Em tratamento médico, Chapolin de Brusque precisa da ajuda da população

Saiba o que aconteceu e como ajudar Gilmar Farias, que conquistou a comunidade se vestindo do personagem mexicano

Em tratamento médico, Chapolin de Brusque precisa da ajuda da população

Saiba o que aconteceu e como ajudar Gilmar Farias, que conquistou a comunidade se vestindo do personagem mexicano

Figura conhecida de Brusque, Gilmar Farias, de 45 anos, conquistou a população por se vestir de Chapolin e trabalhar realizando entregas pela cidade. Por cerca de 15 anos, o morador do bairro Paquetá foi uma “espécie de faz tudo” – com sua bicicleta, e depois com moto, ele ia no mercado e na farmácia para clientes, pagava contas, carregava sacolas, entre outros serviços.

Por atender sempre com disposição e alegria as pessoas e ser na maioria das vezes o “salvador”, Farias recebeu carinhosamente o apelido de Chapolin dos moradores da rua Azambuja. Ele, desde então, é reconhecido pelo nome do protogonista do seriado mexicano exibido pelo SBT. No entanto, um acidente de motocicleta em junho de 2015 fez com que ele fraturasse a perna direita, o que até hoje lhe traz complicações.

Osteomielite – infecção que corrói a ponta do osso e não deixa uma ponta unir-se à outra, dificultando a cicatrização – é o nome da doença que prejudica os movimentos de Farias e que é responsável por um tratamento médico que ele realiza há meses. Hoje, ele somente consegue caminhar por meio do aparelho de Ilizarov – fixador externo em aço.

Nestes dois anos, foram dez cirurgias de colocação e retirada de platina e de ferros, além de outras por infecção na perna. Como está sem trabalhar, Farias, que mora com o irmão, a cunhada (que faz os seus curativos) e o sobrinho, está passando por um momento de dificuldade financeira e necessita da ajuda da população para ter melhor qualidade de vida nesta fase de recuperação.

Chapolin vive apenas com um salário mínimo e a situação somente não é pior porque o proprietário da Havan, Luciano Hang, lhe ajuda com o transporte até o médico em Joinville e paga todas as despesas de medicamentos.

“Antes tinha uma enfermeira que fazia os curativos. Mas precisamos reduzir os custos e então hoje é a minha cunhada que faz. O seu Luciano também me ajuda muito, mas mesmo assim estamos passando por um momento difícil”, diz Farias, que conta que seu sonho é poder voltar a trabalhar.

“Eu tenho fé que logo vou voltar a andar. O pessoal já tá me pedindo pra voltar a me vestir de Chapolin e assim que eu puder vou continuar, porque eu tenho o sonho de ter a minha casa própria e continuar alegrando as pessoas”.

Como ajudar
Quem quiser conhecer um pouco da história de Chapolin e ajudá-lo, pode visitá-lo no bairro Paquetá, telefonar para o número (47) 9-9984-2836 ou ainda realizar depósito na sua conta poupança – 30878/1, Agência 1414. Produtos de higiene pessoal também são bem-vindos.

“Agradeço a todos que já tem me ajudado e de coração peço que se alguém quiser colaborar comigo, ficarei muito grato. Só quero voltar a trabalhar”, destaca.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio