Em 2016, Prefeitura de Brusque gastou R$ 163 milhões com folha de pagamento

Números das finanças do município foram apresentados em audiência na Câmara, na sexta-feira, 24

Em 2016, Prefeitura de Brusque gastou R$ 163 milhões com folha de pagamento

Números das finanças do município foram apresentados em audiência na Câmara, na sexta-feira, 24

A Prefeitura de Brusque gastou, em 2016, R$ 163,9 milhões com sua folha de pagamento. Isso representa 50,53% da receita líquida do município no ano passado. Esse dado foi apresentado na sexta-feira, 24, em audiência pública realizada na Câmara de Vereadores.

O percentual de comprometimento com a folha de pagamento ainda está abaixo do limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 51,3% da receita, mas evoluiu em relação aos anos anteriores, quando o gasto com pessoal costumava oscilar entre 48% e 49%.

Os dados, apresentados na audiência pelo diretor contábil da prefeitura, Cristiano Bittencourt, mostram também um alto comprometimento da receita com saúde. Em que pese a legislação recomendar o gasto de 15% da receita na pasta, a Prefeitura de Brusque aplicou, no ano passado, 23,82% da receita na saúde.

Na área de educação, a prefeitura também aplicou mais do que o mínimo estipulado pela lei, mas em menor escala. Em vez dos 25% recomendados, foram aplicados 26,38% do total de recursos nesta área.

Superávit

No ano passado, conforme os dados apresentados na audiência pública, a Prefeitura de Brusque gastou menos recursos do que havia planejado, sobretudo por conta da arrecadação não ter sido tão boa quanto era esperado.

De uma previsão de receitas de R$ 462,9 milhões, o município de fato conseguiu receitas no valor de R$ 356,7 milhões. Ou seja, conseguiu realizar somente 77,06% das receitas previstas.

Tendo em vista esse dado, a prefeitura precisou segurar os gastos. Do total de R$ 356,7 milhões arrecadado, foram de fato aplicados R$ 337,5 milhões, gerando um superávit orçamentário de R$ 19,2 milhões.

Esse dinheiro, entretanto, ficou comprometido para pagamento, em 2017, de despesas que foram empenhadas em 2016, mas não chegaram a ser pagas. Conforme o relatório, o governo Bóca Cunha (PP) deixou cerca de R$ 7 milhões em dívidas de serviços realizados, mas não pagos até 31 de dezembro de 2016.

No ano passado, o que também caiu foi a dívida pública do município. Em dezembro de 2016, essa dívida reduziu em cerca de R$ 1,6 milhão, em comparação ao valor devido em dezembro de 2015.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio