Nos primeiros anos, Botuverá não contava com padres residentes no povoado. De acordo com pesquisa de Pedro Bonomini, entre 1876, quando os primeiros moradores se instalaram em Porto Franco, até 1912, quando foi instalada a paróquia no município, um leigo assumia a função de sacerdote. Ou seja, era o capelão ou sacristão que muitas vezes presidia os sepultamentos, os cultos dominicais, batismos, procissões e as “via crucis”.

Nessa época, o povoado era atendido pelos vigários da Paróquia São Luiz Gonzaga de Brusque ou por coadjutores. As visitas ocorriam em uma média de três vezes por ano para celebração de missas, confissões, realização de casamentos, batismos, crisma, primeira comunhão, benzimentos e outros ritos.

No início, os únicos meios de se chegar a Botuverá era a cavalo por picadas abertas. Outra forma era por uma canoa pelo rio, ou até mesmo a pé. Somente anos depois, com a abertura da estrada de ligação com Brusque que se passou a utilizar a “ranha”, como eram chamadas as carroças e charretes na época.

Com a criação da paróquia São José de Porto Franco, em 2 de outubro de 1912, o padre João Stolte tomou posse como o primeiro vigário nomeado. Ele permaneceu até 26 de dezembro de 1919.

Entre 1920 a 1938, a paróquia São José de Porto Franco reduzida a “curato” e foi pastoralmente atendida por padres de Brusque.

Em 10 de dezembro de 1939, um padre foi novamente nomeado a vigário residente de Porto Franco: Jorge Brand. Ele permaneceu no povoado até maio de 1943 e era coadjutor do padre Germano Brand, vigário de Brusque que já atendia a paróquia.

Após isso, diversos vigários assumiram a paróquia e, em 1991, eles começaram a ser chamados de párocos. Também, ao longo dos anos, muitos padre e freiras surgiram no município.

CONTINUA APÓS ANÚNCIO
CONTINUA APÓS ANÚNCIO

Fé entre gerações

Primeiro padre nascido em Botuverá ordenado foi Cosmo Maestri, em 17 de março de 1956 | Foto: Paróquia São José/Arquivo

O primeiro padre botuveraense a ser ordenado foi Cosmo Maestri, em 17 de março de 1956. Ele faleceu em 7 de janeiro de 2015. Já o segundo sacerdote nascido no município foi Flávio Morelli, ordenado em 26 de junho de 1957.

O padre Flávio, que tem 92 anos, está no Noviciado Nossa Senhora de Fátima, em Jaraguá do Sul. Ele se recupera de uma queda sofrida em junho de 2021, mas se prepara para comemorar os 65 anos de Ordenação Sacerdotal.

No noviciado, padre Flávio recebe a visita de diversas pessoas que conheceu ao longo do caminho de fé e que mantêm carinho pelo sacerdote. “Para mim, ser padre foi a melhor escolha que tive, porque no decorrer dos anos fiz muitas amizades. Foi uma vida gratificante, pois gostava de ajudar as pessoas e ver as pessoas felizes”, conta.

PADRE FLÁVIO MORELLI
Flávio Morelli é o padre vivo com mais anos de sacerdócio entre os nascidos no município | Foto: Divulgação

A Primeira Ordenação de um padre que aconteceu em Botuverá foi a de Vilberto Gianesi (desistente), em 29 de junho de 1966. Contudo, ao longo dos anos, diversos filhos da terra passaram pela ordenação.

“O Catolicismo, com raízes fortes e bons frutos, prevaleceu e ainda representa a grande fatia deste povo. Como fruto de sua religiosidade, tornou-se um celeiro de vocações onde já foram ordenados 23 sacerdotes e fizeram votos 31 freiras, todos filhos da terra”, completa Pedro Bonomini.

Botuverá no sacerdócio

PADRE ELINTON
Comunidade Bethânia/Arquivo

O último padre ordenado foi Elinton Costa, que atualmente atua na Comunidade Bethânia, em São João Batista. Em fevereiro, ele completou 10 anos de ordenação.

Para ele, viver o sacerdócio é uma alegria e um privilégio, além de ser uma grande responsabilidade. “O sacerdócio é uma grande graça, pelo ministério que me foi confiado para poder levar o amor de Deus e o próprio Cristo às pessoas para suavizar um pouco do sofrimento. É uma grande graça poder colaborar no mundo para que haja mais esperança, fraternidade e amor”, diz.

Como sendo parte da história, padre Elinton reflete sobre os impactos de ter nascido em Botuverá no sacerdócio. Ele cita valores como os da família, os cuidados e o respeito com as pessoas, com os valores tradicionais próprios da igreja, da religião, da fé e da espiritualidade.

“Penso que Botuverá pode contribuir muito para o mundo e sociedade trazendo à tona valores que passam a partir de uma vivência simples, de um povo simples, mas que tem um coração gigante e muito generoso. Um coração ainda muito fervoroso no que diz respeito a fé”, finaliza.

Padres do povoado antes da criação da paróquia

Alberto Gattone (de 1876 a 1882)
Arcângelo Ganarini (de 1882 a 1886, era italiano)
João Fritzen (de 1886 a 1892)
Antonio Eising (de 1892 a 1904)
Gabriel Lux (de 1904 a 1905)
João Stolte (de 1905 a 1906)
Henrique Meller (de 1906 a 1911)

Párocos da paróquia São José (de Porto Franco e Botuverá)*

1 – João Stolte (de 1912 a 1919)
2 – Germano Bernardo Brand (de 1922 a 1938, vigário de Brusque durante o curato)
3 – Jorge Brand (de 1939 a 1943)
4 – Pedro Storns (de 1943 a 1944)
5- Bernardo E. Köwner (de 1945 a 1951)
6- Carlos Enderlin (de 1951 a 1961)
7 – Francisco Robl (de 1961 a 1967)
8 – Guilherme Afonso Kürpick (de 1967 a 1970)
9 – Floriano Martins de Oliveira (de 1970 a 1978)
10 – Bernardo de Claraval Emendörfer (de 1978 a 1983)
11 – Alberto Piazera (de 1983 a 1984)
12 – João Miguel (de 1984 a 1992)
13 – Laudelino Röecker (de 1993 a 2001)
14 – José Francisco Alves (de 2001 a 2004)
15 – Ari João Erthal (de 2004 a 2007)
16 – Valério Eller (de 2007 a 2012)
17 – Osvaldo Rech (administrador paroquial na ausência do pároco – 2012 a 2013)
18 – Mário Peixe (2013 a 2017)
19 – Paulo Vanderlei Riffel (2017 a 2021)
20 – Aldecir José Piai (2021 a 2022)
21 – Carlos Alberto Rodrigues (atual pároco)

* Não são citados padres coadjutores ou que assumiram interinamente a paróquia até 2012

Fontes: pesquisas de Pedro Bonomini e Paróquia São José

PADRE - PÁROCO
Atual pároco Carlos Alberto Rodrigues | Foto: Luiz Antonello/O Município
PADRE - VIGÁRIO NELSON
Atual vigário, padre Nelson Tachini | Foto: Luiz Antonello/O Município
Na Igreja Matriz, um espaço conta com as fotos dos párocos da paróquia | Foto: Luiz Antonello/O Município

Padres nascidos em Botuverá

Padres e data da ordenação:
1 – Cosmo Maestri – 17/03/1956
2 – Flávio Morelli – 29/06/1957
3 – José Stolfi – 29/06/1957
4 – Antonio José Thamazzia – 08/12/1959
5 – Valdir Vicentini – 28/06/1964
6 – Alírio José Pedrini – 28/06/1964
7 – Vilberto Gianesini – 29/06/1966
8 – Adilson José Colombi – 07/12/1969
9 – Pedro Paloschi – 12/12/1970
10 – Mário José Maestri – 08/12/1974
11 – Nelson Tachini – 08/12/1974
12 – Alcides Pedrini – 16/12/1968
13 – Felipe Dalcegio – 16/12/1978
14 – Moacir Pedrini – 12/12/1981
15 – Dário Paloschi – 12/12/1981
16 – Carlos Martinenghi – 13/08/1983
17 – Luiz Carlos Pedrini – 13/08/1983
18 – Vilson José Comandolli – 21/12/1985
19 – Eugênio Venzon – 09/12/1989
20 – Eloi Comper – 15/12/1990
21 – Afonso Molinari – 20/12/2003
22 – Elinton Costa – 11/02/2012
José Sorer – ordenação prevista para acontecer em 2023

Freiras botuveraenses**

Jovita Pedrini**
Justina Pedrini
Maria Fachini
Josefa Pezzini
Ana Pezzini**
Angelina Pezzini**
Santina Pezzini
Laurinha Gianesini
Laurinda Bonomini**
Maria Pia Tachini
Zelinda Tomazzia
Jandira Tomio
Maria Lúcia Gianesini
Dalila Pedrini**
Dalvina Pedrini
Rosali Inês Paloschi
Beatriz Catarina Maestri
Maristela Paloschi**
Dalva Maria Pedrini
Inês Bambina Pedrini
Afonsina Tomio
Terezinha Cestari
Leonarda Colombi
Leonides Colombi
Angelina Demarchi
Carlota Gianesini
Ada Rosa Morelli
Rita Maestri
Sandra Leoni
Terezinha Dalcegio
Odete Rezzini

Irmãos religiosos

Afonso Pedrini
Nicolau Costa***
Nico Zanca***
Guilherme Dalcegio

** Não há registro das datas de ordenação das freiras. Além disso, outros nomes presentes na lista já deixaram a instituição. Contudo, não há como confirmar todos eles, como também os nomes faltantes

*** Saiu da instituição

Fontes: pesquisas de Pedro Bonomini e Paróquia São José


Você está aqui: Filhos da Terra: conheça os nascidos em Botuverá que se tornaram padres e freiras


Confira também:

▶ Fé em Botuverá: saiba como a tradição religiosa impacta a formação da cidade mais católica de Santa Catarina
▶ Mais de 120 anos de transformações: conheça a história da Igreja Matriz de Botuverá

▶ Primeira comunidade de Botuverá a ter uma capela, Águas Negras preserva altar da antiga construção
▶ Capela do Ribeirão do Ouro, em Botuverá, mantém estrutura original do início do século XX
▶ Moradores do Lageado, em Botuverá, recordam de construção da capela, feita em volta de antiga igreja de madeira
▶ Devota caminha por quilômetros na madrugada para doar primeira imagem do padroeiro da capela no Barra da Areia, em Botuverá
▶ Mudanças e união da comunidade: capela do Vargem Grande, em Botuverá, marca história de moradores
▶ Padroeiro da capela do Areia Alta, em Botuverá, é escolhido por causa de professora de Santo Amaro da Imperatriz
 Capela do Ourinhos, em Botuverá, conta com antiga imagem Nossa Senhora trazida de Aparecida (SP)
▶ Capela do Pedras Grandes, em Botuverá, é conhecida pela alta participação da comunidade
▶ Capela do Sessenta carrega história misteriosa sobre imagem de Santa Luzia encontrada no Morro do Barão, em Botuverá
▶ Crença sem tamanho: capelinhas em Botuverá demonstram a força da fé em Deus nas comunidades


Receba notícias direto no celular entrando nos grupos de O Município. Clique na opção preferida:

WhatsApp | Telegram


• Aproveite e inscreva-se no canal do YouTube

Deixe uma resposta