Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Falar mal de Florianópolis será o discurso dos candidatos ao governo de Santa Catarina

Raul Sartori

Jornalista graduado em Ciências Sociais, atua na imprensa catarinense há cerca de 40 anos - raulsartori@omunicipio.com.br

Falar mal de Florianópolis será o discurso dos candidatos ao governo de Santa Catarina

Antipatia e simpatia

Raul Sartori

Mal da Capital 1
Pelas primeiras movimentações das pré-candidaturas postas ao governo do estado, principalmente pelos discursos, dá para concluir que a estratégia de conquista de voto é a mesma de outras candidaturas, bem sucedidas, aliás. O mote é falar mal de Florianópolis, da Capital, que segundo tais vozes, é onde fica todo o dinheiro em detrimento dos investimentos “no interior”. No Norte catarinense há seguidas referências jocosas a um tal de PDC (Partido da Capital) como poço de maldades e de infortúnios, por ficar à frente de reivindicações dos demais municípios, como se isso fosse possível.

Mal da Capital 2
Em relação ao mesmo e recorrente tema, vale lembrar que até próceres da iniciativa privada se manifestam na mesma linha, como aquele famoso empresário blumenauense que cunhou a expressão “Ilha do ócio e do vício”. O mais interessante é que na sua maioria, depois de tanto falar mal da Ilha de SC, os que se elegem com esse discurso para ela se mudam, inclusive com a família toda. E arrumam empregos públicos, com ingresso quase sempre pela janela, para diferentes gerações e variações de parentesco. E quando voltam ao interior justificam que foram “obrigados pelas circunstâncias”.

Farra
O blogueiro Cláudio Humberto conta que os 24 deputados distritais (DF) custam a fábula de R$ 73,2 milhões ao ano, valor que supera os R$ 71,4 milhões (outro absurdo) gastos pela Assembleia Legislativa de SC, que tem 40 deputados.

Antipatia e simpatia
Deputado federal mais votado em SC em 2014, João Rodrigues (PSD), antecipa desde já: “em respeito aos eleitores”, não estará em coligação política em 2018 que tenha apoio do PT e do PCdoB. Para a presidência da República também adianta que tem como preferências de seu apoio Geraldo Alckmin ou João Dória e Álvaro Dias.

Talento
O catarinense Jader Almeida, de repente alçado a celebridade no designer brasileiro e internacional, já é alvo de honrarias por seu talento. Recebeu homenagem especial, semana passada, em São Paulo, na sétima edição do Prêmio Casa Cláudia, da Editora Abril, quando foi apresentado como um dos maiores nomes da atualidade, com peças reconhecidas nos principais concursos nacionais e internacionais.

Reconhecimento
O advogado criminalista Rodolfo Macedo do Prado, de Florianópolis, é destaque deste mês no material nacional de divulgação da Aliança de Advocacia Empresarial (Alae), composta por alguns dos maiores escritórios do país. A edição destacou um estudo do catarinense sobre crimes tributários e sua iniciativa que resultou na criação da Comissão de Direito Penal da OAB-SC, da qual é secretário-geral. Criada em 2004, a Alae é hoje a maior e mais prestigiada rede de escritórios de advocacia do continente com mais de 2.500 profissionais integrados, tendo abrangência no Brasil e na América Latina.

Odioso privilégio
A ONG Contas Abertas calcula que o contestado auxílio-moradia a juízes e procuradores já custou aos cofres públicos R$ 4,5 bilhões desde setembro de 2014. Por mês, 17 mil magistrados e cerca de 13 mil procuradores podem receber R$ 4,3 mil, mesmo que morem na mesma cidade em que trabalham ou tenham residência própria. Sim, legal. Mas imoral, excelências.

Visto
É tudo o que quer o catarinense Vinicius Lumertz, presidente da Embratur: o presidente Michel Temer estuda isentar de visto brasileiro cidadãos norte-americanos. Melhor seria se houvesse reciprocidade, ou seja, também isentar de visto os brasileiros para entrar nos Estados Unidos.

Ensino religioso
Nesta quarta-feira o Supremo Tribunal Federal julgará a legalidade da inclusão ou não do ensino religioso na grade curricular das escolas da rede pública. O próprio STF fez recentemente audiências públicas sobre o assunto e uma das principais contribuições foi do secretário da Educação de SC, Eduardo Deschamps, para quem tal ensino deve ser não confessional, e que, dada a importância da religião na sociedade brasileira, tenha espaço específico nas escolas e seja ofertado por professores com formação própria na área. É o que já ocorre em SC e que é ministrado na mais absoluta normalidade.

Imposição ideológica
O Ministério Público Federal liberou mais informações sobre a acusação de “imposição ideológica e política” contra dois professores do Instituto Federal Catarinense, de Abelardo Luz, já afastados dos cargos. Uma delas é que a instituição teria criado um novo curso superior em pedagogia para “inserir membros do MST dentro do campus, como professores”. Mais: professores ligados ao movimento teriam obtido informação privilegiada para passar no concurso da instituição. O instituto está localizado no interior de um assentamento do MST que, em nota, afirma que a decisão “é parte de uma ofensiva do Estado em negar o direito à educação aos povos do campo”.

DETALHES
Cena lamentável no final da manhã de domingo em ruas centrais de Florianópolis: em seis ônibus, torcedores do time paulista de futebol São Paulo “apreciavam” a cidade sentados nas janelas dos veículos.

Empreendedor na área de energias alternativas manda e-mail indignado por não conseguir entender como uma reles licença para um pequeno parque eólico possa demorar mais de um ano em SC.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio