Eventos de corrida crescem em Brusque e atraem cada vez mais participantes

Grupos, academias e até poder público investem em promover e organizar competições da modalidade

Eventos de corrida crescem em Brusque e atraem cada vez mais participantes

Grupos, academias e até poder público investem em promover e organizar competições da modalidade

Correr vem se tornando a principal atividade física praticada pelos brusquenses. Grupos de corrida de rua se multiplicam e atraem cada vez mais adeptos, interessados em competir ou apenas em melhorar a qualidade de vida. Naturalmente, crescem também as opções de competição.

Todos os meses uma nova corrida surge, promovida por diferentes grupos, associações, academias, empresas e até mesmo pelo poder público. Com grande volume de participantes – algumas corridas chegam a alcançar 500 inscrições – as competições exigem bom nível de organização e muitos colaboradores envolvidos.

Correr pelo bem estar

Fernanda Fidelis chega a participar de duas corridas por mês. Foto: Arquivo Pessoal / Foco Radical

Profissional de educação física, Fernanda Fidelis é fascinada por corridas. A atleta chega a participar de dois eventos por mês, sendo que em outubro já tem três corridas programadas, e é figurinha carimbada em todas as competições realizadas no município.

Segundo Fernanda, a corrida a ajudou com sua profissão, além de auxiliar no emagrecimento. “A minha primeira corrida foi em fevereiro de 2016, para acompanhar uma aluna e amiga. Fui despreparada, mas peguei o gosto e não parei até hoje. Desde então eu perdi 10 quilos”, explica.

Fernanda também observou o aumento nas opções de corrida e no número de competidores. “Cada vez mais surgem novas provas. Tem gente de todo canto, até pessoas de outros estados”, destaca. Para ela, alguns requisitos são essenciais para a organização de uma prova. “Não pode faltar água, assistência médica, equipes para suporte ao corredor durante a competição, orientação e sinalização eficiente no percurso, além do chip para saber o tempo da corrida”.

Capricho na organização
Até o fim de 2017, pelo menos mais duas corridas estão confirmadas em Brusque, cada uma sob a organização de um grupo diferente. Neste ano, a loja Calçados Gevaerd, em parceria com o Núcleo de Academias (NABR) da Associação Empresarial de Brusque (Acibr), também promoveu uma corrida que foi sucesso de inscrições.

Segundo o diretor da empresa que comercializa também artigos esportivos, Marcelo Gevaerd, a ideia partiu de uma sugestão durante um curso fora do estado. “Nós observamos que as lojas de bicicletas sempre realizam eventos com a modalidade deles, reunindo os grupos de pedalada, e então foi sugerido que nós também realizássemos eventos de corrida. Em São Paulo e no Rio de Janeiro está muito em alta as lojas de esportes promoverem corridas”.

Além de contar com a própria corrida, a empresa de Gevaerd também patrocina os eventos realizados por outros grupos, valorizando a marca. “Hoje para realizar uma corrida há um custo alto, cerca de R$ 20 mil. Mas graças a Deus há uma grande aceitação por parte dos atletas”.

A corrida da Calçados Gevaerd com a NABR-Acibr teve uma atração diferente que foi uma categoria especial para crianças. “Foi muito boa a presença das crianças e das famílias. E para o próximo ano pretendemos realizar um circuito de corridas, dividido em etapas. Já conversei com o pessoal do núcleo para planejar isto e a aceitação por enquanto está boa”, revela.

Uma das mais prestigiadas corridas da cidade é a que integra o Circuito Unimed. Desde 2014, a empresa desenvolve e promove a modalidade, sendo que em 2017 inovou ao trazer a primeira corrida noturna. Segundo o gerente da Unimed de Brusque, Guilherme Gamba, a modalidade tem tudo a ver com os princípios da empresa.

“A Unimed trabalha com saúde, portanto nada mais justo do que fazer parte deste circuito. Foi um evento idealizado pela Unimed de Santa Catarina, lançando a nível estadual com o intuito de incentivar a prática esportiva”.

Neste ano, a corrida chegou ao número de 500 inscritos, mas muitas pessoas ficaram de fora porque este foi o teto estipulado para as inscrições. “Muitas pessoas perguntaram porque a Unimed não ampliou o número de vagas, mas quanto mais atletas mais pessoas são necessárias na organização.

Nesta última edição foram 80 pessoas envolvidas diretamente, explica Gamba. “A corrida está em alta por ser uma atividade democrática, atinge várias idades, envolve pouco investimento do atleta e é um esporte que vemos pais, filhos e cônjuges participando em união”.

Novidades na pista
Em alguns meses, mais grupos realizarão corridas em Brusque. A Corrida e Caminhada Rotary Contra Diabetes, promovida pelo Rotary Club do município, e o Santos Dumont Run, do clube do bairro Santa Terezinha, já estão na rota dos corredores.

Organizador da corrida do Santos Dumont, que é intermediado pela academia WT Energy, William Todt comentou sobre a competição. “Levar o nome do Santos Dumont é uma grande responsabilidade, mas existem alguns passos básicos para que não haja erros, como cuidados com a hidratação dos atletas e o atendimento médico, além da cronometragem correta”.

A Santos Dumont Run será uma das últimas provas do ano, no dia 26 de novembro, mas Todt afirma que já há procura. “Recebemos contatos de grupos de corrida, o interesse está sendo legal. Pessoas de fora do município. Vai ser um evento com bom público e a expectativa é de que sejam 300 participantes”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio