Empresas de Brusque podem utilizar tecido repelente de mosquitos

Parceria com empresa dos Estados Unidos foi discutida com a Ampebr e a RenauxView

Empresas de Brusque podem utilizar tecido repelente de mosquitos

Parceria com empresa dos Estados Unidos foi discutida com a Ampebr e a RenauxView

Imagine poder vestir uma roupa que irá lhe proteger da picada de alguns mosquitos que causam doenças como malária, dengue, febre amarela, entre outras, sem a necessidade de usar cremes repelentes. A ideia, já desenvolvida em muitos países e por muitas empresas foi apresentada à diretoria da Associação das Micro e Pequenas Empresas de Brusque e Região (Ampebr) e para colaboradores da empresa RenauxView, pelo CEO norte-americano e designer chefe da Moskeeto Armor, Robin Crespo, na semana passada. Durante o encontro, foram apresentadas informações sobre testes, a eficácia do produto, bem como amostras de roupas desenvolvidas com os tecidos especiais.

A empresa realiza há oito anos realiza pesquisas no desenvolvimento de fios e tecidos que tem até 90% de eficácia na prevenção de picadas de insetos. Com o uso de tecnologias em seu desenvolvimento, os produtos foram testados na região da cidade Lagos, na Nigéria (África) e testados inclusive em crianças, em comunidades que possuíam 95% de índice de infecção de malária. De acordo com o responsável pela empresa, os resultados dos produtos foram positivos e reduziram em até 90% a reincidência da doença. “Temos a ideologia que se você previne a picada, você previne as doenças. Nossos tecidos foram testados em crianças e comprovados por diversas organizações internacionais. Por exemplo, os coreanos fizeram uniformes para suas equipes que irão participar das Olimpíadas, entretanto os resultados dos testes não comprovaram a eficácia. E tantos nossos tecidos como os fios que desenvolvemos tem a proteção de longa duração, já que o tecido é tratado”, explicou Crespo. Os fios e tecidos são tratados com Permethrin e outros fixadores, que através de métodos específicos e tecnologias garantem a eficácia e durabilidade do produto.

Acesso ao mercado brasileiro

Segundo o CEO, o Brasil nunca esteve em seus planos de atuação, entretanto com a epidemia de zika no país iniciaram as solicitações para que o produto pudesse ser disponibilizado. Sobre a prevenção contra o Aedes aegypti, a empresa realizou teste contra a dengue e a febre amarela e também teve resultados positivos. “O produto foi certificado em 92% de eficácia para combater e repelir o Aedes. Além disso, os mosquitos dessa espécie morrem 24 horas depois após ter contato com o tecido. Tecido este que não precisa ser voltado apenas para roupas, mas também para cortinas, sofás, roupas de cama, entre outros”, ressaltou. Testes com o vírus da zika já foram feitos, mas devem ser desenvolvidos no país e a empresa também está em negociação com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para os trâmites legais do desenvolvimento do produto no Brasil.

Ao longo do encontro, foram esclarecidas dúvidas sobre o produto, em especial sobre o acesso das empresas da região para a aquisição e também sobre a possibilidade de produção deste tipo de tecido no país. “Inicialmente as empresas interessadas precisariam importar, tanto o fio como os tecidos. Em seguida seria necessário elas terem a certificação para a venda desses produtos, o que também seria a garantia dos mesmos, já que como indústria temos a responsabilidade de colocar produtos no mercado que salvam vidas”, completou Crespo.

Interesse para a região

Para a vice-presidente da Ampebr, Aparecida Leite, este foi o primeiro passo para se discutir futuras parcerias da entidade com a empresa, o que poderá permitir que os associados da entidade disponibilizem para seus clientes produtos diferenciados. “Temos o papel importante enquanto entidade de nos preocuparmos com os nossos clientes. E é muito bom podermos vender um produto que agrega benefícios e eles, em especial para a área da saúde”.

O gerente de Marketing da RenauxView, Roberto Sander avaliou a possibilidade de parcerias. “O produto é muito interessante e é necessário vermos as possibilidades e o funcionamento do mesmo. A filosofia deles é prevenir doenças e acredito que ao realizar parcerias com uma associação ou várias empresas juntas será mais fácil e rápido de ocorrer esse acesso ao mercado brasileiro”, completou.


Tecido repelente

A Moskeeto Armor é uma companhia de engenharia têxtil que cria tecidos exclusivos que são projetados, testados para repelir mosquitos. Os tecidos são certificados de acordo com as especificações da Organização Mundial da Saúde e mantém sua eficácia em até 50 lavagens.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio