Em duas semanas foram vendidas mil camisas do Bruscão

Vendas superam expectativas dos lojistas e estoques esgotam

Em duas semanas foram vendidas mil camisas do Bruscão

Vendas superam expectativas dos lojistas e estoques esgotam

São pelo menos quatro os pontos de venda das novas camisas do Brusque Futebol Clube, mas está difícil de encontrar a peça disponível para a compra. O motivo é simples: ninguém esperava o excesso de procura pelo manto quadricolor da maneira como está acontecendo nas lojas.

Segundo Matheus Zen Fantini, diretor comercial da ZF Sports, empresa que produz e distribui os novos uniformes do Bruscão, em apenas duas semanas já foi vendida a mesma quantidade de camisas de todo o ano passado, quando o clube estava na série B. “Acreditamos que isso tenha a ver com a subida de série do Brusque e com a expectativa que cai sobre esse time, mas também porque a qualidade foi melhorada”, diz Fantini. De acordo com ele, desde que as camisetas estão disponíveis para vendas, há duas semanas, cerca de 1 mil já foram vendidas.

Lojas satisfeitas

Na Gevaerd Calçados, um dos pontos mais antigos de vendas dos uniformes do Bruscão, as vendas impressionam. Segundo o proprietário, Marcelo Gevaerd, a procura pelo item surpreende em comparação com anos anteriores. “Eu posso garantir que foi o maior volume de vendas de todos os tempos. É impressionante. Tudo o que chega, vende”, explica.

Entre os fatores elencados por Gevaerd para explicar o sucesso de vendas está a qualidade do produto. “A camisa está diferente e com um preço acessível. Ela causa um desejo de compra, o que não acontecia antes. As pessoas querem ter ela não apenas para dizer que tem, mas sim porque é um produto desejável”, explica

Se a loja de Gevaerd já vende o item há muitas temporadas, na Loja Adriano esta é a primeira vez que o produto está disponível. No início, o proprietário, Jair Adriano, estava cauteloso. “Não sabia exatamente como seria a aceitação, já que não nos localizamos no Centro, mas agora estamos contentes com as vendas e com certeza voltaremos a trabalhar com o produto nos próximos anos”, explica.

A Lemus Esportes também registra vendas acima do esperado. De acordo com a proprietária, Eni Teresinha Barni Beuting, o público aproveita principalmente os dias de jogo para comprar a camiseta e ir ao estádio devidamente uniformizado.

A compradora da Havan, Michele Duarte, explica que a ascensão do clube para a primeira divisão tem tudo a ver com o fato da loja de departamentos registrar recordes de vendas. “No ano passado o produto demorou para girar, mas esse ano, com o clube na primeira divisão do catarinense, a venda foi bem melhor. Chegamos a fazer pedido de reabastecimento duas vezes por semana, e logo é vendido”, diz.

“Eu posso garantir que foi o maior volume de vendas de todos os tempos. É impressionante. Tudo o que chega, vende”, Marcelo Gevaerd, proprietário da loja Calçados Gevaerd

Atrasos na distribuição

O ‘frenesi’ pelas camisas do Brusque faz com que os funcionários da ZF Sports trabalhem como nunca. Fantini afirma que a equipe chega a ficar 24 horas por dia na produção, tentando reabastecer todas as lojas que disponibilizam os itens. Contudo, está difícil de atender as demandas, como explica o diretor comercial.

Outro motivo, além da grande procura, foi a demora na conclusão dos patrocinadores oficiais. “Os apoiadores, que estampam os uniformes, foram confirmados cinco dias úteis antes do início do campeonato. Assim que eles deram o ‘ok’, nós começamos a produção, mas aí tínhamos pouco tempo para fabricar os uniformes dos atletas, da comissão técnica e ainda mais as lojas”, completa.

Fantini, contudo, não aponta culpados. “Foi um conjunto de situações que leva aos atrasos na distribuição, mas não faltam esforços para que tudo dê certo. Nós trabalhamos fim de semana, fazemos horas-extras com o intuito de levar as camisas até os torcedores”, afirma.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio