Conteúdo exclusivo para assinantes

Empresas de segurança privada de Brusque registram aumento na procura por serviços

Consultas por sistemas de monitoramento por câmeras e alarmes lideram as vendas

Empresas de segurança privada de Brusque registram aumento na procura por serviços

Consultas por sistemas de monitoramento por câmeras e alarmes lideram as vendas

As empresas de segurança privada de Brusque já estão se preparando para atender os clientes durante o período de férias.

Há pouco mais de um mês para o recesso de fim de ano, novos interessados também têm procurado as empresas em busca de prevenção contra os crimes patrimoniais, especialmente os furtos, comuns para a época do ano.

Entre os serviços mais procurados estão os de segurança eletrônica, por meio de câmeras de monitoramento, e os alarmes. Além disso, a vigilância humana também é uma das opções.

O proprietário da Protenet Central de Monitoramentos, Alexsandro Silva Fernandes, diz que é comum aumentar a procura pelos serviços nesta época do ano e, para isso, além de fazer as revisões preventivas nos sistemas dos clientes, há os que solicitam visitas para verificar as casas no período de ausência.

Durante o início do mês de novembro, a auxiliar administrativo Sirlei Aparecida Martins, do Grupo FT Segurança e Serviços, revela que muitas pessoas têm procurado a empresa para orçar os serviços.

“Neste ano percebo que aumentou a demanda de interesse, até porque ano passado tinha a questão da crise. Hoje as pessoas já estão respirando um pouco mais aliviadas financeiramente”.

A Jovil Segurança Privada, que atua por meio de vigilantes, teve uma queda na busca pelos serviços para o fim do ano.

O gerente em Brusque, Sidinei de Souza, explica que a Jovil trabalha mais com segurança para empresas e, por conta da crise econômica, neste ano houve uma freada na contratação. “Muitas empresas preferiram pegar um funcionário que ficará na cidade e pagar extra para fazer a segurança no período de férias”.

Contratação de mais profissionais
Para dar conta da nova demanda do fim de ano, as empresas de segurança já se preparam também para reforçar seus quadros profissionais com a contratação de funcionários temporários. Na Protenet, Fernandes conta que trabalha com a equipe completa e com plantões de reforço, além de equipes de manutenção preventiva e corretiva.

No Grupo FT, Sirlei diz que a empresa também faz um reforço na segurança para o período com aumento do efetivo.

Além de contratação de funcionários temporários, Sidinei conta que a Jovil também oferece a oportunidade de extras aos profissionais efetivos da empresa. “É uma maneira de garantir maior segurança para os clientes”, pontua.

Dicas de prevenção
Sirlei revela que ao fim de ano, a empresa sempre lança uma campanha para os clientes tomarem alguns cuidados especiais de prevenção. Entre as dicas, o Grupo FT orienta as pessoas a não divulgarem para onde viajarão e nem mesmo o período que ficarão fora nas redes sociais ou desconhecidos.

Além das portas e janelas externas bem fechadas, Souza da Jovil Segurança Privada ressalta que é importante usar cadeados e trancas também nas portas internas, para em eventual arrombamento, dificultar a passagem dos criminosos para outros cômodos.

“Tirar todas as chaves das portas também é uma dica essencial, porque se o ladrão quebrar uma janela para entrar, terá dificuldades para transportar os objetos ao sair do local”, diz.

Fernandes, da Protenet, também orienta as pessoas a deixar alguém de confiança responsável por verificar esporadicamente o imóvel, durante as férias. “Além de estar sujeito a furtos e vandalismo, no fim de ano sempre tem tempestades em nossa região”, lembra.

Ao sair para viajar, é necessário ativar todos os sistemas e dispositivos de segurança que há no local. “Alarmes, câmeras e cercas elétricas devem permanecer ligadas durante a ausência da família, independente se for por apenas poucas horas”, acrescenta Fernandes.

Ele recomenda ainda que as campainhas e interfones da casa fiquem desligados durante a viagem para que o criminoso não consiga diferenciar se estão desligados ou estragados. Correspondências e jornais acumulados na caixa de correio ou na varanda também indicam que não há ninguém na casa.

“Uma alternativa é pedir para que alguém de confiança, como amigo, vizinho ou parente próximo recolha-os diariamente. Outra opção é migrar a entrega das correspondências ou as assinaturas de jornais e revistas durante o período para a casa de veraneio”, opina.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Quero assinar com preço especial
[Acesse aqui]

Sou assinante

Sou assinante do impresso,
mas não tenho login
[Solicite sem custo adicional]

Tire suas dúvidas, em horário
comercial, pelo (47) 3351-1980

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio