Equipe principal do Barateiro Futsal encerra as atividades após 10 anos

Clube brusquense conquistou duas taças da Copa Libertadores da América, em 2015 e 2016

Equipe principal do Barateiro Futsal encerra as atividades após 10 anos

Clube brusquense conquistou duas taças da Copa Libertadores da América, em 2015 e 2016

No auge do sucesso, com troféus em competições nacionais e continentais, a equipe adulta do Barateiro Futsal encerrou atividades. Foram dezenas de títulos conquistados, entre eles as duas taças da Copa Libertadores da América, em 2015 e 2016. Além disso, o clube brusquense revelou atletas talentosos, como a duas vezes eleita melhor do mundo Amandinha, e cedeu jogadoras fundamentais para as campanhas vitoriosas da Seleção Brasileira.

Resultados e conquistas que ficarão, pelo menos num futuro próximo, somente na memória dos que acompanharam as brilhantes campanhas de Amandinha, Diana, Esquerda e companhia. Atletas e comissão técnica que até meses atrás defendiam o time de Brusque já estão encaminhados em outros clubes ou a procura de oportunidade.

Motivos do fim

Rumores do fim do Barateiro adulto cercaram e se espalharam entre os interessados pela equipe desde o fim de 2016. A não participação do time na Taça Brasil de Futsal Feminino, realizada em dezembro do último ano, foi a pista de que havia algum problema.

A diretora do projeto, Daniela Civinski, a Dani, optou por dar um fim nos boatos e confirmar o que é verdade e o que é falso na história.

Segundo ela, conflitos ainda no ano passado foram o estopim para o encerramento do time adulto. “No fim do ano tivemos problemas internos, que não precisam ser especificados. Vivíamos um momento excelente, inclusive emplacamos três atletas e mais o técnico nas indicações de melhores do mundo. Mas os conflitos eram muitos, problemas pessoais que nos fizeram optar pela dispensa tanto das atletas quanto da comissão técnica”, diz.

Dani explica que a decisão foi tomada em conversa com a família, também responsável pelo Barateiro. “Concluímos que a gente não está aqui para aguentar certas coisas. Foi um elenco que chegou no auge. Encerramos algo que chegou no topo porque se tornou inviável”, diz.

Diretora do projeto Barateiro, Daniela Civinski disse que conflitos internos culminaram no fim do time adulto / Foto: Wendel Rudolfo
Diretora do projeto Barateiro, Daniela Civinski disse que conflitos internos culminaram no fim do time adulto / Foto: Wendel Rudolfo

Vida que segue

Já em dezembro, um trio de atletas que têm história com o Barateiro foi vice-campeão da Taça Brasil, mas por outra equipe. O Leoas da Serra, de Lages, apostou em Amandinha, Jhennif e Diana para reforçar o elenco que só perdeu a final para o Female Futsal, de Chapecó. Neste ano, as três jogadoras já confirmaram presença na equipe lageana novamente.

De férias em Fortaleza, cidade natal, a melhor do mundo relembrou com aperto no peito os bons momentos que viveu no vitorioso time brusquense. “Nessa época era para eu estar provando o uniforme, e reclamando com a Dani porque ficou muito grande. Foram seis anos de muitas alegrias. Para mim foi uma tristeza profunda o fim do Barateiro, eu me imaginava muitos e muitos anos na equipe. Mas sei que a vida nos proporciona mudanças e temos que aproveitá-las”, completa.

Trio ex-Barateiro, Diana, Amandinha e Jhennif estão fechadas com o Leoas da Serra, de Lages. / Foto: Leoas da Serra/Divulgação
Trio ex-Barateiro, Diana, Amandinha e Jhennif estão fechadas com o Leoas da Serra, de Lages. / Foto: Leoas da Serra/Divulgação

Mesmo com o fim do ciclo, Amandinha não tece críticas ao time e diz ter carinho profundo por Brusque. “Foi uma cidade e um povo que me acolheu. Eu fico sem palavras para expressar tudo o que eu vivi. Fui abraçada por Brusque. Quero agradecer a todos, principalmente para a Dani e a família dela”, completa.

Outro a seguir a vida profissional foi o técnico Anderson Menezes, o Esquerda. Depois de cerca de dez anos comandando as equipes de base e adulta, ele também foi dispensado. Hoje, faz parte de um projeto em Itajaí que busca repetir a receita de sucesso do Barateiro, além de seguir na tradicional equipe masculina em Luiz Alves.

Para Esquerda, não faltou raça em quadra na luta pelos objetivos. “Esse tempo todo que estivemos aí foi de muita dedicação, esforço e empenho. Tentamos dar o nosso máximo pela equipe e pela cidade. A gente fica triste pelo encerramento da equipe adulta. Da minha parte só tenho a agradecer pelo período de experiência e aprendizagem”, diz.

Um ano para recomeçar

Recomeçar é a palavra pilar para o Barateiro em 2017. A equipe adulta não existirá, mas Dani diz que o investimento na categoria Sub-17 será forte. Assim como tudo começou, em 2006, será das atletas mais jovens que o time ressurgirá. “Já contamos com um novo técnico que fazia um bom trabalho com o futsal em Camboriú, o André Deitos. Vai ser nossa aposta para que possamos ter, talvez, no futuro, ter um time adulto com essa espinha dorsal”, diz a diretora do projeto.

O trabalho também será voltado a buscar equipes masculinas de rendimento. “Também estamos tentando recursos, principalmente com a Fundação Municipal de Esportes (FME), para tentar times masculinos Sub-17 e Sub-20. Mas tudo vai depender da resposta da FME, em fevereiro”.

A grande novidade da temporada também fica por conta das escolinhas do Barateiro. Dani explica que será um trabalho feito com meninos e meninas dentro das escolas de Brusque. “Nós não queremos só entregar uma bola e dizer para eles jogarem, e sim realizar um trabalho sério com o desenvolvimento do futsal nas unidades escolares”, completa.


Títulos da equipe adulta

  • Estadual (2012, 2015, 2016)
  • Liga Feminina de Futsal (2014)
  • Liga do Desporto Universitário (2013, 2014, 2015, 2016)
  • Taça Brasil (2013, 2015)
  • Libertadores da América (2015, 2016)
  • Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc) (2013, 2015)
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio