Entidade pede redução dos salários dos vereadores

Presidente Jean Pirola rebateu dizendo que Legislativo já é "enxuto"

Entidade pede redução dos salários dos vereadores

Presidente Jean Pirola rebateu dizendo que Legislativo já é "enxuto"

O presidente da União Brusquense das Associações de Moradores (Ubam), Luis Carlos Schlindwein, foi à sessão da Câmara de Vereadores desta terça-feira, 18, para pedir a redução do salário dos parlamentares e o arquivamento do projeto de ampliação do prédio do Legislativo. Schlindwein foi diretor do Procon durante a gestão do ex-prefeito Paulo Eccel.

O presidente da Ubam usou a tribuna por cerca de dez minutos para pedir ações que reduzam os gastos e, também, a instituição da tribuna de livre “da fato”. “Sugerimos que a atual administração municipal faça revisão de suas despesas. Especialmente com relação ao custo com pessoal”, disse sobre a prefeitura. Ele completou que “requeremos que esta casa [Câmara de Vereadores] proceda o arquivamento projeto de lei que prevê a contratação de assessores e também da ampliação do prédio”.

Há alguns meses, a Câmara de Vereadores manifestou a intenção de ampliar o prédio, trabalho que seria executado pelo Departamento Geral de Infraestrutura (DGI). O DGI chegou, inclusive, a discutir um projeto preliminar. Sobre a expansão do número de assessores, o projeto de resolução foi apresentado por Roberto Prudêncio Neto (PSD), quando não estava licenciado, e também foi defendido pelo líder do governo, Alessandro Simas (PR).

Com relação ao subsídio dos vereadores – o salário -, a entidade defende uma redução para aliviar os efeitos da crise econômica. Schlindwein afirma que esta iniciativa já foi proposta em diversos municípios e que, no entendimento dele, Brusque poderia fazer o mesmo. “Já trabalhamos no projeto “10 tá bom”, mas mesmo assim o número de vereadores foi para 15, então é claro que o custo da Câmara subiu”, explica.

Segundo o presidente da Ubam, a preocupação é com a continuidade de algumas obras no município, que poderiam ficar comprometidas se faltar dinheiro na prefeitura. “Aguardamos o posicionamento sobre obras e serviços previamente programados. Há apreensão geral”, disse na tribuna. Para Schlindwein, o setor privado já tomou medidas de cortes de gastos e o público não pode ficar à margem deste processo.
Schlindwein também informou que pediu audiência com o prefeito interino Roberto Prudêncio Neto no início de junho, no entanto, até agora não obteve resposta oficial do Executivo. Ele também pediu que a Câmara institua, de fato, o uso da palavra livre, para que as entidades comunitárias tenham a atenção dos parlamentares.
Pirola responde

O presidente do Legislativo, Jean Pirola (PP), apresentou dados, de 2014, que, segundo ele, mostram que a Câmara de Brusque já é econômica. “A nossa casa é enxuta, trabalhamos aqui com 26 pessoas”, disse na tribuna.
“A preocupação do presidente da Ubam [de economia] é a desta casa e da comunidade também”, afirmou. Pirola mostrou dados de gastos per capita nos quais Brusque aparece atrás de cidades de mesmo porte e maiores, como Joinville e Florianópolis.
O presidente do Legislativo também rebateu o pedido de arquivar os projetos de ampliação do prédio e também de contratação de assessores. “Não temos ideia de colocar em votação este projeto dos assessores. A ampliação da Casa é uma necessidade, sim, mas a contratação de assessores não é neste momento”, comentou, e completou que “cidades do mesmo porte já têm assessores e os gabinetes também têm verba, a nossa não tem”.

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio