Faltam aparelhos de ar-condicionado nas lojas de Brusque

Com a alta demanda, espera pelo eletrodoméstico pode durar mais de 20 dias

Faltam aparelhos de ar-condicionado nas lojas de Brusque

Com a alta demanda, espera pelo eletrodoméstico pode durar mais de 20 dias

Quem pretende comprar um ar-condicionado para fugir das altas temperaturas vai ter que andar muito para encontrar o aparelho. Em Brusque, ele é o produto mais vendido nas lojas de eletrodomésticos. A procura é tão grande, que muitas lojas do município não tem mais em pronta-entrega e, assim, a espera pelo aparelho pode durar mais de 20 dias.

“Cerca de 80% da procura aqui na loja é pelo ar-condicionado. Todo ano nos preparamos porque a procura é grande, mas neste ano está muito maior, não sei como as fábricas estão conseguindo produzir, porque o produto não está sendo procurado somente em Brusque”, diz o gerente geral da Lojas Colombo, Marcos Maturino Neto.

Lá, até o início da tarde de sexta-feira, 31 de janeiro, haviam alguns aparelhos em estoque, mas a procura foi tão grande que no sábado, 1º, não restou nada em estoque. “Recebemos na sexta-feira de manhã uma carga de 40 aparelhos. No início da tarde tínhamos apenas 22. Agora, não temos mais previsão de quando vamos receber o produto novamente”, ressalta.

Na Loja Koerich, a situação é semelhante. “Temos apenas o modelo de 7.000 BTUs. Ainda nos restam 100 aparelhos, mas estamos vendendo uma média de 20 a 30 por dia. Esses que temos em estoque acredito que não vão durar nem dois dias”, diz o vendedor Almir Rogério Darosci. De acordo com ele, a previsão para repor o estoque na loja é de 15 a 30 dias.

O gerente da Loja Berlanda, Abrão Carlos Colzani, afirma que não tem o suficiente para atender a demanda. “A procura está demais. Estamos vendendo bastante também o ar portátil na falta do produto de janela e o split”, destaca.

Segundo ele, as pessoas precisam esperar de três a quatro dias para chegar o produto. “A mercadoria chega de manhã e no fim do dia já não tem mais, aí precisam esperar mais quatro dias. Acredito que tivemos um acréscimo de 16% em comparação com o mês de janeiro de 2013 na venda do aparelho”, diz.

Já na loja Magazine Luíza, restam apenas os modelos de 7.000, 12.000 e 18.000 BTUs. “Os de 9.000 não tem mais, e esse é o modelo mais procurado, ideal para quarto e ambientes pequenos. Esse modelo não temos previsão de quando vai chegar”, afirma o gerente Manoel Francisco Xavier.


>> Leia matéria completa na edição do Jornal Município Dia a Dia de segunda-feira, 3 de fevereiro

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio