FME apresenta atletas repatriados para equipe de ciclismo

Ao todo, são dez atletas que voltam a competir por Brusque em 2014

FME apresenta atletas repatriados para equipe de ciclismo

Ao todo, são dez atletas que voltam a competir por Brusque em 2014

O ciclismo brusquense tem grandes reforços para este ano de competições. A partir das 18h desta quinta-feira, 6, na Arena Brusque, a FME apresenta atletas que defenderam outras cidades em anos anteriores e foram repatriados em 2014. Ao todo, são dez ciclistas das categorias Infanto-juvenil, Juvenil, Júnior, Elite e Elite Máster (BMX).
A maioria destes atletas competia por Criciúma – como é o caso de Vinícius dos Santos, 16, categoria Juvenil; e Mariana Pereira, 15, Infanto-juvenil. Os ciclistas da Júnior, Gustavo Adolfo Pereira, 17, Eduardo Franco, 17, e André Eduardo Gohr, 18; além dos atletas da Elite, Felipe dos Passos, 19, e Áquila Roux, 19, também estavam na equipe do Sul do Estado. Os ciclistas Luiz Henrique Constantini, 14, Infanto-juvenil, e Paulo Edgar Voss, 16, Juvenil, que competiam por Itajaí, foram outros repatriados. O BMX foi reforçado com o atleta da Elite Máster, Marcelo Debrassi. Ele disputou os Jogos Abertos de Santa Catarina por Concórdia. 

Em casa
Segundo o técnico da equipe brusquense, Eduardo Gohr, repatriar este atletas é como trazer um filho de volta para casa. “As pessoas que estão diretamente envolvidas com o esporte brusquense, ‘os bairristas’, de certa forma, não gostam de ver um brusquense defendendo outro município. Com a vinda deles, é como o sentimento de ter um filho em casa novamente”. 
Ele relata que os atletas têm interesse de correr por outros municípios porque as propostas recebidas são maiores. A possibilidade de trazer de volta estes ciclistas ocorreu em comum acordo com a FME.  “Em reunião com o superintendente da FME, Deivis da Silva, o convencemos da ação. Ele já tinha essa vontade. Também era interesse do próprio prefeito Paulo Eccel. Tudo foi questão de ajustes e de conversa”. Eles procuraram os atletas e as propostas foram aceitas.

Expectativa
Como a maioria dos atletas tem a idade para competir em Joguinhos Abertos e Olesc, a expectativa é grande para estas competições estaduais. Segundo o técnico, neste ano, Brusque tem chances reais de conquistar medalhas, inclusive de ouro. “Não tenho dúvidas que vamos conseguir boas colocações com a vinda destes meninos. Isto é uma convicção. Mas, na classificação geral por município, Criciúma ainda é o grande favorito”, afirma Gohr. O motivo, segundo ele, é que Brusque não conseguiu repatriar atletas de base do BMX. Como a classificação geral é a somatória de todas as provas, Criciúma tem esta vantagem. “Foi feito uma proposta, mas eles ainda não sentiram uma segurança necessária para voltarem”, diz Gohr. Apesar disso, o técnico acredita que a equipe brusquense ficará entre os três primeiros colocados, tanto na Olesc quanto nos Joguinhos Abertos. “Eles são favoritos, mas vamos correr por fora. Criciúma tem um poderio forte. Eles investem um valor infinitamente superior ao nosso”, observa. “Eles faziam os três primeiros lugares nestas competições. Neste ano, vai ter brusquense no meio. Essa hegemonia, eles não vão mais conseguir”.

Jasc
Para os Jasc, Gohr acredita na mescla entre a ‘velha guarda’ e a ‘nova geração’. “Estes novos atletas estão surgindo muito fortes, como o Áquila, Felipe e André. Vamos também ter dois ciclistas com Soelito Gohr e Murilo Fischer, com experiência e referência comprovadas”. O treinador comenta que os primeiros citados participaram da equipe em edições anteriores, mas o comprometimento não era tão grande quanto agora. “Neste ano, eles já sabem que vão ter que assumir essa responsabilidade de igual com eles (Murilo e Soelito). Temos condições de brigar pelo título, com uma equipe totalmente brusquense, com a juventude e experiência”.
Colabore com o município
Envie sua sugestão de pauta, informação ou denúncia para Redação colabore-municipio