Flamengo sai na frente, mas leva virada do Independiente na final da Sul-Americana

Argentinos venceram por 2 a 1 e poderão jogar por empate na volta, no estádio do Maracanã

Flamengo sai na frente, mas leva virada do Independiente na final da Sul-Americana

Argentinos venceram por 2 a 1 e poderão jogar por empate na volta, no estádio do Maracanã

O Flamengo teve a oportunidade de voltar da Argentina com alguma vantagem para a partida da volta da final da Copa Sul-Americana. Porém, o Independiente se impôs dentro do estádio Libertadores da América, nesta quarta-feira, 6, e ditou o ritmo da dança.

No fim, o 2 a 1 não foi um resultado desastroso, mas também não representa vantagem. Isso porque a final da Copa Sul-Americana não tem o gol qualificado fora de casa.

Desta forma, se o Flamengo vencer por 1 a 0, 2 a 1 ou 4 a 3, por exemplo, no Maracanã, na semana que vem, levará tudo para a prorrogação e pênaltis.

Qualquer vitória por dois gols dá o título para o rubro-negro. O empate dá o caneco ao Independiente.

A diretoria divulgou que os ingressos para a última partida da final já estão esgotados. A expectativa é que a torcida carioca empurre o cansado time para cima da forte e catimbeira equipe argentina.

Bailou
O começo de jogo foi promissor para o Flamengo, que dominou as ações nos primeiros 15 minutos de bola rolando. O zagueiro Réver abriu o placar aos 8 minutos de cabeça, após boa cobrança de Trauco.

O gol era bom sinal para os flamenguistas. Mas logo o Independiente tomou conta da partida e o rubro-negro passou a dançar conforme o tango argentino.

Aos 28, o time argentino encaixou o primeiro contra-ataque. E foi fulminante. Gigliotti recebeu e chutou forte para o gol de César, que nada pôde fazer.

O primeiro tempo terminou empatado no placar, mas com os rojos à vontade em campo. O Flamengo teve apenas 40% da posse de bola nos primeiros 45 minutos.

Virada
Na volta dos vestiários, foi o Independiente quem marcou cedo. Aos 7 minutos, Ezequiel Barco apareceu bem pela esquerda e cruzou para Meza marcar livre, entrando na área.

A virada fez o técnico Rueda mexer no rubro-negro. Cinco minutos depois do gol fatídico de Meza, ele mandou Everton para o campo no lugar de Lucas Paquetá.

Sem sucesso, Rueda mexeu de novo aos 27. Desta vez, tirou a referência do time, Diego, para a entrada de Vinicius Junior.

Vinicius e Everton deram mais mobilidade ao meio de campo do Flamengo e criaram algumas jogadas de perigo. Porém, não foi suficiente para o rubro-negro transpor a meta  do arqueiro Campaña.

Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio