Equipe brusquense de bocha tem expectativa modesta para o Jasc

Participação na etapa regional já é vista com motivo de orgulho para representantes brusquenses

Equipe brusquense de bocha tem expectativa modesta para o Jasc

Participação na etapa regional já é vista com motivo de orgulho para representantes brusquenses

As expectativas das atletas da bocha rafa vollo feminina são bem modestas na 54ª edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina. Estão expressas nas palavras da atleta Izabel Cassaniga, 64 anos, já contente em participar pela primeira vez da fase estadual da competição após cerca de 30 anos dedicados à modalidade. “Para nós, já é algo muito emocionante estar lá. O que vier agora será lucro”, comenta.

Embora conte com atletas experientes, as brusquenses têm ciência de que o caminho até o pódio em Itajaí é árduo. Em uma chave com Blumenau, Riqueza, Caçador e São Ludgero a intenção é se classificar entre as três primeiras colocadas do grupo para almejar, ao menos, um sexto lugar. O pódio é algo que praticamente não é cogitado entre as atletas. “Não é impossível, mas muito difícil”, admite Rita Sibelle Cirillo, a filha de Izabel. Assim como a mãe, ela também participa pela primeira vez dos Jasc. Já esteve presente em outras disputas, mas como árbitra. Agora terá a missão de comandar a equipe na competição mais importante do Estado. “É um orgulho muito grande ter essa oportunidade pela primeira vez indo como atleta”, diz.

O grupo brusquense será composto por 9 representantes em Itajaí. Destas, 7 são da cidade. Outras duas foram contratadas para reforçar a equipe após representarem Pomerode no regional. Roseli Mendoça vem de Blumenau, enquanto Dirgen Franzoi Piva é oriunda de Nova Trento. Em comum todas mostram o desejo de superação e a ansiedade para representar a cidade no litoral do Estado.

A emoção de Izabel e Sibelle também é compartilhada por outras atletas do grupo. Denise Diershnabel lembra que há muito tempo Brusque não era representada na modalidade. No ano passado, a cidade acabou na quarta colocação na etapa regional. Voltou à fase estadual este ano após o vice conquistado em Pomerode diante de Balneário Camboriú. “É algo muito gratificante”, comenta. Roseli Nicolodi e Maria Terezinha Horner também revelam a expectativa de entrar na cancha no litoral do Estado. “A gente vive uma ansiedade muito boa”, diz a primeira. A companheira da atleta afirma que sempre esteve envolvida com a modalidade nos Jogos Abertos, mesmo assim, cada competição tem uma sensação única. “Onde tem bocha eu estou no meio e a expectativa de cada Jasc é sempre distinta. É uma disputa diferente, acirrada, com muitos atletas bons. Mas vamos com muita força de vontade para tentar fazer um bom papel”, declara.

 

‘Blumenau é favorita’

Atual campeã da bocha rafa vollo, quando venceu a disputa em casa, Blumenau é vista pelas brusquenses como a principal favorita para levantar novamente o caneco da modalidade. “Eles têm que ‘honrar as calças’. A gente está só entrando de carona”, brinca Sibelle, ao comentar sobre o principal adversário do grupo. Outra força na chave de Brusque será Caçador, segundo a atleta, que diz não conhecer as equipes de Riqueza e São Ludgero. Apesar disso, o pensamento das atletas é unânime em cravar que a equipe de Brusque deu sorte no sorteio das chaves. Mesmo caindo no grupo da atual campeã, as atletas consideram que podem avançar em razão de terem escapado de uma chave mais complicada do outro lado da tabela. “Rio do Sul, Chapecó e Itajaí caíram na mesma chave. Então se matam entre eles. Isso para nós é muito bom”, observa Sibelle. O grupo B ainda é composto por Balneário Camboriú, campeã do regional em cima das brusquenses, e Criciúma. Com dois grupos de cinco equipes, os três melhores de cada avançam para a segunda fase. O primeiro colocado já garante vaga nas semifinais, enquanto segundo e terceiros colocados fazem um duelo entre si para definição dos adversários dos líderes na briga por uma vaga na decisão.

Relação de atletas que vão representar Brusque na competição
Rita Sibele Cirilo
Izabel Cassaniga
Roseli Nicolodi
Denise Dierschnabel
Terezinha Lopes
Elenita Martinenghi
Maria Terezinha Horner
Roseli Mendoça (Blumenau)
Dirgen Franzoi Piva (Nova Trento)
Bocha feminino
Chave A: Blumenau, Riqueza, Brusque, Caçador e São Ludgero
Chave B: Itajaí, Balneário Camboriú, Chapecó, Rio do Sul e Criciúma

 

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio