Falta de recursos federal e estadual atrasa implantação de Caps Infantil, em Brusque

Segundo Secretaria de Saúde, não há previsão para a liberação dos valores

Falta de recursos federal e estadual atrasa implantação de Caps Infantil, em Brusque

Segundo Secretaria de Saúde, não há previsão para a liberação dos valores

No início de 2015, a Prefeitura de Brusque havia informado ao Município Dia a Dia que, até o fim daquele ano, implantaria um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) Infantil no município. Mais de um ano e meio depois da informação, o projeto ainda não saiu do papel. O motivo principal, afirma a Secretaria de Saúde, é a falta de recursos federal e estadual.

Segundo o diretor geral da Secretaria de Saúde, Luis Fernando Sani, para o município abrir um Caps Infantil, o estado precisa repassar três parcelas de R$ 15 mil. Assim como o estado, o governo federal também precisa repassar R$ 30 mil para a abertura e cerca de R$ 30 mil mensais para a manutenção do espaço.

“A gente não recebeu nenhum valor para poder abrir. O que se ouve do governo federal é que existem vários Caps que aguardam credenciamento. Nós já enviamos para o Ministério da Saúde a solicitação. Só estamos aguardado o retorno”, explica Sani.

Outro fator que também auxilia na dificuldade de implantação do Caps Infantil para esse ano é a contratação de profissionais. Segundo Sani, o período eleitoral prejudica a contratação, além disso, atualmente, não há concurso público em vigência.

Para atender os pacientes, afirma o diretor geral, são necessários um psiquiatra, um enfermeiro com formação em saúde mental, quatro profissionais específicos – como professor de educação física – e seis profissionais de nível médio, como técnico de enfermagem.

“A instalação do Caps Infantil é uma necessidade do município. Existe demanda para isso. Hoje essas crianças são absorvidas pelas unidades de saúde, que encaminham para especialistas”, afirma o diretor.

Imóvel

Em matéria publicada em março do ano passado, a Secretaria de Saúde analisava o imóvel que abrigou o Instituto de Previdência do Estado de Santa Catarina (Iprev), na rua Riachuelo, no Centro. Porém, de acordo com a atual gestão, o local foi descartado pela dificuldade de adaptar o espaço para os atendimentos.

“O DGI [Departamento Geral de Infraestrutura] avaliou que era muito alto o valor para as adaptações que precisaríamos fazer. Agora estamos buscando outro local em que não exista a necessidade de tanta adaptação”, afirma Sani.

Uma das atuais possibilidades do órgão é uma casa localizada na rua Tiradentes, próxima à sede do Sintrafite. De acordo com o diretor geral, a Secretaria de Saúde solicitará avaliação do local ao DGI.


O Caps Infantil

O objetivo do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantil é atender crianças e jovens de até 17 anos que apresentam transtornos mentais ou transtornos decorrentes do uso de drogas.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio