Evento que discute o autismo reúne mais de 80 pessoas na Unifebe

Terceira edição da jornada abriu espaço para especialistas e autistas contarem suas experiências de vida

Evento que discute o autismo reúne mais de 80 pessoas na Unifebe

Terceira edição da jornada abriu espaço para especialistas e autistas contarem suas experiências de vida

A Associação de pais, professores e amigos dos autistas de Brusque e região (AMA) realiza neste sábado, 17, a terceira edição da Jornada de Atualização em Transtorno do Espectro Autista (TEA). O evento reúne mais de 80 pessoas no auditório da Unifebe para as palestras de profissionais e diversos especialistas sobre o tema.

O principal objetivo do evento é disseminar mais informações sobre esta condição neurológica que, apesar de estar em evidência nos últimos anos, ainda é pouco conhecida pelas pessoas. “Fala-se muito, mas sabe-se quase nada sobre o autismo. A sociedade ainda não parou para analisar os impactos sobre essa condição neurológica de uma forma mais profunda”, diz a presidente da AMA Brusque, Giselle Zambiazzi.

Segundo estimativas, existe um autista na faixa etária entre 0 e 18 anos para cada 300 habitantes de Brusque e região. “Isso sem contar aqueles que nunca procuraram ajuda médica e os adultos não diagnosticados”, destaca.

A pedagoga e vice-presidente da AMA Brusque, Clarice Kohler, destaca que a Jornada de Atualização em Transtorno do Espectro Autista é fundamental para a troca de experiências entre profissionais e familiares. “É um momento muito rico de troca, onde as pessoas estão buscando conhecimento”.

A ideia de promover a discussão mais profunda sobre o autismo surgiu ainda no primeiro ano da associação, que foi criada em 2013. “Idealizamos esse evento para discutir o autismo do ponto de vista mais científico, trazendo pesquisadores, médicos e também abrindo espaço para que os autistas possam contar suas experiências”, ressalta Giselle.

Neste ano, o convidado especial foi o cartunista Rodrigo Tramonte, 35 anos. Natural de Florianópolis, ele só recebeu o diagnóstico há cinco anos. Em sua palestra, ele fala sobre o seu livro: “Humor azul, o lado engraçado do autismo”, em que por meio de histórias em quadrinhos relata a vida de um personagem autista. Algumas histórias são baseadas em sua própria experiência.

“Muitos dizem que o autista vive num mundo dele, mas não é verdade. Vivemos no mesmo mundo, mas de um jeito diferente, assim como qualquer outra pessoa com deficiência”, diz Tramonte.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio