Em Brusque, professores da rede estadual evitam greve

Por enquanto, mestres demonstram pouco interesse em aderir a greve deflagrada pelo Sinte

Em Brusque, professores da rede estadual evitam greve

Por enquanto, mestres demonstram pouco interesse em aderir a greve deflagrada pelo Sinte

Nesta quinta-feira, 19, professores de Brusque que trabalham na rede estadual de ensino demonstram pouco interesse em aderir a greve deflagrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina (Sinte).

Segundo o coordenador regional, Agenor Leal, representantes do sindicato devem conversar com os professores em cada unidade escolar.

– Brusque ainda não tem um índice indicativo, a greve foi deflagrada na assembleia, mas ainda estamos construindo – declara.


O presidente do Conselho Estadual de Educação, Maurício Fernandes Pereira, explica que em 2011 a entidade apoiou a greve, porque concordava com a movimentação dos professores, que lutavam para que o governo cumprisse o piso.

– Agora, na nossa visão, a greve é um infelicidade, porque o governo estava pagando o piso e ia realizar a descompressão da tabela – detalha.


Através da Assessoria de Comunicação, o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, reafirmou que o aluno vai amargar o prejuízo, caso o magistério catarinense paralise as atividades, a partir da próxima segunda-feira, 23.

Deschamps disse que os professores que não ministrarem aulas terão o ponto cortado.

– É legítimo, porque eles não estão desempenhando a sua função – finaliza.


**Confira na edição impressa do MDD de segunda-feira, 23, reportagem completa sobre a situação da paralisação dos professores. 
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio