Empresários de Brusque cobram a implantação da Praça do Empreendedor

Projeto desburocratiza e acelera processo para abertura da empresas

Empresários de Brusque cobram a implantação da Praça do Empreendedor

Projeto desburocratiza e acelera processo para abertura da empresas

Com a atividade industrial e comercial passando por maus bocados nos últimos anos, os empresários cobram ações mais enérgicas do poder público para mudar o panorama. O presidente da Associação Empresarial de Brusque (Acibr), Halisson Habitzreuter, pretende ter um encontro com o novo governo municipal para cobrar a implantação da Praça do Empreendedor.

A praça é um projeto disseminado em todo o estado. Blumenau é uma das cidades que possuem a iniciativa, e é modelo para todo o estado. A ideia é agregar todos os serviços necessários para abrir uma empresa num só lugar.

O presidente da Acibr diz que a praça é importante porque, atualmente, o governo municipal é o maior obstáculo para abrir uma empresa no país. É na prefeitura que são feitas as primeiras consultas de viabilidade, liberação de alvarás e solicitações de vistorias sanitárias.

Como os órgãos não ficam no mesmo local, a burocracia e o tempo perdido é grande. Habitzreuter defende que a Praça do Empreendedor será importante para mudar isso. O projeto foi proposto no ano passado à prefeitura, porém, não andou.

Na avaliação do presidente da associação, a situação de instabilidade política, com dois prefeitos num só ano, atrapalhou o andamento. Mas agora, com um novo governo eleito, a Acibr deverá cobrar a criação da Praça do Empreendedor.

A entidade vai além da cobrança e se oferece, inclusive, para administrar a praça. “Entendemos que temos que dar proteção ao viés político, para que funcione de forma eficiente”, diz Habitzreuter.

A Acibr não quer que a praça seja alvo de indicações políticas para o seu comando. A entidade também pretende estabelecer uma cartilha – espécie de instrução normativa – para os procedimentos internos, para que não haja mudanças a cada novo governo.

Com isso, a esperança da classe empresarial é que o tempo de abertura de uma empresa seja reduzido para sete dias. “Abrir em 24 horas é ilusão, mas acreditamos que dá para reduzir para uma semana”, afirma Habitzreuter.

O presidente da Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque (Ampebr), Ademir José Jorge, apoia o projeto da Praça do Empreendedor. Jorge assumiu o comando da Ampebr há pouco tempo e vai se informar sobre o andamento do projeto.

Prefeitura responde

O prefeito Jonas Paegle já havia falado sobre a importância do comércio e da indústria na geração de empregos durante a sua campanha. O secretário de Desenvolvimento Econômico, João Beuting, diz que a intenção é implantar a Praça do Empreendedor ainda no primeiro semestre.

Beuting esteve em Florianópolis para fazer contato com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico há alguns dias. A prefeitura quer que o estado custeie o mobiliário da praça.

“Estamos com o projeto e os orçamentos para que o estado ajude na implantação da praça”, afirma o secretário. O espaço deverá ficar no prédio da prefeitura ou na praça da Cidadania, ainda a definir.

“Será uma grande evolução para o empreendedor da cidade”, diz o secretário de Desenvolvimento Econômico. Ele afirma que as dificuldades burocráticas serão retiradas com a integração entre Corpo de Bombeiros, Vigilância Sanitária e outros órgãos.

O secretário diz que, a princípio, a gestão da Praça do Empreendedor será administrada pela própria prefeitura, com a parceria da Acibr, Ampebr e demais entidades e órgãos. Entretanto, Beuting não descarta novas conversas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio