Feiras de Tecnologia movimentam escolas da região

Evento foi realizado na última sexta-feira, 9, na escola Monsenhor Gregório Locks em Brusque

Feiras de Tecnologia movimentam escolas da região

Evento foi realizado na última sexta-feira, 9, na escola Monsenhor Gregório Locks em Brusque

As escolas das redes municipal, estadual e particular dos oito municípios de abrangência da Agência de Desenvolvimento Regional (ADR) de Brusque participaram na última sexta-feira, 9, da 19ª Feira Regional de Matemática e da 8ª Feira Regional de Ciência e Tecnologia. A Escola de Educação Básica Monsenhor Gregório Locks, no Dom Joaquim, foi palco das atividades voltadas ao conhecimento.

Na Feira de Matemática foram apresentados 50 trabalhos nas categorias Educação Infantil, Educação Especial, Anos Iniciais, Ensino Médio, Professor e Ensino Superior. Já no evento de Ciência e Tecnologia foram 18, onde envolveram-se estudantes e professores da rede pública estadual, nas categorias Anos Finais, Ensino Médio e Ensino Profissionalizante.

Estudantes da Monsenhor Gregório Locks apresentaram um gerador de energia eólica / Foto: Daiane Benso
Estudantes da Monsenhor Gregório Locks apresentaram um gerador de energia eólica / Foto: Daiane Benso

Foram selecionados para a fase estadual da Feira de Matemática 13 e três para a de Ciência. Além disso, 16 trabalhos receberam menção honrosa. Entre eles, a apresentação da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Brusque (Apae), com o título “Utilizando a matemática através de gênero textual – bolo mármore”, coordenada pela professora Joice Vilma Maria Barni.

A gerente de Educação da ADR Brusque, Sônia Pereira Maffezzolli, diz que além da integração entre as unidades escolares e municípios, as feiras têm como objetivo promover o intercâmbio de experiências e inovar metodologias que possibilitem transformar a matemática em ciência e principalmente estabelecer a união científico-cultural entre estudantes.

Preocupação com a sustentabilidade

As alunas do 7º ano da escola Monsenhor Gregório Locks, Mariana Lombardi Pavesi, 12 anos, e Giovana Schwamberger, 13, desde julho estão trabalhando com o projeto voltado à energia solar em postes públicos. Elas apresentaram uma placa solar, carregada com uma bateria, que gera energia para a maquete, que neste caso é o poste e uma casinha com luz.

Trabalho que visa a energia solar em postes públicos também foi apresentado na feira / Foto: Daiane Benso
Trabalho que visa a energia solar em postes públicos também foi apresentado na feira / Foto: Daiane Benso

As estudantes explicam que a placa faz a conversão da luz em energia solar, composta de fótons, que proporciona o efeito fotovoltaico, que carregará a placa e gerará a energia. “Buscamos conscientizar para a questão sustentável, já que a energia solar é uma fonte ilimitada, renovável e ecologicamente atrativa, que não emite barulhos e é de fácil manutenção”, diz Mariana.

Giovana afirma que o Brasil é um país com grande incidência de sol e que a energia poderia ser melhor utilizada. “Ao invés de comprar energia poderíamos vender, gerando economia”.

Arthur Felipe Garcia e Gabriel Cordeiro Conder Romanski, ambos com 12 anos e do 6º ano da escola Monsenhor Gregório Locks, também se preocuparam em apresentar na feira um assunto relacionado à sustentabilidade. Romanski diz que a energia eólica é totalmente limpa e renovável e Garcia aponta que seria a melhor forma de armazenamento de energia.

Os alunos exemplificaram como fazer um gerador de energia: “O secador gera o vento, simulando o vento real. Ele faz girar a hélice e quando gira também gira o eixo do motor que dá energia. Este motor gera até dois volts. O motor é de imã, tirado de um DVD. Essa energia passa pelos fios e liga os leds e esses leds têm um volt”.

A preocupação com a alimentação saudável foi outra importante questão trazida pelos estudantes durante as feiras. Ana Paula Thomas, 15, do 9º ano da Escola Básica Padre Lux, conta que as crianças das séries iniciais do Ensino Fundamental da instituição – do matutino e vespertino – foram medidas e pesadas para se descobrir o Índice de Massa Corporal (IMC). A constatação preocupou os alunos, já que descobriu-se que vários estavam acima do peso. Por isso, a decisão foi abordar o tema no evento, realizando a medição do IMC, disponibilizando cartões com informações sobre nutrientes de frutas e conscientizando o público. “Estar acima do peso pode ocasionar doenças cardiovasculares, entupimento das artérias pelo acúmulo de gordura, AVC [ acidente vascular cerebral], entre outras doenças”.

Segundo Ana Paula, as crianças têm papel fundamental na conscientização da família, já que podem levar novos hábitos alimentares para casa e auxiliar os familiares à prevenção.

Fase estadual

Serão selecionados para a fase estadual da Feira de Matemática 13 trabalhos classificados na Regional. O evento acontecerá em Timbó, de 26 a 28 de outubro. Para participar da etapa catarinense da Feira de Ciência serão escolhidas três apresentações. O local e a data desta fase ainda serão confirmados pela organização.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio