Exposição resgata história do pioneiro da imigração polonesa no Brasil

Mostra itinerante sobre Sebastião Edmundo Wos Saporski passa por Brusque até o dia 26

Exposição resgata história do pioneiro da imigração polonesa no Brasil

Mostra itinerante sobre Sebastião Edmundo Wos Saporski passa por Brusque até o dia 26

Integrando a comemoração dos 150 anos da imigração polonesa no Brasil, a Fundação José Walendowsky deu início ao projeto Wos Saporski com a exposição “Sebastião Edmundo Wos Saporski – Pai da Imigração Polonesa no Brasil”. A mostra foi inaugurada na última sexta-feira, 19, na Casa de Brusque, e segue aberta à visitação até o próximo dia 26.

Veja também:
Eleições impulsionam venda de camisetas personalizadas em Brusque e região

Por falta de interessados, cargos de médico e dentista estão vagos em Brusque

Obra de duplicação da rodovia Antônio Heil deve recomeçar em até 30 dias

De caráter itinerante, a mostra tem como objetivo mostrar a relevância dos trabalhos desenvolvidos por Saporski. Brusque foi a primeira cidade a receber a exposição, que é uma parceria entre a Casa da Cultura Polônia Brasil e o Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba.

O presidente de honra da Fundação José Walendowsky, Ivan José Walendowsky, acredita que a exposição, realizada em Brusque, é importantíssima para o resgate da história da imigração polonesa: “Na abertura, a embaixada da Polônia na região Sul se fez presente, assim como a professora Rosemari Glatz, que nos acompanha no resgate da colonização, a diretoria da Casa de Brusque e autoridades do município, além de boa presença de público.”

Com painéis em português e em polonês, a exposição conta a história e os trabalhos do imigrante que se estabeleceu em Santa Catarina em 1868, já na região de Brusque e Blumenau. Na região Sul, há mais de dois milhões de descendentes de poloneses, e a maioria está radicada em Curitiba e em sua região metropolitana. A mostra conta também o contexto histórico da Polônia durante o período e também do Brasil na época em que o Governo Imperial investiu em políticas de imigração.

Em 1920, Saporski recebeu o título de “pai da imigração polonesa no Brasil” do primeiro cônsul polonês em Curitiba, Kazimierz Gluchowski. O pioneirismo de Saporski foi reconhecido não apenas em Brusque e no Brasil, mas também pelo governo polonês: em 1924, recebeu a Cruz da Polônia Restituta, condecoração do país em reconhecimento a grandes realizações em prol do país.

Segundo Walendowsky, a chegada do imigrante coloca Brusque como marco inicial da imigração polonesa. “Nos orgulha, pois os imigrantes contribuíram muito para o desenvolvimento da região Sul do Brasil.” Ele afirma ainda que quem visita a exposição está, além de vivenciando a cultura, aprimorando conhecimentos históricos.

“Temos grande satisfação, como Fundação, em participar junto com essas entidades da organização dessa mostra. Somos de Brusque e integrar eventos culturais com a representação da Polônia no Brasil é de muita importância”, pontua.

Veja também:
Grupo estuda manter Pelznickelplatz aberta o ano todo no futuro

Procurando imóveis? Encontre milhares de opções em Brusque e região

Fusca tomba após bater em ponto de ônibus e três ficam feridos, em Blumenau

Honra ao mérito
O presidente de honra da Fundação recebeu, do Ministério da Cultura da Polônia, a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, maior comenda concedida pela pasta. “Fui tomado de grande surpresa, eu não sabia que iria receber essa honraria”, diz Walendowsky.

A medalha recebida se deve ao envolvimento com a cultura e a tradição polonesas, como a música e as danças folclóricas, a gastronomia e a história. “Tentamos mostrar o jeito do polonês, que é um povo alegre e aberto às coisas boas da vida. Sempre que pude, tentei contribuir com isso”, diz.

Exposição Sebastião Edmundo Wos Saporski – Pai da Imigração Polonesa no Brasil
Onde: Casa de Brusque – Avenida Otto Renaux, 285
Horário de visitação: terça à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h