Fala, Brusque! Pesquisa indica que qualidade da água fornecida pelo Samae de Brusque é aprovada por 60% da população

Pesquisa IPS Univali/Unifebe, encomendada pelo Município Dia a Dia, avaliou o serviço

Fala, Brusque! Pesquisa indica que qualidade da água fornecida pelo Samae de Brusque é aprovada por 60% da população

Pesquisa IPS Univali/Unifebe, encomendada pelo Município Dia a Dia, avaliou o serviço

O Instituto de Pesquisas Sociais (IPS) da Univali em parceria com a Unifebe realizou, a pedido do Município Dia a Dia, uma pesquisa de avaliação dos serviços públicos prestados em Brusque. O levantamento foi realizado entre os dias 22 e 23 de setembro e ouviu 682 pessoas, distribuídas em 27 bairros do município.

Foram avaliadas a saúde, educação, infraestrutura, mobilidade urbana, qualidade da água, saneamento básico, coleta de lixo e geração de empregos em Brusque. Com o resultado das pesquisas, o Município Dia a Dia publica, a partir de hoje, uma série de reportagens sobre o que os brusquenses pensam de cada tema e, ainda, um panorama dos desafios de cada área para o futuro.

O primeiro serviço avaliado pela população foi a qualidade da água fornecida pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae). A área foi bem avaliada pelos brusquenses: 55,57% dos entrevistados considera a qualidade da água em Brusque boa. Outros 4,69% consideram o serviço ótimo. Já 19,79% da população classifica o serviço como regular, outros 8,36% ruim e 3,67% péssimo. A porcentagem dos que não sabem ou não responderam a pergunta é de 7,92%.

A diretora-presidente do Samae, Fabiana Dalcastagné, comemora a avaliação positiva sobre a qualidade do serviço prestado pela autarquia. No entanto, ela lembra que para manter em alta a qualidade da água é preciso fazer investimentos para os próximos anos.
Segundo ela, o que mais precisa ser melhorado no Samae é a quantidade de água distribuída para a população, já que hoje, a autarquia só abastece de forma satisfatória. “Temos uma série de restrições, principalmente com novos empreendimentos. A expansão da cidade, queira ou não queira, está indo para os arredores, não está mais no Centro, então temos muito trabalho de ampliação de rede para executar e poder levar água para esses locais”.

Fabiana diz que essa ampliação da rede já está sendo executada, mas não pode parar por aí. Na avaliação dela, a próxima gestão do Samae deve ampliar este trabalho para poder aumentar a distribuição de água.

Produção de água

Outro desafio da autarquia é aumentar a produção de água. Para isso, Fabiana diz que é essencial a construção de uma nova Estação de Tratamento de Água (ETA). A diretora afirma que a quantidade de água produzida terá um pequeno aumento após a inauguração do novo reservatório de 6,5 milhões de litros que está sendo construído no parque Leopoldo Moritz. No entanto, isso não será suficiente por muito tempo. “Teremos essa reserva maior para que nos períodos de alto consumo a população não fique desabastecida, mas isso tem um limite. Sem criar uma outra fonte de tratamento de água, vai chegar um momento em que não teremos mais água suficiente sem a criação de uma nova ETA”.

O diretor geral da Agência Intermunicipal de Regulação do Médio Vale do Itajaí (Agir), Henrich Luiz Pasold, também vê a construção de uma nova estação de tratamento de água em Brusque como urgente. “Constatamos há três anos e temos alertado a administração municipal que é preciso aumentar a capacidade de reserva e a capacidade de produção de água em Brusque. Não existe uma capacidade de reservação técnica suficiente instalada hoje. Brusque já deve começar a pensar em uma nova estação de tratamento com urgência”.


FALA BRUSQUE

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio