações é soberano. Uma obra deste porte deve estar preparada para isso, e temos todo o suporte para isso”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio