Elias Germano Mafeçoli (PP) foi agredido na noite de sexta-feira, 5 de outubro, em São João Batista

Em entrevista à jornalista Dirleni Dalbosco, do Jornal Correio Catarinense, candidato do PP diz que escapou de morrer

Elias Germano Mafeçoli (PP) foi agredido na noite de sexta-feira, 5 de outubro, em São João Batista

Em entrevista à jornalista Dirleni Dalbosco, do Jornal Correio Catarinense, candidato do PP diz que escapou de morrer

Na noite desta sexta-feira, 5 de outubro, quando chegava em casa, o candidato a prefeito de São João Batista, Elias Germano Mafeçolli (PP) e tual vice-prefeito da cidade, foi surpreendido por cinco homens fortemente armados que o espancaram. “Se não fosse o grito das vizinhas, eu teria morrido”, disse.

O candidato relata que teve uma costela fraturada, além de vários hematomas pelo corpo.

– Quase não consegui dormir – comentou.

Segundo Elias, o fato aconteceu por volta das 23h, perto da casa dele, no bairro Tajuba I.

– Eu estava perto de casa e tentei abrir o portão, mas não abria. Então resolvi voltar, pois percebi alguém me seguindo. No entanto, achei que não era nada de mais. Fui em direção ao Centro e voltei sentido a minha casa, próximo do portão uma Hilux preta, uma Parati verde, um Celta branco e uma moto me cercaram. O candidato conta que parecia cinco homens loucos. Eles gritavam sai vagabundo. E eu disse sou candidato, e eles: candidato é aqui ó, e começaram a me bater – descreveu.

O caso foi levado a Policía Militar e a Polícia Civil, que até a manhã deste sábado, não tinham novidades.

Além de Elias, outros correlegionários receberam sustos na noite de ontem.

Crédito: Dirleni Dalbosco/Correio Catarinense

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio