Difícil acreditar que foi este mesmo rio que há pouco tempo, causou tantos transtornos aos brusquenses, por ocasião das enchentes.

Quem não lembra daquele período chuvoso, compreendido entre o final de maio e os primeiros dias de junho, quando na ocasião, a população de Brusque estava em alerta constante. Eram as cheias do Itajaí Mirim, que então assombravam os moradores de nosso município, principalmente aqueles, residentes em áreas mais baixas.

Passados cerca de dois meses daquele tormento, o cenário climático atual vivido na nossa região é exatamente o oposto. De lá pra cá não tivemos mais a ocorrência de chuva significativa. Resultado, rios e ribeirões agonizando.

Julho está chegando ao seu final tendo os menores acumulados de precipitação/mês dos últimos anos em Brusque. A média parcial registrado por minhas estações está em 17,7mm, valor bem abaixo do esperado para esta época. Ao término do mês, trarei aqui em meu Blog, os resultados finais deste julho/2017 além de comparações com anos anteriores.

Com dados extraídos junto ao CEOPS/FURB, o nível do Itajaí Mirim no Centro de Brusque no início desta noite de sexta-feira estava em 97 centímetros, lembrando que a faixa considerada normal pela Defesa Civil fica entre 1,30/1,40 metros, ou seja, está 30 a 40 centímetros abaixo.

A seguir, trago mais registros feitos por mim ao longo desta sexta-feira. Como podemos ver, a situação começa a preocupar:

 

Difícil acreditar que foi este mesmo rio que há pouco tempo, causou tantos transtornos aos brusquenses, por ocasião das enchentes. Quem não lembra daquele período chuvoso, compreendido entre o final
Conteúdo exclusivo para assinantes

Para ler todas as notícias, assine agora!

Oferta especial para você ficar
bem informado SEM LIMITES

Menos de

R$ 0,35
ao dia
R$ 9,90 ao mês