Exposição de orquídeas atrai bom público ao pavilhão da Fenarreco

Evento promovido pela Abapo reuniu orquidófilos de várias cidades

Exposição de orquídeas atrai bom público ao pavilhão da Fenarreco

Evento promovido pela Abapo reuniu orquidófilos de várias cidades

Apreciadores de orquídeas de vários cantos de Santa Catarina foram ao pavilhão Maria Celina Vidotto Imhof no fim de semana para a 14ª Exposição de orquídeas labiatas, plantas ornamentais, flores, artesanato e variedades. O evento, que já é um dos principais do segmento no estado, é realizado pela Associação Brusquense de Orquidófilos e Amadores de Plantas Ornamentais de Brusque (Abapo).

Apesar da chuva, que, de modo geral, costuma afugentar o público, o presidente da Abapo, Gilmar Serafim Machado, considera que a exposição atingiu a expectativa. “A presença do público foi razoável, sempre esperamos um público melhor, mas foi dentro da expectativa de 4 a 5 mil pessoas. Mas gostaríamos que fosse mais”, diz.

As pessoas que foram ao pavilhão puderam ver de perto cerca de 600 plantas de exposição, além de outras cerca de 3 mil plantas para venda. Além disso, o evento contou com a participação de artesãos que comercializaram suas obras.

Marciano Orlandi, de Canelinha, foi ao pavilhão com a família. Foi a segunda vez que ele veio a um evento da Abapo, e, novamente, aprovou o que viu. “É um lazer que tenho”, diz, sobre o interesse por orquídeas.

Machado diz que o número de plantas vendidas variou bastante entre um comerciante e outro. “Mas, no geral, a maioria dos participantes ficou satisfeita com a feira”.

Novidades
A competição de orquídeas teve uma novidade nesta edição: mais três troféus. O vice-presidente da Abapo, Pedro Lazzerini, explica que a entidade criou mais três canecos para serem disputados. Além do campeão geral, também foram premiados os primeiros lugares nas plantas claras, escuras e coerulea.

“Esse ano acrescentamos mais três troféus para dar mais oportunidades para mais pessoas”, afirma Lazzerini. Segundo ele, que já é associado da Abapo há 45 anos, o nível das plantas de exposição “foi ótimo”.

João Carminatti foi um dos premiados. Ficou em primeiro lugar com a sua cattleya bicolor, uma planta nacional. Ela é original de Minas Gerais e Espírito Santo, contudo, adapta-se bem ao Sul do país.

Carminatti ficou contente com o primeiro lugar, porém, a premiação é secundária para o orquidófilo. “Ganhei já muitos troféus e medalhas, mas o importante, para nós, não é a competição. É a amizade que a gente faz, e cultivar e cuidar da natureza, essas coisas bonitas que Deus nos deu”.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio