Em noite desastrosa, Brusque perde para o Guarani

Time vencia por 2 a 0, mas levou a virada e perdeu para o lanterna da competição

Em noite desastrosa, Brusque perde para o Guarani

Time vencia por 2 a 0, mas levou a virada e perdeu para o lanterna da competição

Em nova apresentação ruim fora de casa pelo Catarinão, o Brusque perdeu por 4 a 2 para o até então lanterna do estadual, Guarani de Palhoça. O resultado adia a missão do Brusque de buscar a Série D, afasta o time das vagas para a Copa do Brasil e faz o Bugre sonhar com a permanência no estadual. A equipe vencia por 2 a 0, mas sofreu um gol ainda no fim do primeiro tempo. No segundo, sofreu com falhas bizarras e entregou gols ao adversário, além de não conseguir criar.

Glória e apagão

O Brusque viveu momentos de euforia e um choque de realidade no último minuto do primeiro tempo. A equipe abriu dois gols, mas deixou o adversário diminuir em momento único de apagão na defesa. A primeira etapa foi bem disputada entre as duas equipes, com bons momentos para ambos.

Quem começou empregando muita velocidade foi o Guarani. Já nos primeiros ataques chegou perto do gol. Enquanto isso, o Brusque estudava o adversário. Tocando bola na defesa, o time esperava uma brecha para atacar. Aí um pênalti ajudou o Brusque a sair do sufoco. Em lançamento para Eliomar, Kaique tocou acidentalmente com a mão na grande área, e Sandro Meira Ricci considerou penalidade. Assis bateu alto, no meio, enquanto Thiago Rodrigues saltou para a esquerda, e a bola morreu dentro das redes.

Na sequência, o Guarani começou a ir afoito para cima do Brusque. Com isso, abriu muitos espaços para o contra-ataque. O problema é que, sem centroavante, as bolas cruzadas não chegavam para ninguém. Aos 43 minutos, no entanto, o contragolpe deu certo. Assis enxergou Paulinho avançando com liberdade no meio e tocou com primor. O camisa 11 avançou, invadiu a área e ficou cara a cara com Thiago. Aí ele não foi fominha, servindo Eliomar que concluiu para as redes.

O placar era bastante favorável ao Bruscão, mas o Guarani não desistiu. Já nos acréscimos da primeira etapa, aos 46, Capa cobrou falta com primor e Vagno testou para o fundo do gol com estilo. O lance deu não só um banho de água fria ao quadricolor como aplicou uma injeção de ânimo no adversário.

Lances para esquecer

Se no primeiro tempo o Bruscão foi bem aplicado, isso jamais deve ser dito sobre o time na etapa final depois dos gols sofridos. Falhas individuais e coletivas além de falta de criatividade para marcar mais custaram ao quadricolor uma derrota amarga em Palhoça

Já aos 10, João Paulo precisou operar milagre na cabeçada de Willyan, dando tapa após a cabeçada do atleta. Depois disso, o Brusque tentou criar, mas faltou qualidade e também não contava com finalizadores. O calvário começou aos 28 minutos. Na saída de bola, Assis tentou cavar uma falta que não teve, o Guarani recuperou e Marquinhos foi feliz em acertar um chutaço no ângulo esquerdo.

Aos 36, a virada aconteceu. Em escanteio de Capa, Naldinho, que havia acabado de entrar, pulou sozinho na área e fez o gol de costas. Cinco minutos depois, o time já fazia o quarto. Em falha terrível, o Brusque tinha a bola controlada com três atletas, mas a bola foi mal atrasada para João Paulo e Capa chegou cutucando para fazer mais um. As entradas de Eydison e Giancarlo foram tardias, e o time não conseguiu diminuir o placar.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio